menina a ser vista pelo médico

O que são as adenoides e quando devem ser retiradas

3 mins. leitura

As adenoides são um tecido linfático, semelhante aos gânglios, e que tem como função proteger o corpo contra microrganismos, fazendo, por isso, parte do sistema imune.

Situam-se na nasofaringe, numa região denominada “cavum”, imediatamente atrás das cavidades nasais e acima da orofaringe. As adenoides alertam o sistema imunológico para o que de problemático pode entrar no organismo via cavidade nasal.

Função semelhante têm as amígdalas, que se situam nos dois lados da parte posterior da garganta, lateralmente à úvula.


Quando as adenoides dão problemas

A inflamação das adenoides, ou hipertrofia acontece com muita frequência nas crianças e os sintomas passam pela obstrução, distúrbios do sono, otites e efusão da orelha média (presença de líquido) com perda auditiva, além de sinusite.

As adenoides são maiores nas crianças com dois a seis anos e este aumento pode ser fisiológico ou derivado de uma infeção bacteriana ou vírica, muito comum em crianças que estão numa creche ou infantário e, portanto, em contacto com muitas crianças, bem como de uma alergia ou do refluxo gastroesofágico.

Algumas pessoas com hipertrofia das adenoides não apresentam sintomas, mas têm, muitas vezes, respiração bucal crónica, os já referidos distúrbios de sono, halitose, roncopatia e tosse.

Em termos de interferência no sono, a redução de oxigenação durante este período pode provocar alterações no desenvolvimento da criança, assim como no rendimento escolar, por hipersonolência diurna e dificuldade de concentração.

adenoides

Diagnóstico

Perante as suspeitas de hipertrofia das adenoides, o otorrinolaringologista irá fazer um exame chamado nasofibrolaringoscopia flexível. O exame é feito de forma semelhante a uma endoscopia.

Também poderão ser feitas radiografias, no entanto, em crianças, é um método pouco utilizado, a não ser quando existe suspeita de angiofibroma ou cancro.

Normalmente, o tratamento é feito à base de corticoides intranasais e antibióticos. No caso de obstrução nasal significativa ou persistente, otite média aguda recorrente ou otite média com efusão (ou derrame) deverá ser feita uma adenoidectomia, ou seja, uma cirurgia para remoção das adenoides.


Cirurgia para remoção das adenoides

A adenoidectomia é o procedimento cirúrgico mais comum na idade pediátrica e está indicada em casos de otites de repetição, apneia do sono, perda auditiva, desconforto extremo ao falar ou respirar, entre outros.

A adenoidectomia pode realizar-se isoladamente ou associar-se a outros procedimentos cirúrgicos, nomeadamente à amigdalectomia (designando-se neste caso por adenoamigdalectomia).

Este procedimento é realizado no bloco operatório, sob anestesia geral e, geralmente, tem uma duração de aproximadamente 20 a 30 minutos.

A cirurgia inicia-se com a colocação de um “abre-boca”, um dispositivo que, tal como o nome indica, permite a abertura da boca para uma boa exposição da região a operar.

A remoção das adenoides é feita pela boca, já que estas se encontram na

nasofaringe (parte de trás das fossas nasais que comunica com a boca).

Após a remoção das adenoides com uma cureta, faz-se a irrigação nasal com soro fisiológico e procede-se à hemóstase, para controlar a hemorragia.

adenoides

Possíveis complicações da cirurgia

Após a cirurgia, é natural que a criança esteja agitada e chorosa. E, no pós-operatório imediato, pode ocorrer saída de sangue pelo nariz e pela boca (ou vómito com sangue), algo que por norma, pára espontaneamente.

As complicações mais comuns no pós-operatório são:

  • Complicações associadas ao procedimento anestésico;
  • Hemorragia no pós-operatório;
  • Desidratação, por dificuldade e/ou recusa alimentar:
  • Infeção;
  • Lesão de estruturas anatómicas na proximidade das adenoides;
  • Pode ocorrer no pós-operatório inicial, refluxo faringonasal (saída de alimentos pelo nariz), ou voz hipernasal, sintomas que, geralmente, se revertem ao fim de algumas semanas.

Contudo, a taxa de complicações cirúrgicas é baixa, e a recuperação é em torno de três dias.


Cuidados a ter em casa após a adenoidectomia

Após a cirurgia, o paciente deve fazer uma dieta mole, para evitar a hemorragia, de maneira a facilitar a deglutição.

Devem evitar-se ambientes quentes e o doente não deverá fazer esforços e deve ficar em repouso.

Normalmente, a recuperação é rápida com melhoria progressiva da dor de garganta.

O doente pode também queixar-se de dor nos ouvidos, que surge por irradiação e que desaparece ao fim de alguns dias. Pode ocorrer também alteração da voz após a cirurgia.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
1 presente à escolha

Oferta exclusiva Online

1 presente de boas-vindas à escolha

Aderir Online
Cartão Platinium Mais Vida
Quer aderir? Ligamos grátis! Esclareça as suas dúvidas com a nossa
equipa, sem compromisso.
Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Formulário enviado Obrigado pelo seu contacto. Será contactado em breve pela nossa equipa de especialistas.