mãe a segurar na mão do bebé

Morte súbita nos bebés: como prevenir?

5 mins. leitura

Indíce
  1. 1. O que é?
  2. 2. Causas
  3. 3. Fatores de Risco
  4. 4. Como minimizar?

A morte súbita de um bebé é um dos maiores medos de qualquer mãe ou pai, uma vez que acontece sem explicação em crianças aparentemente saudáveis.

De acordo com a Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP), constitui "a primeira causa de mortalidade no primeiro ano de vida" em grande parte dos países desenvolvidos.

As causas para esta síndrome são ainda desconhecidas, mas há uma série de medidas que podem ajudar minimizar o risco de acontecer.


O que é a síndrome da morte súbita do lactente?

A morte súbita define-se por uma morte repentina e inesperada de um bebé com menos de um ano. Na grande maioria dos casos, acontece durante o sono, motivo pelo qual também é chamada de "morte no berço".

Contrariamente à generalidade das doenças, o diagnóstico da síndrome da morte súbita do lactente (SMSL) só é feito depois de a criança ser encontrada sem vida e após terem sido excluídas outras causas de morte, como maus tratos, asfixia acidental, problemas cardíacos ou infeções, entre outras.

De acordo com Sociedade Portuguesa de Pediatria, cerca de 95 por cento dos casos de morte súbita ocorrem antes dos seis meses, sobretudo entre os dois e os quatro meses, sendo rara no primeiro mês de vida.

Segundo a mesma entidade, "não existe nenhum fator de risco que por si só possa causar a SMSL". Sabe-se, no entanto, que existem bebés mais suscetíveis e que há vários fatores de risco que, combinados, podem contribuir para a morte súbita.


bebé ao colo da mãe

Causas da morte súbita do bebé

Atualmente, a morte súbita do lactente é entendida como um acidente multifatorial, considerando-se diversos aspetos, tais como:

A predisposição individual: são as causas genéticas que afetam o amadurecimento de regiões do tronco cerebral implicadas no controlo das funções vitais, como a pressão arterial, o sono, o despertar e o ritmo cardiorrespiratório.

As causas desencadeantes: aqui incluem-se as patologias comuns nesta faixa etária, muitas das vezes a manifestarem-se em simultâneo, como são os casos de infeções, refluxo gastroesofágico, hipertermia ou hipertonia vagal.

As causas favorecedoras: são as que estão ligadas ao meio ambiente do bebé e que podem, em alguns casos, ser alteradas ou controladas, como acontece com a posição no berço em decúbito ventral ou lateral. Também o tabagismo, da mãe ou de quem habita com a criança, pode favorecer a SMSL, bem como um mau acompanhamento pré-natal. Dormir na cama dos pais ou acompanhado de alguma forma, bem como dormir no sofá ou em superfícies moles também estão entre as causas.


bebé com chupeta a ser auscultado pelo médico

Fatores de risco

Entre os principais fatores de risco da síndrome da morte súbita do lactente estão os seguintes:

  • Dormir de bruços (apontado como o fator mais importante)
  • Morte de um irmão por SMSL
  • Prematuridade
  • Baixo peso ao nascer
  • Clima frio
  • Condições de habitação precárias;
  • Ser do sexo masculino;
  • A mãe ter menos de 20 anos;
  • A mãe ter fumado, consumido drogas ou bebidas alcoólicas durante a gestação;
  • Não usar chupeta;
  • Um berço com um colchão mole;
  • Aquecimento excessivo, quer pelo uso de muitos cobertores ou pela temperatura do ar do quarto;
  • Ter problemas respiratórios, nomeadamente com momentos de apneia;
  • Estar doente;
  • Partilhar a cama;
  • Intervalo curto entre as gestações;
  • Roupas de cama acolchoadas.

Como minimizar o risco de morte súbita

O bebé deve dormir sempre de costas (decúbito dorsal). A posição de barriga para baixo (decúbito ventral) só deverá ser adotada por prescrição médica, uma vez que é um dos desencadeadores da morte súbita. A posição lateral também não é tão segura como a posição de decúbito dorsal.

Não devem ser usados rolos ou outros sistemas de contenção e o bebé deve dormir numa cama de grades, com um colchão firme e adaptado à cama ou ao berço. Os pés do bebé devem tocar no fundo da cama, para evitar que escorregue para debaixo dos lençóis.

Não devem ser usados colchões moles nem edredões, mas sim lençóis e cobertores leves. A roupa de cama não deve ir além dos ombros.

O bebé deve ter a cabeça sempre destapada e não usar almofadas ou gorros. Os peluches e os brinquedos deverão ser retirados da cama, antes de o deitar.

A temperatura do quarto deve situar-se entre os 18 e os 21°C e o bebé não deve vestir roupa em demasia.

Também não deve dormir na cama dos pais, mas sim na sua própria cama, que deverá estar colocada ao lado da dos pais.

A utilização de chupeta pode ajudar a reduzir o risco de morte súbita, mas, se o bebé a rejeitar, os pais não deverão forçá-lo. A chupeta não deve ser dada nas primeiras semanas de vida a um bebé que está a ser amamentando.

Enquanto está acordado, o bebé pode ser deitado de barriga para baixo, para ajudar a fortalecer os músculos do pescoço. Este deve ser ensinado a dormir de barriga para cima e a brincar de barriga para baixo.

A mãe deverá evitar fumar durante a gravidez e o bebé não deverá ser exposto ao fumo do tabaco, em nenhuma circunstância.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Política de Privacidade