Novas adesões +351 211 165 540
Apoio ao cliente +351 219 441 113
Como manter a saúde mental

Como manter a saúde mental durante o isolamento

5 mins. leitura

Preservar a saúde mental em isolamento pode ser um desafio. Psiquiatras e outros especialistas têm alertado para as consequências psicológicas da quarentena, em particular nos indivíduos que já sofrem de problemas psiquiátricos.

Além do confinamento, o afastamento físico dos entes queridos, a perda de liberdade, a incerteza em relação ao futuro e a monotonia podem levar a situações limite, como o suicídio ou a violência (contra si ou contra outros). Assim, perceba o que pode e deve fazer para manter a saúde mental em isolamento.


Saúde mental em isolamento: um bem essencial

Entre os vários desafios que o novo coronavírus trouxe está a incerteza em relação a tudo, nomeadamente ao futuro. Essa circunstância cria instabilidade, confusão, preocupação e tristeza em todos, particularmente em pessoas com um perfil mais ansioso.

Por essa razão, é natural que, neste contexto, alguns quadros depressivos se possam agravar.

Portanto, tenha ou não algum transtorno psiquiátrico, deve adotar algumas medidas para conservar a saúde mental em isolamento.


Dicas para cuidar da saúde mental em isolamento


1. Aceite os seus sentimentos e emoções

Como já dissemos, nesta situação, é natural sentir-se deprimido, nervoso, confuso, angustiado, assustado ou, mesmo, revoltado, entre outros sentimentos negativos. Em vez de reprimir estas emoções, é importante falar sobre elas e verbalizá-las. Isso ajudará a exteriorizar os sentimentos e a tranquilizar-se.

2. Não ceda à solidão

Estar em isolamento não significa que não possa contactar por meios não presenciais com os seus amigos e familiares. Use as redes sociais e as chamadas ou videochamadas para ir falando e vendo as pessoas de quem mais gosta.

3. Cuide de si

Comer bem, dormir e praticar exercício são 3 passos essenciais que em muito contribuem para o seu bem-estar físico e mental. Deve evitar fumar ou beber álcool, pois isso não ajudará em nada a lidar com os sentimentos negativos suscitados por esta situação de isolamento.

4. Modere o consumo de notícias

Deve limitar o tempo dedicado a ouvir notícias, nomeadamente sobre o novo coronavírus. Além disso, não se esqueça de filtrar a informação que consome e centrar-se nas notícias que usam fontes oficiais, como a Organização Mundial de Saúde, o Serviço Nacional de Saúde ou a Direção-Geral da Saúde.

5. Planeie atividades estimulantes e prazerosas

Se está com tempo livre, aproveite para fazer aquilo de que mais gosta e para que não costuma ter tempo. Ler, ver filmes, dançar, pintar, escrever... são apenas algumas das tarefas que podem ocupar produtivamente o seu dia e, também, a sua mente.

6. Tenha rotinas

Crie um horário, como se estivesse a trabalhar. Defina horas para se levantar e para se deitar. Almoce e jante a horas adequadas. Isso vai ajudar a manter a sua mente disciplinada e a respeitar o seu ritmo biológico.

7. Procure ter uma atitude positiva

Esta é, talvez, uma das medidas mais difíceis de adotar, mas é realmente muito importante. Confie nos organismos oficiais e nas recomendações que eles transmitem.

Viaje até ao passado e recorde momentos difíceis que também foi capaz de ultrapassar. Recorra a técnicas que o ajudem a ganhar mais confiança e motivação. Isso é fundamental!

8. Esteja atento às crianças e aos idosos

O isolamento é ainda mais difícil para os mais novos e para os mais velhos, por isso, é preciso ter um cuidado especial com estas faixas etárias. Mantenha as crianças ativas e estimuladas com atividades físicas e didáticas, adequadas à idade.

Quanto aos séniores, vá mantendo o contacto telefónico e incentive-os a realizarem algumas tarefas benéficas para o seu corpo e mente.

9. Peça ajuda, se precisar

Pedir ajuda nunca é motivo de vergonha, nem muito menos sinal de fraqueza. Portanto, se sente que não está a conseguir lidar com os seus sentimentos e emoções, nem com esta circunstância de isolamento, contacte um profissional de saúde habilitado para o auxiliar. Há vários psicólogos e psiquiatras disponíveis através de vídeo-consulta online.

10. Esteja atento ao seu corpo

Mais do que nunca é importante ser vigilante em relação à sua saúde. Portanto, se detetar sintomas compatíveis com a COVID-19, mantenha a calma, isole-se e contacte de imediato a linha de saúde 24 (808 24 24 24).


Cuidados especiais

Quem sofre de alguns distúrbios psiquiátricos deve ter cuidados redobrados nesta altura e manter um contacto próximo com o médico que o acompanha, pois pode haver a necessidade de fazer ajustes na medicação, por exemplo.

Existem ainda algumas patologias que se podem agravar neste contexto de isolamento e de pandemia:

Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)

Segundo os especialistas, quem sofre de transtorno obsessivo compulsivo fica particularmente vulnerável neste contexto.

Num momento em que é pedido um reforço das medidas de higiene, muitos dos pacientes com TOC podem começar a desenvolver novas obsessões ou a agravar aquelas que já têm, até porque 25% dos doentes com TOC já possuem obsessões com a limpeza e a higiene, lavando constantemente as mãos com receio de contaminações.

Toda esta circunstância pode intensificar esses comportamentos obsessivos e, por isso, é muito importante que estes indivíduos mantenham o contacto com o seu médico.


Ataques de pânico

Por um lado, o isolamento e, por outro lado, o medo do contágio pelo novo coronavírus podem potenciar a ocorrência de ataques de pânico, tornando-os cada vez mais frequentes, mesmo em pessoas que nunca os tenham tido.

O excesso de preocupação e receio gerado pela pandemia “abre caminho” a estas reações que, se não forem de imediato reportadas e vigiadas por um médico, podem evoluir e continuar a acontecer, mesmo depois da pandemia estar controlada.


Conclusão

Num momento em que a saúde física de todos nós está na ordem do dia, importa não esquecer as emoções e os sentimentos.

Preservar a saúde mental em isolamento é difícil, mas possível. Para isso, é preciso ser disciplinado e entender que ter uma rotina saudável é tão importante para o cérebro, como lavar as mãos é importante para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

Nesta fase, mais do que nunca, é imperativo cuidarmos de nós e dos nossos, seguindo a máxima de “corpo são em mente sã”. Portanto, se sente que não está a conseguir fazê-lo, recorra aos muitos profissionais de saúde que, através de vídeo-consultas, estão ao dispor para o ajudar.

Partilhe este artigo:
Artigos relacionados:
Ver mais

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.