Fungo Candida

O que deve saber sobre a candidíase e como tratar

3 mins. leitura

A candidíase é uma infeção bastante frequente provocada por um fungo chamado Candida. Este fungo tem diversas espécies, mas a responsável pela maioria das infeções designa-se por Candida albicans.

Este tipo de candidíase pode provocar uma infeção superficial na boca, na vagina ou na pele. Causa manchas brancas ou vermelhas, bem como prurido, irritação ou ambas.

Embora a candidíase possa atingir tanto mulheres como homens, o fungo existe em pequenas quantidades no organismo feminino e vive sem se fazer notar na pele, no aparelho digestivo e na região genital.

Apesar de ser incómoda, esta infeção não costuma ser grave, exceto quando se trata de uma candidíase invasiva (com disseminação para outras partes do corpo) ou de candidemia (que afeta a corrente sanguínea).

Combater a candidíase

Causas

O fungo responsável pela candidíase, pode estar presente no organismo, e não provocar qualquer tipo de problema. No entanto, existem fatores que podem contribuir para desencadear o seu crescimento acima do normal e, consequentemente, a sua proliferação.

Estes são alguns dos fatores de risco que predispõem à infeção:

  • Deficiência do sistema imunitário;
  • Utilização de antibióticos, anticoncecionais, imunodepressores e corticóides;
  • Mulheres com episódios anteriores de candidíase vaginal;
  • Gravidez;
  • Diabetes;
  • Alergias;
  • HPV (papiloma vírus);
  • SIDA (candidíase da boca e do esófago é a mais frequente).

O calor, a humidade e o atrito facilitam o desenvolvimento do fungo já existente nas mucosas ou na pele.

O contacto com secreções da boca, pele, vagina, é a forma habitual de transmissão da candidíase. No caso da candidíase vaginal, ela pode ser, por isso, transmitida durante relações sexuais, embora não esteja classificada como uma doença sexualmente transmissível.

Sintomas de candidíase

A forma como a candidíase se manifesta nas mulheres e nos homens é ligeiramente diferente.

No caso da infeção ser na zona genital, os sintomas mais frequentes nas mulheres são os seguintes:

  • Prurido intenso na vagina e no canal vaginal;
  • Corrimento vaginal esbranquiçado (leitoso), espesso e grumoso;
  • Ardor local e ao urinar;
  • Dor durante as relações sexuais.

Nos homens:

  • Pequenas manchas vermelhas no pénis;
  • Leve edema;
  • Lesões em forma de pontos;
  • Prurido (comichão).

Nas mulheres, o diagnóstico é, habitualmente, feito através de um exame ginecológico. Nalguns casos pode ser necessário o recurso a análises laboratoriais.

A infeção da boca manifesta-se através dos seguintes sintomas:

  • Manchas brancas cremosas e dolorosas na mucosa oral, língua e palato;
  • Fissuras nas comissuras (cantos) da boca;
  • Perda do paladar.

Se afetar o esófago, causa manchas locais e dor ao engolir.

Quando a candidíase afeta a pele é caraterizada pelo desenvolvimento de uma erupção cutânea com sensação de queimadura.

Se a infeção disseminar para outras partes do corpo, a situação é mais grave. Pode causar os seguintes sintomas:

  • Febre;
  • Sopro cardíaco;
  • Aumento do baço;
  • Tensão arterial baixa;
  • Redução da produção de urina.

Na retina e partes internas do olho, a candidíase pode provocar cegueira. Se for muito grave, pode mesmo afetar vários órgãos e levar à morte.

Tratamento e prevenção

O tratamento é indicado exclusivamente para as mulheres que apresentem sintomas. O mesmo sucede em relação aos seus parceiros sexuais.

O guia de tratamento é distinto consoante seja uma candidíase não complicada ou complicada (grave).

Habitualmente, o tratamento da candidíase baseia-se na aplicação direta de medicamentos antifúngicos na área afetada. Pode, também, ser prescrita medicação por via oral.

Não é, no entanto, recomendada a mulheres grávidas a toma de preparações orais antifúngicas.

É, também, importante ter em consideração que alguns tratamentos para a candidíase, sobretudo os de aplicação local, podem diminuir a eficácia dos preservativos, sendo, por isso, aconselhável um método contracetivo adicional.

As mulheres que têm vários episódios de candidíase ao longo do ano podem adotar algumas medidas de prevenção, tais como:

  • Evitar o uso de desodorizantes e produtos perfumados na região vaginal;
  • Mudar frequentemente os tampões ou pensos higiénicos;
  • Lavar-se e limpar-se sempre na direção da vagina para o ânus (e não o inverso);
  • Usar roupa interior de algodão;
  • Mudar de roupa interior após o exercício físico ou depois de nadar;
  • Evitar banhos muito quentes;
  • Evitar os duches vaginais, exceto sob indicação médica;
  • Fazer no máximo uma a três lavagens íntimas por dia com água e com produtos adequados, para não provocar demasiada secura;
  • Evitar alimentos com elevado teor de açúcar;
  • Evitar o stress e manter um estilo de vida saudável.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.