Ligamos
grátis
Hemoglobina baixa é sinónimo de anemia

Anemia: como abordar este problema

3 mins. leitura

A anemia é um problema de saúde que afeta uma grande parte da população.

Trata-se de uma diminuição do número de glóbulos vermelhos no sangue ou da concentração de hemoglobina, que compromete o transporte de oxigénio aos órgãos e tecidos do organismo.

Nas fases iniciais, a anemia pode ser assintomática, sendo apenas detetável através de análises de rotina ao sangue.

A forma mais comum de anemia está associada à carência de ferro, embora existam outras causas possíveis.

Embora não seja perigosa, pelo menos até que se torne grave, a anemia pode ser um sinal de alerta para problemas de saúde sérios. Convém, por isso, estar vigilante.


Compreender a anemia

Sintomas

Uma vez que se trata de uma condição em que há comprometimento do transporte de oxigénio aos órgãos e tecidos do organismo, a anemia manifesta-se de diferentes formas, que variam, nomeadamente, conforme a gravidade do caso e a pessoa.

Alguns dos sintomas podem ser desvalorizados, sobretudo aquele que está quase sempre presente: o cansaço.

Eis uma lista dos sintomas mais frequentes:

  • Fadiga (cansaço maior do que o habitual);
  • Falta de ar (estranha para um nível de esforço que a pessoa conseguia fazer no passado recente sem dificuldades);
  • Palpitações (batimento irregular do coração).

Menos comuns:

  • Dores de cabeça;
  • Zumbido nos ouvidos;
  • Paladar alterado.

Raros:

  • Desejo de comer objetos não comestíveis (por exemplo: gelo, papel, terra, barro);
  • Dores na língua;
  • Dificuldade em engolir.

A anemia pode, também, causar alterações à aparência do indivíduo. Os sinais mais frequentes são:

  • Palidez (mais do que era normal);
  • Língua extremamente macia;
  • Cortes dolorosos nas comissuras da boca;
  • Unhas secas, escamosas ou em forma de colher

Além destes sintomas é extremamente importante estar atento a outros que se encontram associados às causas da anemia. Por exemplo:

  • Sangue nas fezes e perda de peso;
  • Olhos amarelos (icterícia).

Causas

A anemia pode ser causada por um ou mais dos seguintes mecanismos básicos do organismo:

  • Perda de sangue (hemorragia excessiva, que provoca baixos níveis de ferro);
  • Produção inadequada de glóbulos vermelhos;
  • Destruição excessiva de glóbulos vermelhos.

No caso da hemorragia excessiva, pode tratar-se de um acontecimento agudo (devido a lesão ou durante uma cirurgia), ou uma situação gradual e repetitiva (crónica).

As hemorragias crónicas estão, normalmente, associadas a problemas no trato digestivo ou urinário, ou a menstruações intensas.

Quando ocorre produção insuficiente de glóbulos vermelhos, isso significa que o corpo carece dos nutrientes necessários para levar a cabo esse processo. Por exemplo, ferro, vitamina B12 ou ácido fólico, entre outros.

Existem várias doenças que podem comprometer a produção de glóbulos vermelhos, nomeadamente a leucemia ou o linfoma.

Como vimos atrás, a anemia pode também ser causada pela destruição excessiva de glóbulos vermelhos. Estes vivem, normalmente, cerca de 120 dias. No final do seu ciclo de vida, são detetados e destruídos por células específicas da medula óssea, no baço e no fígado.

Quando são destruídos precocemente, a medula óssea procura compensar essa perda ao aumentar a velocidade de produção de novos glóbulos vermelhos.

No entanto, quando o ritmo de destruição é mais rápido do que o de produção, ocorre uma situação de desequilíbrio que causa um tipo de anemia designado por anemia hemolítica.


Tratamento e prevenção

O tratamento da anemia depende da identificação da sua causa, tendo como objetivo principal a reposição dos níveis normais de glóbulos vermelhos e hemoglobina.

O mais importante no tratamento de uma anemia é identificar a sua causa.

Vejamos um exemplo. No caso da anemia provocada pela carência de ferro, a mais frequente, além da terapêutica indicada pelo médico (suplementos, etc.), pode ser adotada uma dieta alimentar que favoreça a sua absorção.

Eis algumas possibilidades:

  • Redução ou eliminação do consumo de alimentos que dificultam a absorção de ferro (exemplos: leite, cereais, bebidas gaseificadas, chá e café);
  • Consumo de alimentos que aumentam a absorção de ferro (exemplos: citrinos, kiwi, bróculos, vegetais de folhagem escura como o espinafre, pão fortificado com ferro, feijão, nozes, carne, damasco, ameixa seca, passas de uva).

Quando a anemia é devida a causas como a perda de sangue ou doenças malignas, o tratamento é mais complexo e deve obedecer à prescrição médica. Nos casos mais graves, pode mesmo obrigar a transfusão de sangue.

No que toca à prevenção, há também alguns comportamentos da vida diária que ajudam a evitar o desenvolvimento de uma anemia.

Eis os conselhos mais importantes:

  • Faça exercício físico com regularidade;
  • Adote uma alimentação equilibrada e saudável;
  • Vá ao médico periodicamente, mesmo que não se sinta doente. Não deixe de fazer a sua consulta de rotina ao longo da vida.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.