Ligamos
grátis
mulher triste a olhar pela janela

Como lidar com a pandemia: guia de sobrevivência

7 mins. leitura

O contexto de pandemia em que o mundo vive desde o início de 2020 tem sido um enorme desafio para a generalidade da população mundial.

O convívio com uma doença nova como esta e as ações de saúde pública implementadas, tais como o distanciamento social e o confinamento, podem provocar uma sensação de isolamento e solidão, contribuindo para aumentar os níveis de stress e ansiedade em cada um de nós.

No entanto, tendo em conta que estas ações são necessárias para evitar a propagação da Covid-19, adotar as medidas recomendadas de proteção contra o vírus e aprender a lidar com o stress de uma forma saudável tornar-nos-á a todos mais fortes, tanto do ponto de vista individual, como em termos de comunidade.


Minimizar o impacto da pandemia

O stress e suas consequências

Em algumas pessoas, o stress durante uma situação de pandemia pode ter várias consequências:

  • Medo e preocupação com a própria saúde e a dos seus entes queridos, a situação financeira ou emprego, ou a perda dos serviços de apoio de que depende;
  • Mudanças nos padrões de sono ou da alimentação;
  • Dificuldades em dormir ou em concentrar-se;
  • Agravamento dos problemas de saúde crónicos;
  • Agravamento dos problemas de saúde mental;
  • Aumento do consumo de tabaco, e/ou álcool, e outras substâncias.

A forma como cada pessoa responde ao stress durante a pandemia pode depender de vários fatores, nomeadamente:

  • Da história de vida pessoal;
  • Do tipo de apoio da família e amigos;
  • Da situação financeira;
  • Dos antecedentes emocionais e de saúde física;
  • Da comunidade onde vive;

Como lidar com a pandemia: adapte-se à nova realidade

A necessidade de adaptar os comportamentos diários à realidade de uma pandemia como a atual exige que cada pessoa esteja consciente de que está a proteger-se a si própria e, também, aos outros.

É importante procurar atividades que aumentem o bem-estar e, em simultâneo, minimizem o risco em todas as situações.

Nesta tarefa de adaptação à nova realidade, há três passos importantes para ajudar a ultrapassar as dificuldades:

  • Comprometa-se!
    Cada um de nós deve ter sempre presente que é parte da solução para ultrapassar a situação atual. Usar máscara, lavar as mãos com frequência, manter o distanciamento social e respeitar as regras de confinamento, por exemplo, são o seu contributo precioso para se proteger a si e aos outros.
  • Repita!
    Muitos dos nossos comportamentos têm de ser repetidos até se tornarem num hábito e serem feitos sem esforço. Portanto, a solução não é desistir, mas sim repetir.
  • Tenha sempre à mão um kit de higienização!
    Para evitar os esquecimentos, nada como ter sempre à mão, desinfetante e máscara (na mala, no carro, na entrada da casa). Isso vai tornar-se num hábito positivo e não numa obsessão.

Se já esteve doente

Os tempos atuais são marcados pela incerteza, dúvidas e preocupações. Mesmo quem já esteve infetado com o novo coronavírus e recuperou, pode continuar a viver com receios que lhe causam desconforto, stress e ansiedade.

Saber se é seguro estar com outras pessoas, por que razão não consegue deixar de pensar na doença, ou se não seria suposto sentir-se totalmente recuperado(a), são questões frequentes.

Voltar ao "normal" pode, aliás, demorar semanas ou meses, pelo que é importante estar preparado para viver com alguns sintomas físicos mais persistentes.

Por outro lado, uma vivência com a Covid-19 extremamente stressante pode deixar marcas psicológicas, como o receio de estigmatização, medo e insegurança, tristeza e frustração por ainda não conseguir fazer algumas tarefas, pesadelos, lembranças e pensamentos recorrentes, entre outras.

A recuperação deve, no entanto, ser encarada como um momento de alegria e celebração, vivida em simultâneo com os necessários cuidados com a saúde física e psicológica.

Eis algumas sugestões para conviver da melhor forma com a sua recuperação:

  • Aceite os avanços e recuos da recuperação.
    Procure aceitar que a recuperação leva o seu tempo e que podem ocorrer avanços e recuos na forma como se sente.
  • Aceite que esteve doente e está agora em recuperação.
    Se tiver vontade, chore. Viva um dia de cada vez. Faça atividades que sinta que podem ajudar nos momentos mais difíceis (ver filmes, ler, etc.).
  • Descanse o máximo que lhe for possível.
    Não tenha pressa em recuperar. Mais importante do que recuperar rápido é recuperar bem.
  • Dê um passo de cada vez.
    Retome a sua vida normal começando por pequenas decisões ou tarefas menos exigentes. Estabeleça com o seu patrão um plano de retorno à atividade profissional em conformidade com as recomendações médicas.
  • Retome os contactos.
    Permita que os outros se preocupem consigo e o(a) apoiem. Retome os contactos com familiares, amigos e colegas que lhe transmitam confiança e junto de quem possa expressar abertamente os seus pensamentos.
  • Partilhe a sua experiência,
    Se não for desconfortável para si, procure partilhar a sua experiência com outros. Ajude-os e sinta que a sua experiência é útil para que eles se sintam melhor.
  • Utilize o humor.
    O humor em relação ao que viveu ajuda a controlar melhor os pensamentos e sentimentos, alivia tensões, contribui para diminuir o stress e a ansiedade, aumentando o bem-estar.
  • Relaxe.
    Reserve, todos os dias, momentos de relaxamento para si e para a sua família. Ouça música de olhos fechados, utilize técnicas de relaxamento ou outra atividade que o(a) acalme. Realize atividades que lhe deem prazer.
  • Peça ajuda.
    Não tenha medo de pedir ajuda numa fase difícil como esta. Pedir ajuda é um ato de coragem e não de fraqueza. Pode, por exemplo, ligar para a Linha de Aconselhamento Psicológico do SNS24 ou procurar um psicólogo.

Evite os exageros

A sensação de vulnerabilidade perante o novo coronavírus, a constante proliferação de notícias nos órgãos de comunicação social, o inundar de informações falsas nas redes sociais e as restrições à nossa vida habitual impostas pelo Estado de Emergência podem conduzir a uma situação de medo exagerado.

Para a manutenção de uma boa saúde psicológica, é, por isso, fundamental que cada pessoa desenvolva estratégias que lhe permitam regular a ansiedade e combater os exageros no comportamento diário.

Seguem-se alguns conselhos que deve seguir:

  • Consulte apenas informação credível sobre a doença, disponibilizada pelas fontes oficiais;
  • Não pesquise informação mais do que uma ou duas vezes por dia. É mais do que suficiente.
  • Procure as boas notícias, nomeadamente, sobre pessoas que recuperaram. Foque-se no positivo e não no negativo.
  • Controle os seus pensamentos automáticos (por exemplo, "será que toquei em algum objeto contaminado?", "será que lavei corretamente as mãos?", "será que as autoridades nos estão a enganar ou a esconder informação?").
  • Evite comportamentos de 8 ou 80 (por exemplo, lavar as mãos frequentemente não significa fazê-lo de cinco em cinco minutos).
  • Concentre-se no que pode controlar.
  • Procure ajuda sempre se estiver a sentir demasiado ansioso ou com um medo exagerado.

O que fazer em situação de isolamento

As situações de isolamento, ou mesmo as de confinamento, contribuem para evitar a propagação do vírus, mantendo a sua segurança e a dos outros.

Se estiver a experienciar uma situação de isolamento deve:

  • Manter-se informado e compreender o risco, mas evite expor-se a notícias que possam aumentar a sua ansiedade e preocupação.
  • Pedir ajuda para se sentir seguro e confortável.
  • Manter o contacto com amigos e familiares. Seja por telefone, e-mail ou redes sociais, falar com pessoas de quem gosta é uma das melhores formas de reduzir a ansiedade.
  • Realizar atividades de que gosta e relaxar. Leia, veja filmes ou séries, faça coisas para as quais não costuma ter tempo.
  • Mantenha as suas rotinas e atividades habituais sempre que possível. Levante-se à hora normal, vista-se e faça as suas refeições no horário normal.
  • Faça exercício físico (exercícios simples no chão, dança, ioga).
  • Tenha uma alimentação equilibrada.
  • Lembre-se de que tal como lidou com situações difíceis no passado, também vai ser capaz de lidar com esta.
  • Mantenha uma atitude positiva.

Alimentação

Embora não existam, ainda, grandes evidências científicas acerca da relação entre o novo coronavírus e a alimentação, é certo que um estado nutricional e de hidratação adequados contribuem, de um modo geral, para um sistema imunitário adequado e uma melhor recuperação das pessoas doentes.

Por outro lado, o isolamento preventivo devido à Covid-19 pode contribuir para alterações no comportamento de compra e de consumo de alimentos.

Numa situação de isolamento, é muito importante um planeamento adequado dos alimentos a adquirir, de forma a otimizar a ida ao supermercado – evitando deslocações repetidas – e a evitar o açambarcamento desnecessário.

Para o planeamento das compras, a pessoa deve fazer uma lista de compras devidamente organizada. Para a elaboração desta lista deve seguir os seguintes passos:

  1. Verificar os alimentos que tem disponíveis em casa;
  2. Calcular que refeições pode ainda preparar com os alimentos que tem em casa;
  3. Verificar que alimentos necessita de comprar adicionalmente para as refeições que ainda estão em falta;
  4. Planear as refeições que vai fazer usando os alimentos que tem em casa;
  5. Depois de planear as refeições que pretende, faça a lista de compras.

No momento da compra, é importante que:

  • Adquira apenas o que precisa;
  • Opte por alimentos que tenham um prazo de validade mais longo;
  • Garanta que o seu cesto de compras tem um bom equilíbrio entre alimentos com menor e maior durabilidade;
  • Prefira alimentos de elevado valor nutricional;
  • Assegure a compra de produtos frescos, como frutas e hortícolas, preferindo os de maior durabilidade e/ou produtos congelados para o caso dos hortícolas;

Entre os alimentos de maior durabilidade e valor nutricional estão, por exemplo:

  • Cereais de pequeno-almoço;
  • Pão;
  • Cenoura, cebola, courgette, abóbora, brócolos, couve-flor, feijão verde, produtos hortícolas congelados;
  • Maçã, pêra, laranja, tangerina;
  • Ovos;
  • Conservas de peixe;
  • Peixes congelados;
  • Peixe fresco (que deve ser consumido em 2/3 dias após a compra);
  • Carne congelada;
  • Carne fresca (que deve ser consumida em 2/3 dias após a compra);
  • Leguminosas secas ou em conserva (soja, ervilhas, feijão, lentilhas, grão de bico, fava);
  • Leite;
  • Água;
  • Frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelãs);
  • Café;
  • Tomate pelado;
  • Compotas.

Para seguir uma alimentação saudável durante este período de pandemia, é recomendável:

  • Comer mais fruta e hortícolas;
  • Beber água ao longo do dia e sem açúcar;
  • Coma feijão, grão e ervilhas;
  • Manter as rotinas diárias saudáveis, evitando snacks com excesso de açúcar e sal ao longo do dia;
  • Siga os princípios da Roda dos Alimentos.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:
Ver mais