exemplos de alimentos bons para a memória

Conheça alguns alimentos bons para a memória e cuide da sua saúde

4 mins. leitura

No nosso quotidiano existem vários alimentos bons para a memória, sendo que a este nível, a estratégia é seguir uma dieta que inclua frutas, vegetais, legumes e cereais integrais. Privilegie as proteínas de origem vegetal e do peixe e aposte em gorduras saudáveis, como é o caso do azeite, em vez de gorduras saturadas.


Alimentos bons para a memória

De acordo com um artigo publicado na Harvard Health Publishing, “os melhores alimentos para o cérebro são os mesmos que protegem o coração e os vasos sanguíneos”, tais como os vegetais de folhas verdes, peixes gordos, frutos vermelhos e nozes. O chá e o café, por conterem cafeína, também são apontados como tendo um efeito positivo na concentração e memória.

Em seguida poderá ver uma lista com alguns alimentos bons para a memória que pode incluir no seu dia a dia.

exemplos de alimentos bons para a memória

Peixes gordos

Salmão, atum, truta, arenque e sardinha são alguns dos peixes ricos em ómega-3, um ácido gordo essencial, que melhora o desempenho cognitivo e a memória.

O ómega-3 ajuda, ainda, a reduzir o colesterol e promove o aumento da eficiência dos recetores de serotonina no cérebro, contribuindo para um melhor humor.


Vegetais de folhas verdes

Couves, espinafres e brócolos são alimentos ricos em vários nutrientes importantes para o bom funcionamento do cérebro, como a vitamina K, luteína, ácido fólico e betacaroteno, nutrientes que ajudam a retardar o declínio cognitivo.


Abacate

Fonte de gorduras monoinsaturadas, ómega-3, ómega-6, potássio, vitamina E e vitamina K, o abacate auxilia na proteção dos danos provocados pelos radicais livres (moléculas que têm um efeito nocivo no organismo), assim como no desenvolvimento das capacidades cognitivas.


Frutos vermelhos

Os flavonoides, os pigmentos naturais que dão a estes frutos uma aparência brilhante, contribuem para uma boa memória.


Tomate

Rico em fisetina, um flavonoide vegetal que contribui para uma melhoria significativa da memória, este fruto possui licopeno, um antioxidante que protege as células dos danos causados pelos radicais livres, ajudando, também, na prevenção do cancro e no combate ao envelhecimento precoce.


Chocolate negro

Igualmente rico em flavonoides, este alimento possui ainda catequinas e epicatequinas, substâncias que têm ação antioxidante e que contribuem para melhorar a capacidade de aprendizagem e memória.

Acredita-se que o chocolate negro possa ajudar na prevenção das doenças como Alzheimer e Parkinson.


Leite

O triptofano, um aminoácido presente no leite, é essencial para a produção de serotonina, molécula que regula as áreas cerebrais responsáveis pelo comportamento alimentar e pelo humor.

Esta substância ajuda também a melhorar o desempenho do cérebro e a capacidade de memória, bem como conduz a um sono tranquilo, o que é fundamental para a preservação da informação apreendida.


Ovo

Além da vitamina B12, o ovo contém acetilcolina, uma substância química que atua como neurotransmissor e que desempenha um papel importante na função de memorização do cérebro.


Nozes

Além de uma excelente fonte de proteína e de gorduras saudáveis, as nozes são ricas em ómega-3, um ácido gordo essencial, que melhora o desempenho cognitivo e a memória.


Chá e café

A cafeína presente nestas bebidas pode proporcionar, não só, um aumento da concentração de curto prazo, como também ajudar a consolidar a memória.


Estratégias para exercitar o cérebro e preservar a memória

Da mesma forma que fazemos exercícios para tonificar o corpo, é importante que também o cérebro seja exercitado.

Assim, para se manter em forma e combater a perda de memória, deve seguir estas dicas:


Dormir bem

Dormir bem é, provavelmente, o melhor que pode fazer pela sua memória. Um adulto necessita de sete a nove horas de sono para acordar descansado e recuperar as funções do sistema nervoso.

Dormir pouco causa diminuição da memória, da criatividade, bem como da capacidade crítica e da capacidade de resolver problemas.


Fazer anotações

Tirar notas durante uma reunião ou uma aula pode ser muito importante para o ajudar a memorizar, já que ao escrever e reler enquanto escreve está a multiplicar o número de vezes que o cérebro recebe a informação.

Isto é válido também para quaisquer outras atividades do dia a dia. Se não quer esquecer-se de algo, escreva e releia.


Aprender algo novo

Mesmo que tenha deixado a escola há muito, isso não significa que não possa continuar a aprender.

Pintar, tocar um instrumento, falar um novo idioma: o importante é estimular o cérebro a fazer novas conexões neuronais.


Relembrar

Tente fixar o que acabou de escrever ou reproduzir mentalmente o que alguém acabou de lhe dizer.

A letra de uma música, por exemplo, tente lembrar-se como é. Ao longo dos dias, vá “puxando a fita atrás”, por forma a fixar essas memórias.


Praticar atividade física

Caminhar, nadar ou correr são bons exercícios aeróbicos que aumentam a oxigenação do cérebro e ajudam a prevenir doenças.

O exercício físico contribui também para a diminuição do stress.


Ter uma vida social ativa

Estar com os amigos e com a família, conversar, divertir-se ajuda a relaxar e a diminuir o stress, e este estado de relaxamento estimula a aprendizagem e aumenta as capacidades de raciocínio e argumentação.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:
Ver mais