mulher com mão no pescoço

O que é a osteoporose? Saiba como tratar

4 mins. leitura

Osteoporose: fatores de risco e formas de prevenção

A osteoporose é uma doença que pode afetar uma parte ou a totalidade do esqueleto. A sua principal caraterística é a perda de resistência óssea. Daí, os ossos ficarem mais suscetíveis a fraturas.

O indivíduo com osteoporose tem, assim, ossos mais frágeis e quebradiços e, por isso, menos capazes de suportarem as tarefas quotidianas que envolvam a carga e o transporte de pesos.

Portanto, esta é uma patologia incapacitante, mas que pode ser controlada e, sobretudo, prevenida. Fique a saber mais.


O que é

Como já dissemos, a osteoporose é uma doença óssea. Os ossos são compostos por minerais, como o cálcio, e por outros constituintes, como o colagénio.

Até aos 20/30 anos de idade, o organismo reúne o seu capital ósseo, ou seja, a quantidade máxima de massa óssea. Por outro lado, a partir dos 40/45 anos, esse mesmo capital ósseo começa a ser perdido. No caso feminino, a menopausa pode acelerar ainda mais este processo.

O processo de envelhecimento também se reflete nos ossos, os quais, com o passar dos anos, deixam de se remodelar de maneira equilibrada. Assim, a estrutura óssea passa a ser mais frágil, composta, essencialmente, por trabéculas (travessas muito finas).


Sintomas

Geralmente, o primeiro sinal de osteoporose surge na sequência de uma fratura óssea. Porém, o indivíduo já pode ter esta doença silenciosa há vários anos.

Algumas das fraturas mais frequentes ocorrem: nas vértebras, colo do fémur (anca), antebraço (punho), costelas e bacia. De entre estas fraturas, há algumas mais facilmente detetáveis do que outras.

Por norma, estas fraturas manifestam-se através de uma dor aguda. Em situações mais severas, pode configurar-se um quadro doloroso crónico, com agravamento da cifose, diminuição da estatura corporal e até prejuízo da capacidade respiratória.


Consequências

Em virtude dos seus sintomas, a osteoporose, além de dor, pode interferir negativamente na qualidade de vida do indivíduo e, em alguns casos, até aumentar o risco de mortalidade.

Algumas das consequências mais comuns da osteoporose são:

  • Perda de qualidade de vida;
  • Dor constante;
  • Fraturas na anca, punho e vértebras;
  • Dificuldade em manter o equilíbrio em pé;
  • Redução da estatura e ganho de curvatura nas costas;
  • Perda gradual de autonomia;
  • Degradação geral.

Fatores de risco

Há condições e circunstâncias que constituem fatores de risco para a osteoporose, nomeadamente:

  • magreza;
  • ingestão de poucos produtos lácteos;
  • tabaco;
  • sedentarismo;
  • ter dificuldade em manter-se em pé;
  • corticosteróides;
  • anorexia nervosa;
  • doenças reumáticas;
  • diarreia crónica;
  • perturbações da tiróide;
  • transplante de órgãos;
  • menopausa antes dos 45 anos;
  • ooferectomia (remoção dos ovários), antes dos 50 anos;
  • fratura depois dos 50 anos;
  • história familiar de fraturas depois dos 50 anos.

Diagnóstico e tratamento

Se houver suspeitas de osteoporose, quer devido à existência de fatores de risco, quer devido a outros indícios, o médico, após observar e examinar o paciente, pode requisitar alguns exames, tais como radiografias, análises ao sangue e densitometria óssea.

Este último exame é indolor e permite medir a densidade óssea, contribuindo para um mais rápido e rigoroso diagnóstico da osteoporose.

Quando a osteoporose é diagnosticada, é necessário o tratamento com fármacos, a par de suplementos de cálcio e de vitamina D, os quais devem ser complementados por uma dieta alimentar rica nestes minerais.

A função dos fármacos para a osteoporose é atuarem no metabolismo ósseo, inibindo a reabsorção/perda ósseas e estimulando a formação óssea. Quanto ao seu modo de administração, estes medicamentos podem ser tomados por via oral ou injetável, a um ritmo diário, semanal, mensal ou mesmo anual.

A terapêutica deve ser sempre personalizada, ou seja, deve discutir com o seu médico o tratamento e a duração mais indicados para o seu caso.


Prevenção

Felizmente, há maneiras de tornar menos provável o desenvolvimento de quadros de osteoporose. Algumas dessas maneiras passam por: ingerir cálcio e vitamina D e realizar frequentemente exercício físico.


Cálcio

Naturalmente que as necessidades de cálcio vão variando ao longo dos anos. Eis a dose diária de cálcio recomendada, de acordo com a faixa etária.

Crianças 600 a 800 mg
Adolescentes 900 e 1200 mg
Adultos 800 e 1000 mg

Para conseguir alcançar os níveis de cálcio necessários em cada fase da vida, é importante fazer uma alimentação rica em ingredientes com este mineral, nomeadamente:

  • produtos lácteos magros (leite, iogurte e queijo);
  • vegetais verdes;
  • cereais e pão;
  • produtos enriquecidos com cálcio.

Por outro lado, deve evitar refrigerantes e dietas alimentares pobres em proteínas, de modo a garantir uma satisfatória produção de colagénio no osso.


Exercício físico

A prática de atividade física, desde cedo, é fundamental e altamente recomendável. Portanto, exercite as pernas, de modo a estimular o metabolismo ósseo. Para isso, pode praticar jogging ou marcha, por exemplo.

Sempre que possível, pratique desporto ao ar livre e ao sol (às horas de menor calor e com proteção), pois também precisa dos raios solares para garantir a síntese de vitamina D de que o seu organismo necessita para uma adequada absorção do cálcio nos intestinos.


Outros conselhos importantes

  • Não exagerar no consumo de álcool;
  • Não fumar;
  • Prevenir as quedas;
  • Usar calçado com revestimento em borracha e anti-derrapante;
  • Verificar o estado da visão e da audição;
  • Conferir se toma medicação que possa interferir com o equilíbrio.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.