Erros mais comuns na utilizacao de máscaras

10 erros mais comuns na utilização de máscaras

5 mins. leitura

Segundo a Lei de Bases da Proteção Civil, no passado dia 03 de maio, o nosso país transitou de um Estado de Emergência para uma situação de calamidade. Esta mudança surgiu a par de um plano de desconfinamento que vai ser implementado em 3 datas (04 de maio, 18 de maio e 01 junho).

Essas fases correspondem a um desconfinamento cada vez maior, que se irá traduzir na abertura de cada vez mais serviços e espaços.

Porém, as medidas de higiene, segurança e contenção que conhecemos e aplicámos até agora devem e têm de continuar a ser postas em prática, de modo a evitar um aumento da transmissão do novo coronavírus. Entre essas medidas de proteção está o uso de máscara e é sobre isso que lhe vamos falar.


Erros na utilização de máscaras: o que não deve mesmo fazer

De acordo com as medidas gerais do plano de desconfinamento, desde o dia 04 de maio, é obrigatório o uso de máscara em transportes públicos; escolas; comércio e outros locais fechados com múltiplas pessoas.

Isso significa que todos nós devemos habituar a utilizar este acessório, a pô-lo e a retirá-lo da forma mais correta, de maneira a que ele seja seguro e eficaz para nós e para os outros.

Independentemente de serem máscaras cirúrgicas ou comunitárias, a forma de colocação e remoção das máscaras é semelhante e deve ser rigorosamente cumprida, de forma a que estejamos, realmente, a proteger-nos de uma possível contaminação pelo novo coronavírus.

Se, à primeira vista, pôr e tirar uma máscara possa parecer uma tarefa fácil, isso pode não ser exatamente assim, caso tenhamos em consideração o facto de que essa máscara pode estar contaminada com o novo coronavírus.

Portanto, atente nos erros que deve mesmo evitar e perceba como usar a máscara de proteção, corretamente.

1. Usar a máscara apenas a tapar a boca

Uma máscara que só cubra a boca não é eficaz, pois não o protege nem a si, nem aos outros, visto que o nariz também é um possível canal de entrada e saída de partículas virais. Além disso, tocar com o nariz na própria máscara, pode ser uma forma de contaminação, se a máscara possuir germes ou outras gotículas.


2. Deixar que a máscara contacte com outras partes do nosso corpo ou objetos

Basicamente, se a parte interna da máscara (que vai estar em contacto com o nosso nariz e boca) tocar numa zona do nosso corpo contaminada pelo vírus (como o cabelo, a testa, o queixo, o pescoço, as mãos,...), isso significa que o interior da máscara irá levar ao nariz e à boca gotículas virais, potenciando a infeção.

Logo, andar com a máscara pendurada ao pescoço ou fixa no queixo (ainda que por pouco tempo) não é seguro.


3. Ter uma máscara demasiado larga

Independentemente do tipo (cirúrgica ou comunitária), a máscara não deve ficar demasiado larga, de modo a dificultar a entrada de bactérias e germes pelas folgas laterais ou mesmo pela zona do nariz.

Assim, ela não deve apertar, mas também não deve ficar folgada ao ponto de escorregar ou cair. Deve sentir-se confortável, sem subestimar as questões de segurança.


4. Tapar só a ponta do nariz com a máscara

Como já referimos, é importante que a máscara cubra não só a boca como uma parte significativa do nariz (não apenas a sua extremidade). Ela deve tapar a própria cana do nariz, caso contrário irá permitir a entrada de ar, impurezas e gotículas virais.


5. Não cobrir o queixo

Para uma proteção mais eficaz e uma melhor fixação da máscara ao rosto, ela deve terminar na zona do queixo, formando uma espécie de zona de encaixe, evitando as folgas que permitem a entrada de gotículas.


6. Não limpar a máscara reutilizável

O facto de uma máscara ser reutilizável, não significa que não a deva higienizar correta e regularmente.

As máscaras de tecido podem ser lavadas na máquina de lavar a roupa (de preferência a 60ºC) ou numa bacia com água a ferver e um pouco de detergente ou sabão.

Contudo, o mais prudente é seguir sempre as recomendações do fabricante de cada tipo de máscara.


7. Não pousar a máscara sobre superfícies que não estejam descontaminadas

Para lavar os dentes, beber água ou comer, é natural que tenha de retirar a máscara e pousá-la em algum local.

Contudo, o ideal é que tenha sempre consigo um saco de transporte, devidamente esterilizado, para a colocar. Caso contrário, deve sempre pousá-la ou guardá-la numa superfície que tenha a certeza que foi devidamente desinfetada.


8. Não trocar a máscara com a devida frequência

Dependendo do nível de humidade da zona interna da máscara, este acessório deve ser trocado após 2 a 6 horas de uso. Por isso, por exemplo, caso tenha de enfrentar um dia de trabalho de máscara, deve considerar usar 2 a 4 máscaras.


9. Tocar no exterior da máscara com as mãos

Um dos erros mais graves, mas também mais comuns, é mesmo o de tocar com as mãos na zona exterior da máscara e é fácil perceber por que é um erro crasso. Se a parte externa da máscara estiver contaminada, ao tocar nela, as nossas mãos vão também ficar imediatamente contaminadas.

A partir daí o processo de contágio torna-se muito mais provável para nós e para os outros.


10. Não pôr nem tirar corretamente a máscara

Não lavar as mãos antes e depois de pôr a máscara e de a tirar são alguns dos erros que, habitualmente, são cometidos no momento de proceder à colocação ou remoção da máscara.

Além disso, trocar o lado interno pelo externo também é um erro regular e que deve ser evitado.

Finalmente, apesar das máscaras cirúrgicas e comunitárias se colocarem do mesmo modo, o seu fim deve ser distinto. É que enquanto as primeiras são descartáveis, as segundas podem ser laváveis. Mas, sobre isto, falaremos mais em pormenor de seguida.


Como colocar e retirar corretamente a máscara

Apontados os erros na colocação, manuseamento e remoção da máscara, importa explicar como, então, deve ser levado a cabo todo este processo que, para muitos, passou a ser uma rotina diária. Importa lembrar que, segundo a Organização Mundial da Saúde, o uso incorreto da máscara pode acarretar mais riscos para a saúde do que não a usar de todo.

Para que ela seja segura, protetora e eficaz, desde que a coloca até que a retira, deve seguir os próximos passos:

  1. Lavar bem as mãos, antes de pôr a máscara.
  2. Colocar o lado branco (interno) da máscara virado para a cara e ajustar bem, tapando tanto a boca como o nariz, ajustando a máscara acima ao nível dos ossos nasais e por baixo 1. do queixo.
  3. Quando quiser retirar, deve novamente lavar bem as mãos.
  4. Remover a máscara, segurando apenas os elásticos.
  5. Descartar a máscara (se for descartável) ou lavá-la (se for reutilizável).
  6. Finalizar, lavando novamente as mãos.

Nota: Segundo a Direção-Geral da Saúde, a máscara pode promover uma falsa sensação de segurança em quem a usa. Isto é, há pessoas que, utilizando máscara, não cumprem o distanciamento social, por exemplo, o que é um erro que deve ser evitado ao máximo.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados: