mãe ajeita as alças da mochila do filho

5 dicas para reduzir o peso da mochila escolar

4 mins. leitura

Indíce
  1. 1. Consequências
  2. 2. Qual o peso máximo
  3. 3. Como reduzir?

Muitos problemas de postura, em particular na coluna, têm origem na infância e na adolescência, altura em que o corpo está a desenvolver-se. Uma das principais causas é o peso da mochila escolar.

Livros, cadernos, material para várias disciplinas e equipamentos desportivos são transportados às costas pelos mais novos e nem sempre da forma mais correta.

Esta é uma situação observada em muitos alunos. Diferentes estudos referidos pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) indicam que mais de metade das crianças e jovens em idade escolar, dos 6 aos 18 anos, transportam mochilas com peso excessivo.

Conheça os danos que daí podem resultar e perceba o que pode fazer para garantir que os seus filhos cresçam sem dores nas costas.


menino a colocar livros na mochila da escola

Peso excessivo das mochilas escolares: principais consequências

O peso excessivo nas mochilas escolares é uma questão preocupante, porque as crianças e os jovens ainda estão a desenvolver-se, ficando mais vulneráveis a lesões, como a escoliose.

É durante a puberdade que ocorre o pico da taxa de crescimento, segundo um estudo realizado pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, que analisou os 'Efeitos da sobrecarga das mochilas escolares nas alterações posturais e de equilíbrio'.

De acordo com essa análise, o crescimento dos membros superiores e inferiores termina aos 16 anos nas mulheres e aos 18 nos homens, mas a maturidade das vértebras só fica completa por volta dos 25 anos. Por isso, até esta idade, existe uma maior probabilidade de se desencadearem problemas músculoesqueléticos.

O mesmo estudo refere que o stress físico diário associado à utilização de mochilas causa uma inclinação significativa da cabeça e do tronco, o que pode provocar dor e incapacidade nas crianças. Se tal persistir ao longo de muitos anos, pode causar condições crónicas nas costas, que podem prolongar-se até à idade adulta.

Assim, as consequências do peso excessivo na mochila são:

  • A curto prazo: dores de costas e de pescoço;
  • A médio prazo: alterações na forma de andar e na postura;
  • A longo prazo: lesões degenerativas da coluna que alteram o crescimento do corpo.

O problema está só no que se coloca na mochila?

O peso das mochilas escolares não é, contudo, a única ameaça para as costas e postura dos mais novos. A Direção-Geral da Saúde identifica, ainda, outros fatores:

  • Formato da mochila;
  • Usar a mochila apenas num ombro;
  • Más posturas;
  • Mobiliário escolar pouco adequado;
  • Atividade desportiva inadequada (tipo de prática ou excesso de exercício).

mãe ajuda a filha a colocar a mochila às costas

Qual é o peso máximo recomendado para as mochilas escolares?

Segundo as recomendações da Organização Mundial da Saúde, as crianças e jovens em idade escolar não devem transportar mochilas que pesem mais do que 10% do seu peso corporal. Isto é, se pesar 35 quilos, não deve carregar mais do que 3,5 quilos na mochila.

Esta proporção não pode, contudo, ser aplicada a todos os casos. Em situações de obesidade, o peso da mochila tem de ser inferior a 10%.

Além disso, há que ter em conta o tempo que a criança carrega a mochila e o modo como o faz. Se a criança vai a pé para a escola, o peso deve ser ainda menor.


Como reduzir o peso da mochila escolar

Para evitar que as crianças e os jovens sofram de dores na coluna e pescoço ou lesões mais sérias e permanentes, é aconselhável que os pais e encarregados de educação adotem algumas medidas para reduzir o peso da mochila. Estas dicas podem ajudar:

1. A mochila não deve pesar mais do que 10% do que o peso corporal do aluno. Esta proporção deve ser inferior nas crianças e jovens com excesso de peso;

2. Se possível, optar por mochilas de rodinhas, mas não devem ser colocadas nas costas, porque a estrutura do trólei também pesa;

3. Levar apenas o material necessário para aquele dia;

4. Usar dossiês em vez de cadernos. Assim, as folhas vão sendo arquivadas em casa e o peso é reduzido;

5. Recorrer, sempre que possível, aos cacifos das escolas para guardar material.

Além destes cuidados, há que também prestar atenção à forma como o material escolar é acomodado na mochila e como esta é transportada, pois estes fatores também podem influenciar as alterações na postura. Eis algumas estratégias úteis:

1. Distribuir bem o material escolar na mochila, colocando o mais pesado junto às costas;

2. Usar a mochila na parte média das costas;

3. Carregar a mochila às costas o mínimo de tempo possível;

4. Utilizar as duas alças da mochila, uma em cada ombro.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Política de Privacidade