médico a examinar raio x dos pulmões

Pneumonia: como prevenir este problema

3 mins. leitura

A pneumonia é uma infeção pulmonar, podendo ser leve a potencialmente grave, e é a principal causa de óbito entre as doenças infeciosas, podendo a sua gravidade variar entre leve, severa ou mortal.

As vítimas mais frequentes da pneumonia são as crianças, os doentes crónicos e os idosos, pois a baixa imunidade das crianças e o envelhecimento são considerados fatores de risco primário, devido ao sistema imunológico mais débil; e no caso dos idosos, também devido às suas comorbidades.

Se em qualquer altura, a pneumonia é considerada grave, quando concomitante ao pico de gripe, durante uma pandemia – como aquela que vivemos atualmente (Covid-19) – torna-se bastante pior. Nesta altura, o nosso sistema imunitário está mais frágil e, por isso, tem maiores possibilidades de falhar.


Como atuar perante a pneumonia

Causas

A pneumonia é provocada por muitos tipos diferentes de micro-organismos, designadamente vírus e bactérias, fungos, substâncias inorgânicas e por reações alérgicas, que penetram no organismo por via aérea e vão alojar-se em pequenos sacos de ar existentes nos pulmões (os alvéolos) e em tecidos circundantes.

Embora as vias respiratórias e os pulmões estejam, constantemente, expostos a agentes nocivos provenientes do ambiente exterior, os mecanismos de defesa do organismo combatem-nos rapidamente. A pneumonia desenvolve-se quando esses mecanismos estão comprometidos.

A pneumonia é, aliás, uma das complicações mais graves que podem ser provocadas por uma gripe. Na verdade, o vírus da gripe aumenta dezenas de vezes a possibilidade de a pessoa contrair uma pneumonia, particularmente nos picos sazonais da infeção pelo vírus influenza (da gripe).

Convém, no entanto, sublinhar que a pneumonia não é, propriamente, uma doença única, mas muitas doenças diferentes, dependendo do micro-organismo que a causa.


Sintomas

Os sintomas da pneumonia nem sempre são fáceis de identificar, visto serem muito idênticos aos de outras doenças do sistema respiratório.

Os mais frequentes são:

  • Febre (muitas vezes elevada);
  • Tosse seca ou com catarro de cor amarelada ou esverdeada;
  • Dificuldades respiratórias ou mesmo falta de ar;
  • Dor torácica;
  • Dores musculares, de cabeça e nas articulações (fraqueza).

Estes sintomas podem, ou não, existir todos ao mesmo tempo.

Guia Prático Doenças de Inverno - Medicare

Fatores de risco

A pneumonia pode afetar qualquer pessoa, mas é mais provável que aconteça em indivíduos cujo sistema imunitário está fragilizado.

De qualquer forma, é possível enumerar os seguintes fatores de risco:

  • Idade (muito jovem ou muito idoso);
  • Uso de certos medicamentos (como corticoesteroides ou quimioterápicos);
  • Ter HIV/SIDA;
  • Estar enfraquecido devido a outra doença séria;
  • Tempo de hospitalização prolongado (devido à maior exposição a germes);
  • Pneumonia associada a ventilação mecânica;
  • Ter uma doença pulmonar de base (sobretudo Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica – DPOC);
  • Tabagismo;
  • Alcoolismo.

Tratamento

O tratamento depende do tipo de pneumonia. Ou seja, se for uma infeção bacteriana é tratada com antibióticos. Se for provocada por um vírus, é combatida com medicamentos antivirais.

São, também, utilizados fármacos para baixar a febre ou a dor. Nalguns casos é necessário o recurso a oxigénio.

A maioria dos doentes pode fazer o tratamento em casa, mas as situações mais graves obrigam ao internamento.


Prevenção

A maior parte dos casos de pneumonia nos idosos pode ser evitada pela simples utilização da vacina antipneumocócica e da vacina anual contra a gripe.

De uma maneira geral, a vacina da pneumonia deve ser ministrada a:

  • Crianças com menos de seis anos;
  • Adultos a partir dos 65 anos;
  • Pessoas que vivam em lares/centros de dia ou locais similares;
  • Doentes pulmonares;
  • Doentes crónicos;
  • Indivíduos que estejam sujeitos a tratamentos que comprometem o sistema imunitário;
  • Grávidas;
  • Profissionais de saúde;
  • Pessoas que convivam habitualmente com outras que estão, ou já estiveram, infetadas com pneumonia.

No caso de ser fumador, uma das formas de prevenção contra a pneumonia é deixar de fumar.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:
Ver mais

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.