criança com marcas no rosto

O que é o Lúpus e como pode tratar este problema

3 mins. leitura

O Lúpus Eritematoso Sistémico (LES) é uma doença inflamatória crónica, de natureza autoimune, que pode afetar a pele, articulações, rins, pulmões, sistema nervoso e vários outros órgãos.

Na origem do Lúpus está uma reação desadequada do sistema imunológico, cujos anticorpos produzidos, em vez de combaterem doenças, vão atacar células dos tecidos e órgãos do próprio corpo. Esta situação pode provocar complicações sérias e, nos casos mais graves (e raros), causar a morte.

O Lúpus pode surgir em qualquer idade, incluindo crianças ou indivíduos com mais de 65 anos, mas é mais frequente em mulheres jovens, sobretudo entre os 16 e os 49 anos. Esta doença é também mais frequente em africanos, asiáticos e hispânicos.

As mulheres são, aliás, o grupo mais afetado por Lúpus, já que nove em cada 10 doentes são do sexo feminino.

Na maioria dos doentes, a doença afeta apenas a pele e articulações, sendo de fácil controlo e sem impacto significativo no seu futuro. No entanto, a sobrevida e a qualidade de vida do doente variam consoante a gravidade da doença. Daí a importância da vigilância e do cumprimento rigoroso das terapêuticas de forma regular.

O Lúpus não é uma doença contagiosa nem hereditária. Existem, porém, alguns fatores genéticos – ainda não totalmente comprovados – que podem contribuir para uma maior predisposição.


Compreender o Lúpus

Sintomas

Existem quatro grupos, dos quais, os principais são:

  • Cutâneo (ou discoide), que se manifesta por manchas na pele, normalmente avermelhadas ou eritematosas. Estas manchas surgem sobretudo em áreas mais facilmente expostas à luz solar, como o rosto, orelhas, decote e braços.
  • Sistémico, que envolve um ou mais órgãos.

O Lúpus manifesta-se de muitas formas, pelo que nem sempre é fácil ser identificado. Os sintomas podem ser ligeiros ou intensos, temporários ou permanentes, afetando principalmente:

  • Articulações;
  • Pele;
  • Células e vasos sanguíneos;
  • Membranas serosas (pericárdio e pleura);
  • Rins;
  • Sistema Nervoso.

Os sinais e sintomas da presença de Lúpus são:

  • Febre;
  • Manchas na pele;
  • Nariz e maçãs do rosto vermelhas, formando uma imagem semelhante às asas de uma borboleta;
  • Sensibilidade à luz solar;
  • Pequenas feridas na boca e no nariz (aftose);
  • Dor nas articulações;
  • Fadiga, cansaço, mal-estar;
  • Dificuldade em respirar;
  • Palpitações;
  • Tosse seca;
  • Cefaleias (dores de cabeça);
  • Convulsões;
  • Depressão, ansiedade;
  • Alterações nas células do sangue.

Estas queixas podem surgir isoladamente ou em conjunto. As manifestações mais comuns são fadiga, febre, emagrecimento, perda de apetite, sensibilidade fácil da pele à exposição solar e às lesões na pele e articulações (dores/inchaço).

Os doentes com Lúpus podem alternar entre períodos de maior atividade da doença e períodos sem qualquer sintoma (que podem durar semanas, meses ou anos).


Causas

O Lúpus é uma doença de causa desconhecida. Admite-se, porém, que na sua origem estejam envolvidos simultaneamente vários fatores: genéticos, hormonais, imunológicos e ambientais.

A exposição solar parece ter um papel crucial no despontar da doença e também no desencadear dos períodos de maior atividade.


Diagnóstico

O diagnóstico de Lúpus nem sempre é fácil, devido à grande variedade de sintomas que são, também, típicos de outras doenças semelhantes. Não existe nenhum teste específico da LES.

Deve ser, por isso, realizado por um médico experiente e passa pelo reconhecimento dos sinais e sintomas caraterísticos de Lúpus, associados aos resultados de uma série de exames laboratoriais, associados a critérios diagnósticos predefinidos.


Tratamento

Idealmente, uma doença de longa duração e com as caraterísticas do Lúpus deve envolver o acompanhamento por uma equipa multidisciplinar que integre:

  • Médico de Família;
  • Reumatologista;
  • Dermatologista;
  • Oftalmologista;
  • Nefrologista;
  • Psicólogo;
  • Fisiatra.

Na maioria dos doentes, o tratamento minimiza ou resolve os sintomas, reduzindo a inflamação e ajudando a restabelecer as funções do organismo que estejam comprometidas.

Além disso, uma série de outras medidas e cuidados pode ajudar reduzir o risco de maior atividade ou agravamento da doença.

Os medicamentos habitualmente utilizados incluem:

  • Corticosteroides (cortisona);
  • Antimaláricos;
  • Imunossupressores (azatioprina, metrotexato, ciclofosfamida e micofenolato de mofetil).

Para os doentes com Lúpus é, também, muito importante o uso de fotoprotetores cutâneos que devem ser aplicados em todas as áreas expostas à luz solar.


Prevenção

Não há forma de prevenir o surgimento de Lúpus. No entanto, é possível a prevenção dos picos ou do agravamento da doença através da adoção de uma série de cuidados.

Eis alguns exemplos:

  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Não fumar;
  • Evitar a exposição ao sol, mesmo usando um protetor;
  • Não tomar contracetivos orais sem aconselhamento médico;
  • Não tomar vacinas vivas (como a vacina oral da poliomielite ou da febre amarela, por exemplo);
  • Planear a gravidez de acordo com as recomendações médicas e num período de inatividade da doença;
  • Praticar exercício físico nos períodos de inatividade da doença;
  • Administrar os gastos energéticos para lidar melhor com a fadiga, diminuindo ou parando as tarefas antes de estar cansada;
  • Pensar que o cansaço faz parte da doença e não se culpabilizar por isso;
  • Fazer caminhadas ao ar livre, sem pressa, em locais tranquilos e agradáveis;
  • Evitar o isolamento, procurando estar na companhia de pessoas positivas e otimistas;
  • Selecionar passatempos que não sejam stressantes, que desviem a atenção da doença;
  • Aprender a usar maquilhagem para camuflar as erupções na pele.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:
Ver mais

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.