a importância de medir a tensão arterial

Tensão Arterial: o que saber para manter-se saudável

7 mins. leitura

O que é a tensão arterial?

A tensão arterial corresponde à força com que o sangue circula pelo interior das artérias do corpo e a consequente pressão que exerce sobre as paredes destas.

Esta pressão é normal e até fundamental para que o sangue atinja o seu destino, chegando a todos os tecidos e células do organismo.

A tensão arterial tem duas medidas:

  • Tensão arterial sistólica (máxima), que corresponde ao momento em que o coração contrai, enviado o sangue para todo o corpo;
  • Tensão arterial diastólica (mínima), que ocorre quando o coração relaxa para se voltar a encher de sangue.

Guia Prático Doenças Crónicas - Medicare

Há, contudo, uma série de fatores genéticos ou ambientais que podem provocar o aumento excessivo da pressão sanguínea, fazendo aumentar a tensão arterial. Quando essa pressão se encontra elevada de forma crónica, estamos perante um caso de hipertensão arterial.

Em estado saudável, o sangue flui com facilidade pelo interior das células, sem obstáculos no seu trajeto.

Se o sangue estiver sob pressão (tensão alta), o coração é obrigado a um maior esforço, o que pode levar a que a massa muscular e o volume deste aumentem (hipertrofia). Embora, inicialmente, isso não represente um problema, com o passar do tempo a situação pode conduzir a problemas cardíacos.

Em Portugal, a hipertensão é o mais importante fator de risco de acidentes vasculares cerebrais (AVC) e enfartes do miocárdio. Este facto deve-se à elevada percentagem de doentes cuja hipertensão não é controlada nem corrigida.


Controlar a Tensão Arterial

Aprender a “ler” a tensão arterial

A única forma de saber como está a sua tensão arterial é medindo-a. É, no entanto, necessário saber interpretar os resultados dessa medição.

A tensão arterial deve ser inferior a 120/80. Acima destes valores, aumenta o risco de doenças de coração ou de sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).

A hipertensão arterial é definida por graus, conforme os valores de pressão arterial encontrados, que informam da gravidade da doença e orientam a sua abordagem.

Os resultados da medição devem ser interpretados da seguinte forma:

  • Ótima: menos de 120 / menos de 80
  • Normal: 120-129 e/ou 80-84
  • Normal alta: 130-139 e/ou 85-89
  • Hipertensão (grau 1): 140-159 e/ou 90-99
  • Hipertensão (grau 2): 160-179 e/ou 100-109
  • Hipertensão (grau 3): > 180 e/ou > 110
  • Hipertensão sistólica isolada: > 140 e < 90

Para assegurar a sua fiabilidade, a medição deve ser realizada por um profissional de saúde.

Pode, no entanto, controlar a sua tensão arterial em casa, sobretudo se reage com ansiedade sempre que tem de se deslocar a um posto de saúde (a ansiedade aumenta a tensão arterial, pelo que, nalguns casos, há vantagens em fazer a medição em casa, num ambiente mais calmo e confortável).

A medição da tensão arterial deve, no entanto, ser feita com um aparelho fiável. Para garantir resultados rigorosos, siga os seguintes conselhos:

  • Evite medir a tensão após as refeições ou um esforço físico;
  • Descontraia e respire normalmente;
  • Repouse cerca de 15 minutos antes de realizar a medição;
  • Não consuma estimulantes (café, tabaco, etc.) até 30 minutos antes da medição;
  • Evite usar roupas apertadas quando estiver a medir a tensão;
  • Opte por medir a tensão no braço, pois é mais fiável do que no pulso;
  • Apoie o braço onde será feita a medição, colocando-o à altura do coração;
  • Faça 2 ou 3 medições e calcule a média;
  • Faça as medições sempre nas mesmas condições para poder comparar resultados, anotando os valores obtidos, o dia e a hora.

Hipertensão

A hipertensão, frequentemente, não tem sintomas, mas é perigosa. Por isso, é necessário controlar os níveis da tensão arterial com regularidade. Existem, no entanto, alguns sinais aos quais a pessoa deve estar atenta, pois podem indiciar tensão alta: tonturas, hemorragias nasais e dores de cabeça.

Por outro lado, a identificação da causa nem sempre é possível. Há, contudo, um conjunto de doenças que lhe estão associadas, nomeadamente a apneia do sono ou a doença renal crónica, entre outras.

De qualquer forma, existe uma série de fatores de risco que estão perfeitamente identificados e devem, por isso, ser tidos em conta:

  • Hereditariedade
  • Idade
  • Obesidade
  • Consumo exagerado de sal
  • Consumo exagerado de bebidas alcoólicas
  • Sedentarismo (pouca atividade física)
  • Tabagismo
  • Stress
  • Alimentação desadequada

Partindo do conhecimento sobre quais são os fatores de risco é, então, possível adotar um conjunto de comportamentos que permitem uma descida dos níveis de tensão arterial.

Eis alguns conselhos para quem sofre de hipertensão (e não só):

  • Pratique exercício físico regular, de preferência que envolva movimentos cíclicos, como natação, marcha, corrida ou dança.
  • Se for hipertenso, tenha cuidado com os esforços bruscos que aumentam a tensão arterial, como levantar pesos ou empurrar objetos pesados;
  • Opte por uma alimentação saudável e evite o sal, substituindo-o por condimentos alternativos, designadamente ervas aromáticas ou sumo de limão;
  • Evite os alimentos naturalmente salgados ou aos quais tenha sido adicionado sal, como são os casos dos enchidos, enlatados, refeições pré-preparadas, aperitivos ou águas minerais com gás;
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Se tiver excesso de peso, tente reduzi-lo com uma dieta moderada e prática de atividade física;
  • Coma frutas, legumes e saladas;
  • Tente reduzir o stress.

Nos casos de pessoas hipertensas, quando estes comportamentos saudáveis não são suficientes para baixar os níveis da tensão arterial, o médico irá prescrever medicação adequada às características do doente.


Tensão arterial no verão

No verão, com o calor, muitas vezes acompanhado pela redução da humidade do ar, a temperatura interna do corpo também sobe.

Para tentar reduzir este aumento da temperatura interna, o organismo transpira mais, ao passo que a redução da humidade faz com que gaste mais água na respiração.

A água perdida deve ser, por isso, reposta para manter o funcionamento normal do organismo. É, por isso, fundamental bebermos água (1,5 a 2 litros por dia).

Em caso de desidratação, ocorre uma redução do volume de sangue, dificultando a devida irrigação dos vários órgãos e tecidos corporais, que podem ficar comprometidos.

Por outro lado, para compensar a perda de volume sanguíneo, o organismo tenta reter uma maior quantidade de água e diminuir as suas perdas, reduzindo a produção de urina através da produção de uma hormona antidiurética.

Esta ação do corpo pode provocar hipertensão, pois a hormona antidiurética, além de diminuir a produção de urina, também reduz a eliminação de sódio, contribuindo para aumentar a sua concentração no sangue e, consequentemente, elevar o risco de hipertensão.

Não fica assim difícil adivinhar o que fazer em dias de calor:

  • Beba água e assegure, assim, uma boa hidratação. Se o fizer vai ajudar o seu corpo a manter o volume sanguíneo adequado e a fluidez do sangue, reduzindo o risco de hipertensão, além de inúmeros outros problemas de saúde.

Convém sublinhar, no entanto, que a água não deve ser substituída por outro tipo de bebidas, sobretudo as alcoólicas, pois o álcool tem um efeito diurético, que provoca o efeito contrário ao desejado. Ou seja, desidrata ainda mais o organismo.

Devem, também, ser evitados os refrigerantes devido à quantidade de açúcar que possuem. Embora contenham água, o seu consumo regular aumenta o risco de desenvolvimento de outras doenças, nomeadamente, excesso de peso e obesidade, diabetes e cáries, além de outros efeitos indesejáveis.

Quem não aprecia água, pode compensar a desidratação com a ingestão de chás e infusões.

No verão, é especialmente recomendado, também, o consumo de alguns alimentos que, além de água, possuem outros nutrientes importantes. Exemplos:

  • Fruta fresca
  • Vegetais frescos
  • Sopas
  • Sumos naturais de fruta
  • Leite

Tensão baixa

A hipotensão arterial é o oposto da hipertensão. Ela ocorre quando a pressão arterial desce a ponto de provocar sintomas como tonturas e desmaios.

Quando a tensão arterial é muito baixa não chega quantidade suficiente de sangue a todas as partes do corpo. Isto significa que as células deixam de receber oxigénio e nutrientes em quantidade suficiente e que os resíduos não são eliminados adequadamente.

Se a pressão arterial for mesmo muito baixa pode originar um choque e colocar a vida em risco, pois a redução do volume de sangue danifica os órgãos.

Pessoas saudáveis com pressão arterial baixa, mas ainda dentro dos limites normais, tendem a viver mais tempo do que as que têm uma tensão arterial mais alta, no limite do normal.

Habitualmente, a hipotensão arterial é causada por um ou mais dos seguintes fatores:

  • Desidratação
  • Hemorragia (perdas de sangue)
  • Doença renal
  • Arritmia
  • Bradicardia (frequência cardíaca baixa)
  • Taquicardia (batimentos cardíacos muito rápidos)
  • Problemas nas válvulas cardíacas
  • Ataque cardíaco
  • Certos distúrbios endócrinos como a doença de Addison
  • Reações alérgicas
  • Lesões na medula espinal
  • Certos medicamentos
  • Toxinas produzidas por bactérias durante certas infeções bacterianas graves
  • Fadiga
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas
  • Alimentação descuidada
  • Temperaturas altas
  • Gravidez

A prevenção é o melhor remédio para as tensões baixas. Entre as várias possibilidades, o consumo de água é uma das mais importantes para manter o corpo sempre devidamente hidratado. Além disso, é recomendável o exercício ou a atividade física.

Deve, ainda, evitar-se o calor demasiado, as roupas muito apertadas e as refeições “pesadas”.

Quando ocorre um episódio de tensão baixa, a pessoa deve deitar-se e elevar as pernas para aumentar o volume de sangue no cérebro e assim evitar o desmaio.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.
 
Condições
da campanha

Campanha Medicare

Silver Familiar


Se aceitar esta oferta, está a aderir ao Plano de Saúde Medicare Silver Familiar.
Termos e condições da campanha:


Acesso a Rede Médica Medicare (1)

Consultas, exames e/ou tratamentos médicos com descontos dos prestadores.
Consulte www.medicare.pt para mais informações sobre as condições.


Acesso a Rede de Medicina Dentária Medicare (1)

Consultas e tratamentos dentários com descontos dos prestadores.
Consulte www.medicare.pt para mais informações sobre as condições.


3 (três) atos dentários grátis (2):

Os seus dados pessoais são recolhidos e tratados no estrito cumprimento da legislação aplicável, sendo armazenados em bases de dados, próprias para o efeito e conservados durante o período de tempo necessário para assegurar a gestão adequada das obrigações, direitos e interesses associados à respetiva recolha. Nessa medida:

  • Check up dentário;
  • Limpeza dentária (destartarização);
  • Extração de dentes (3)

(1) A Medicare não é uma entidade prestadora de serviços de saúde.
(2) Estes atos/tratamentos gratuitos podem estar incluídos em planos de tratamentos dentários. Sujeito a confirmação junto do prestador de cuidados de saúde. Aconselha-se a realização de uma consulta de diagnóstico.
(3) Exodontia de dente decíduo, monorradicular ou multirradicular e supranumerário.


Oferta das mensalidades

Oferta das mensalidades referentes ao Plano de Saúde Medicare Silver Familiar pelo período de 6 (seis) meses a contar da data de subscrição, findos os quais, os benefícios associados, caducam automaticamente.


Custo dos serviços

Os serviços médicos prestados pelos Prestadores têm custo para o Cliente e/ou Beneficiário(s), com exceção dos atos médicos gratuitos ou sem custo associado, podendo os descontos e reduções ascender até 30% sobre o preço de tabela de cada Prestador. A percentagem de desconto acima referida é meramente indicativa não constituindo uma obrigação para todos os Prestadores da Rede Medicare, nem para a Medicare.


Beneficiários

Cada plano pode ter até 6 (seis) beneficiários, desde que subscritos na data de adesão à oferta. Só serão admitidos titulares do plano que nunca tenham aceite uma oferta Medicare.


O Plano Silver Familiar tem um custo de:

Campanha Medicare Silver Familiar
1 OU 2 BENEFICIÁRIOS S/ CUSTOS
3 OU 4 BENEFICIÁRIOS
5 OU 6 BENEFICIÁRIOS

Na consulta:

Deverá fazer-se acompanhar da respetiva credencial. Após a consulta, deverá efetuar o pagamento dos atos de que beneficiou de acordo com a tabela de preços acordada com a Medicare. A responsabilidade por todos os serviços acima descritos é dos Prestadores, não prestando a Medicare qualquer serviço de saúde.


Limite da campanha:

Esta campanha tem o limite de 300 ofertas por dia por cada distrito de Portugal.


Término da campanha:

Dada a situação atual da pandemia de COVID-19, a Medicare prolongou a campanha Medicare Silver Familiar. A campanha termina em 30 de Abril de 2021, e as ofertas podem ser utilizadas até à data de validade do plano subscrito pelo titular.

Para mais informações sobre as condições de adesão aos Planos Medicare, por favor consulte as Condições Gerais de Adesão ao Serviço Medicare.