Novas adesões +351 211 165 540
Apoio ao cliente +351 219 441 113
criança a ser examinada

Otites: o que são e como evitar

4 mins. leitura

A otite é uma infeção de origem bacteriana, viral ou fúngica. Ela desenvolve-se no ouvido, um órgão com pouca proteção e, por isso, muito suscetível à entrada de vírus, bactérias e poluição.

De acordo com o local do ouvido onde a infeção acontece, a otite pode ser externa, média ou média serosa. No caso das otites médias, mediante a sua evolução no tempo, elas são habitualmente classificadas de agudas ou crónicas.


Tipos de otites e tratamentos

Otite externa

Quando a otite atinge o ouvido externo, constituído pela orelha e canal auditivo, chama-se otite externa. Na maioria dos casos é provocada por bactérias ou fungos que se introduzem através de lesões na pele, mas também pode dever-se a alergias ou irritação.

A otite externa causa vermelhidão e inchaço do canal auditivo externo. Ela é frequentemente chamada de “ouvido do nadador” em virtude da exposição frequente à água tornar o canal auditivo mais vulnerável à inflamação.

Os sintomas da otite externa incluem:

  • Dor de ouvido, que pode ser intensa.
  • Prurido e irritação no interior e ao redor do ouvido.
  • Vermelhidão e inchaço do ouvido externo e do canal auditivo.
  • Sensação de pressão dentro do ouvido.
  • Pele escamosa dentro e ao redor do canal auditivo.
  • Libertação de líquido ou pus do ouvido.
  • Dor de garganta
  • Algum grau de perda auditiva temporária.

Habitualmente, apenas um dos ouvidos é afetado por este tipo de otite. Com tratamento adequado, os sintomas demoram alguns dias a desaparecer (otite externa aguda), embora nalguns casos possam persistir durante meses ou até anos (otite externa crónica).

Alguns comportamentos podem contribuir para o desenvolvimento de uma otite externa, nomeadamente danificar a pele no interior do ouvido ou deixar entrar água com frequência.

Pessoas com certas doenças crónicas têm maior risco de desenvolver otite externa, nomeadamente eczema, asma e rinite alérgica.

Nos casos de uma otite externa crónica, podem ocorrer alguns dos seguintes sintomas:

  • Prurido constante dentro e ao redor do canal auditivo.
  • Desconforto e dor no ouvido que pioram ao manipular a orelha.
  • Libertação de líquido.
  • Falta de cera no ouvido.
  • Acumulação de pele espessa e seca no canal auditivo que pode obstruir o canal (estenose) e afetar a audição.

Embora possa desaparecer sem necessidade de qualquer tratamento, o médico pode prescrever medicação em gotas que melhora os sintomas em poucos dias.


Otite média aguda

A otite média aguda é muito frequente e ocorre no chamado ouvido médio, também designado por caixa do tímpano. Esta zona do ouvido, situada dentro do osso temporal (que faz parte do crânio), inclui a chamada Trompa de Eustáquio, que estabelece ligação com o nariz.

As otites médias ocorrem tanto em adultos como em crianças, mas são particularmente comuns entre os três meses e os três anos de idade, sobretudo durante a época balnear.

Este tipo de otite resulta de uma infeção provocada por vírus ou bactérias, muitas vezes devido a uma complicação relacionada com uma constipação ou alergias.

Na maior parte dos casos, os sintomas da otite média aguda desenvolvem-se rapidamente e desaparecem em poucos dias. Os principais sintomas incluem:

  • Dor de ouvido.
  • Febre alta.
  • Sensação de estar doente.
  • Falta de energia.
  • Perda auditiva ligeira.
  • Libertação de pus pelo ouvido.
  • Se a infeção evoluir, a pessoa pode sentir dor de cabeça forte, confusão ou perda de função cerebral.

Como os bebés são incapazes de comunicar a fonte do seu desconforto, pode ser difícil perceber o que se passa com eles. Os sinais de que podem ter uma infeção no ouvido incluem:

  • Puxar ou esfregar a orelha com irritação.
  • Perda de apetite.
  • Inquietação durante a noite.
  • Dificuldades para dormir.
  • Tosse ou corrimento nasal.
  • Ausência de resposta a sons calmos ou outros sinais que podem demonstrar dificuldade em ouvir, como falta de atenção.
  • Perda de equilíbrio.
  • Náuseas, vómitos e diarreia ocorrem frequentemente em crianças pequenas.

A criança deve ser conduzida ao médico nos seguintes casos:

  • Se tiver menos de três meses de idade.
  • Se apresentar infeção em ambos os ouvidos.
  • Se não apresentar melhoras em dois ou três dias.
  • Se manifestar dor intensa.
  • Se libertar pus ou líquido do ouvido.
  • Se apresentar outras condições de saúde, como fibrose cística ou doença cardíaca congénita.

Tratamento da otite média aguda

A maioria das infeções de ouvido desaparece dentro de três a cinco dias e não necessita de tratamento específico. Quando necessário, podem ser utilizados paracetamol ou ibuprofeno para aliviar a dor ou baixar a febre.

Deve ter-se em atenção, porém, se os medicamentos analgésicos dados a crianças são adequados para a sua idade.

Por vezes, nos adultos, o médico pode prescrever antibióticos se os sintomas persistirem ou forem particularmente graves.


Prevenção

Não é possível prevenir as infeções do ouvido médio, mas é sempre possível reduzir o risco de uma criança desenvolver a doença. As medidas incluem:

  • Manter as vacinas de rotina atualizadas.
  • Evitar expor a criança ao fumo do tabaco (não fumar dentro de casa, nem perto de crianças).
  • Não alimentar a criança enquanto ela estiver deitada de costas.
  • Se possível, alimentar a criança com leite materno em vez de leite em pó.
  • Não deixar os bebés adormecerem com biberão, pois isso faz com que o líquido escorra facilmente da Trompa de Eustáquio para o ouvido médio.
  • Evitar o contacto com outras crianças que estejam doentes.
  • Lavar frequentemente as suas mãos e as das crianças.

Otite serosa

A otite serosa é uma das principais causas de surdez infantil. Está relacionada com a acumulação de líquido no ouvido médio (por trás do tímpano), que permanece no local depois de uma infeção ou bloqueio das trompas de Eustáquio.

Infeções de repetição, otites mal curadas, adenoidite e hipertrofia das adenoides são as principais causas da otite serosa. Para esta doença também contribuem as alergias e os hábitos tabágicos dos pais.

Os sintomas visíveis podem variar conforme a idade da criança. Abaixo dos três anos pode atrasar a fala e o desenvolvimento da linguagem. Em crianças mais velhas, elas podem ficar mais desatentas, pouco colaborantes e solitárias.

A otite serosa, geralmente, resolve-se sem tratamento, no prazo de duas a três semanas. Caso o problema persista e a criança não melhore após um a três meses, pode ser necessário o recurso a cirurgia.

Entre várias técnicas utilizadas, em algumas situações, o cirurgião faz uma pequena incisão no tímpano, remove o líquido acumulado e insere um pequeno tubo de ventilação para permitir a drenagem do ouvido médio para o ouvido externo.

Quando a criança tem esta patologia, se possível, devem ser evitadas viagens de avião e mergulhos, pois podem causar dor devido às alterações de pressão nos ouvidos. Se a viagem não puder ser evitada, pode ajudar se a criança mastigar alimentos ou beber líquidos (por exemplo, um biberão).

Partilhe este artigo:
Artigos relacionados:
Ver mais

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.