Ligamos
grátis
Análises ao Sangue

Triglicéridos: como manter os níveis baixos

4 mins. leitura

Os triglicéridos são o tipo de gordura (lípidos) mais comum que circula no nosso organismo.

Embora importantes para a produção de energia, quando em excesso tornam-se num fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Os triglicéridos estão presentes em vários alimentos, principalmente na manteiga, azeites e outras gorduras que comemos. Além disso, são também resultado das calorias que ingerimos, mas que o nosso corpo não precisa no imediato.

Estas calorias em excesso são transformadas pelo nosso corpo em triglicéridos e armazenadas em células gordas. Quando o organismo necessita de energia, liberta os triglicéridos.

Um nível elevado de triglicéridos pode provocar, por exemplo, o aparecimento de placas de gordura nas paredes internas das artérias, dando origem ao seu estreitamento e reduzindo ou bloqueando totalmente a chegada de sangue ao coração. Esta situação eleva o risco de a pessoa sofrer um ataque cardíaco.


Controlar os triglicéridos

Níveis

Os níveis de triglicéridos podem ser determinados através de análises ao sangue ou da recolha de uma amostra sanguínea numa farmácia, obtida através de uma picada simples.

Uma vez que os níveis variam ao longo do dia devido à ingestão de alimentos, a recolha do sangue deve ser sempre realizada em jejum (12 horas após a última refeição).

Esta avaliação deve ser feita, pelo menos, uma vez por ano.

Na população em geral (sem fatores de risco ou outras doenças crónicas), o ideal é manter valores inferiores a 150 miligramas por decilitro (mg/dL)

Acima deste valor, aumenta, consideravelmente, o risco de problemas cardiovasculares.

A avaliação da gravidade dos níveis de triglicéridos é feita com base nos seguintes valores, segundo a National Cholesterol Education Program, Adult Treatment Panel II (NCEP ATP III):

  • Normal: menos de 150 mg/dL
  • No limite: 150-199 mg/dL
  • Elevado: 200-499 mg/dL
  • Muito elevado: 500 mg/dL ou mais

O aumento dos triglicéridos pode ou não vir acompanhado de alterações no colesterol - neste caso, aumento de LDL, habitualmente chamado de mau colesterol, ou diminuição de HDL, o colesterol bom. Um aumento isolado dos triglicéridos não é algo comum, por isso, é recomendada a análise do perfil lipídico para avaliar não apenas os triglicéridos, mas também as restantes frações.

Níveis muito elevados de triglicéridos estão associados a depósito de gordura no fígado denominado esteatose hepática, assim como a quadro de pancreatite aguda, principalmente, quando os níveis estão persistentemente acima de 1000 mg/dL.


Fatores de risco

Algumas pessoas têm uma propensão genética para níveis de triglicéridos acima do normal, enquanto outras desenvolvem essa tendência devido a uma dieta com demasiadas calorias ou à presença de determinadas doenças.

Há vários fatores que contribuem para aumentar os triglicéridos, designadamente:

  • Dieta pobre em proteínas e rica em gorduras;
  • Obesidade;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Hipotiroidismo (doença da tiróide);
  • Diabetes mellitus;
  • Pancreatite (inflamação no pâncreas);
  • Insuficiência renal crónica;
  • Síndrome nefrótica (doença dos rins provocada pela eliminação inadequada de grandes quantidades de proteína na urina);
  • Gravidez;
  • Tabaco.

O uso regular de certos medicamentos também pode provocar um aumento dos triglicéridos, nomeadamente, corticoides, betabloqueadores, diuréticos, anticoncecionais e antirretrovirais, entre outros.


Alimentos a evitar

Uma dieta rica em gorduras saturadas e hidratos de carbono é um fator de risco importante. Pessoas com triglicéridos altos devem evitar consumir alimentos como:

  • Refrigerantes e outras bebidas ricas em açúcar;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Doces;
  • Chocolate;
  • Pão;
  • Biscoitos;
  • Massas e pizzas;
  • Batata;
  • Gelados;
  • Tortas;
  • Bolos;
  • Leite integral;
  • Fritos;
  • Queijos gordurosos.

Guia Prático Doenças Crónicas - Medicare

Como manter os valores normais

As pessoas que têm níveis de triglicéridos elevados não têm, propriamente, motivos para desanimar. Há várias mudanças no seu estilo de vida que podem adotar, com benefícios ótimos e que permitem baixar os valores.

No fundo, aquilo que todos devemos fazer para baixar os níveis de triglicéridos é o que devemos fazer para proteger o nosso coração e a nossa saúde em geral:

  • Aumente a sua atividade física.

Pelo menos 30 minutos de exercício físico cinco vezes por semana têm um excelente impacto na redução dos triglicéridos. Se não se sente em forma, comece lentamente, com caminhadas em passo acelerado e constante, três vezes por semana.

  • Perder peso.

Se estiver com excesso de peso, faça exercício físico e adote uma dieta baixa em calorias. Evite as bebidas e alimentos com açúcar, coma fruta, vegetais, proteínas magras e produtos lácteos com baixo teor de gordura.

  • Escolha melhor o tipo de gorduras que come.

Reduza o consumo de carne, manteiga, queijo, alimentos processados e margarinas. Aumente a ingestão (moderada) de gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas saudáveis, que se encontram no azeite, frutos secos e peixe. Aposte nos peixes ricos em ómega-3 (atum, salmão, cavala e sardinha, por exemplo).

  • Corte com o álcool.

Mesmo pequenas quantidades de álcool parecem contribuir para causar grandes picos nos níveis de triglicéridos. Deve, por isso, limitar a ingestão de álcool a uma bebida por dia.

Algumas pessoas precisam, também, de tomar medicamentos contra o colesterol para diminuírem os seus triglicéridos.

De uma maneira geral, o melhor é mesmo manter a vigilância sobre os níveis de triglicéridos e colesterol. Consulte o seu médico com regularidade. Caso os seus triglicéridos estejam altos, ele saberá qual o melhor plano de tratamento para si.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados: