menina com cabeça encostada a livro

Dislexia: o que é como identificar os sintomas

4 mins. leitura

Indíce
  1. 1. O que é?
  2. 2. Sintomas
  3. 3. Tratamento

A dislexia é uma perturbação neurológica que se manifesta pelas dificuldades de leitura e escrita. Esta perturbação crónica não está relacionada com a capacidade intelectual da pessoa afetada, mas sim com a compreensão e identificação de palavras.

De acordo com dados da Associação Portuguesa de Dislexia, estima-se que 10% da população mundial tenha dislexia e que, em Portugal, cerca de 5% da população sofra desta perturbação.

Ainda que não tenha cura, a dislexia pode ser ultrapassada, desde que acompanhada com terapia especializada. A intervenção precoce é um fator-chave para o sucesso e, por isso, é importante reconhecer os sintomas desde cedo.


Dislexia: o que é, sintomas e tratamento

A dislexia em nada está relacionada com a falta de inteligência, visão ou audição. A dificuldade em aprender a ler - mesmo que com motivação para aprender - está relacionada com a forma como o cérebro de um disléxico processa a informação.


O que é?

A dislexia é uma dificuldade específica de aprendizagem da leitura, mesmo em pacientes com inteligência normal ou acima da normal. E que pode apresentar desafios diários a um disléxico.

No entanto, com apoio especializado, é possível melhorar as capacidades de leitura e escrita e, assim, ajudar as pessoas a serem bem-sucedidas académica e profissionalmente.

As causas exatas ainda não são totalmente conhecidas, mas é comum aparecer em várias pessoas da mesma família. Isto pressupõe a existência de uma mutação genética que causa alterações na forma como o cérebro processa a leitura e a linguagem.

A Associação Internacional de Dislexia diz que esta perturbação afeta tanto homens como mulheres, assim como afeta igualmente pessoas de diferentes origens étnicas e socioeconómicas.


menino a escrever com mãe sentada ao lado

O diagnóstico é, normalmente, feito na infância, quando a criança está a aprender a ler e a escrever. A criança deve ser avaliada por uma equipa multidisciplinar com a ajuda dos pais e professores.

De referir que, em casos mais leves, o diagnóstico pode só ser feito na adolescência ou na idade adulta. Mas é importante a abordagem precoce, pois a dislexia pode limitar a evolução nos estudos e a vida profissional.

Aprendizagem lenta, dificuldade de concentração, escrever palavras de uma forma estranha e dificuldade em soletrar são alguns dos sintomas e sinais. Mas as pessoas com dislexia são, normalmente, muito boas em competências como pensamento criativo e resolução de problemas.


Quais os principais sinais e sintomas?

Os principais sintomas e sinais, de acordo com a Associação Portuguesa de Dislexia, incluem:

  • Dificuldades na leitura;
  • Domínio e velocidade de leitura inferiores ao esperado para a idade;
  • Dificuldade em compreender/interpretar textos e enunciados;
  • Dificuldades no processamento fonológico;
  • Substituição de palavras por outras semelhantes, mas com significado diferente;
  • Dificuldades de escrita;
  • Dificuldade na associação do som ao desenho da letra;
  • Utilização de vocabulário limitado;
  • Presença de muitos erros ortográficos e sintáticos;
  • Confusão com letras de sons próximos ou com desenho semelhantes;
  • Letra feia e irregular;
  • Lentidão na realização dos trabalhos de casa;
  • Distração fácil;
  • Desenvolvimento de estratégias para não ter que ler ou escrever;
  • Resultados escolares inferiores à sua capacidade intelectual;
  • Melhores notas nas avaliações orais do que nas provas escritas;
  • Comportamentos de isolamento ou anulação na escola;
  • Ansiedade nos momentos de avaliação ou em atividades que impliquem leitura e escrita;
  • Sentimento de frustração e desânimo quando não consegue executar uma tarefa;
  • Enurese noturna;
  • Baixa autoestima e sentimento de inferioridade.

menina a estudar na secretária

Tratamento

São, geralmente, os professores a suspeitar que a criança tem uma dificuldade específica de aprendizagem, quando comparado o seu desempenho com o dos outros alunos.

A criança ou jovem disléxico costuma, também, apresentar um quadro de tristeza e depressão por não conseguir superar as dificuldades de aprendizagem, apesar da sua dedicação e esforço.

Verificadas estas dificuldades, a criança deverá fazer uma avaliação psicopedagógica para identificar o tipo de erros, a sua intensidade e duração. O relatório de avaliação vai ser a base de um plano de intervenção personalizado e deverá ser partilhado entre profissionais de saúde, família e professores.

Este apoio especializado deve começar antes do primeiro ciclo, de forma a que a criança possa ter os pré-requisitos para a aprendizagem da leitura. Uma intervenção precoce permite ultrapassar cerca de 90% das dificuldades.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Informação Adicional
sobre Proteção de Dados

Mediante o seu consentimento, os seus dados pessoais serão recolhidos, processados e armazenados informaticamente pela MED&CR - Sistemas de Gestão de Cartões de Saúde Unipessoal Lda. ("Medicare"), com sede na Rua Rodrigues Sampaio n.º 103, 1050-196 Lisboa, número de telefone 219 441 113, e-mail info@medicare.pt , enquanto entidade responsável pelo tratamento dos dados pessoais, nos termos e para os efeitos identificados na lei aplicável, incluindo o Regulamento UE 2016/679 (Regulamento Geral de Proteção de Dados/RGPD) para as finalidades de envio de comunicações de marketing e envio de informação comercial e promocional relativa a produtos e serviços da Medicare.

A informação fornecida será tratada de forma confidencial e utilizada para os fins acima descritos.

A Medicare guardará, tratará e comunicará, quando aplicável, os seus dados de identificação e contacto enquanto não retirar o seu consentimento, de forma a poder apresentar-lhe as promoções, serviços e condições que possam ser mais vantajosas.

Os seus dados poderão ser tratados diretamente pela Medicare ou por entidades por si subcontratadas para o efeito (e sujeitas a obrigações de privacidade e confidencialidade próprias), podendo os dados ser comunicados a autoridades legais e regulatórias, nos termos previstos e determinados por lei. Estas entidades estarão sedeadas dentro do território da UE.

Poderá a qualquer momento retirar o seu consentimento enviando um email para politica.privacidade@medicare.pt, o que não invalida, no entanto, o tratamento efetuado até essa data com base no consentimento previamente dado. Poderá a qualquer momento, através do e-mail disponibilizado, exercer os seus direitos legais de acesso, retificação, portabilidade, limitação do tratamento, esquecimento.

Poderá também exercer o seu direito de reclamação à Comissão Nacional de Proteção de Dados, se considerar que os seus direitos não estão a ser cumpridos.

Para mais informação sobre os termos de tratamento de dados pela Medicare, sugerimos que consulte a Politica de Privacidade, disponível em www.medicare.pt/politica-de-privacidade.