senhora com dificuldade em expressar-se

Afasia: o que provoca este problema e como tratar?

4 mins. leitura

Indíce
  1. 1. O que é?
  2. 2. Causas
  3. 3. Tipos
  4. 4. Diagnóstico
  5. 5. Tratamento

A afasia, um distúrbio que afeta a capacidade de comunicação, surge, muitas vezes, na sequência de um AVC - Acidente Vascular Cerebral. A pessoa com afasia pode deixar, praticamente, de falar ou deparar-se com grandes dificuldades em manter um discurso coerente e percetível.

De acordo com o Instituto Português da Afasia, esta perturbação "mascara as competências de quem a apresenta", afetando a sua relação com os outros e as atividades diárias. Pode, por isso, influenciar a "inclusão e conexão social, o acesso a informações e serviços, a igualdade de direitos e o bem-estar na família, na comunidade e na cultura".


O que é a afasia?

A afasia é a perda parcial ou total da capacidade de se expressar e/ou de compreender a linguagem. A pessoa com afasia pode apresentar dificuldades em falar, ler, escrever ou em repetir palavras. No entanto, a sua inteligência não é afetada.

Este distúrbio resulta de danos nas áreas do cérebro responsáveis pelo processamento da linguagem.


pessoa a tentar escrever

Causas da afasia

Segundo o Instituto Português da Afasia, a principal causa deste distúrbio é o Acidente Vascular Cerebral (AVC), sendo que 20 a 40% dos casos resultam em afasia aguda.

Outras causas comuns são a existência de um tumor cerebral, um traumatismo cranioencefálico (TCE), uma encefalite (infeção cerebral) ou outro tipo de lesão cerebral.

No caso de doenças progressivas, como é o caso de um tumor cerebral em expansão, a afasia pode ir piorando progressivamente, conforme este se vai expandindo. Também a demência pode provocar uma afasia progressiva.


Tipos de afasia e sintomas mais comuns

Duas pessoas com afasia podem apresentar sintomas muito diferentes e com níveis de gravidade distintos, consoante a parte do cérebro que foi afetada.

Enquanto que umas se debatem, sobretudo, em compreender a linguagem escrita ou falada (afasias fluentes), outras têm mais dificuldades em expressar-se (afasias não fluentes).

As pessoas com afasias fluentes são capazes de falar com aparente facilidade, embora as frases criadas possam ser irreconhecíveis ou não fazer sentido para quem as escuta. No entanto, não entendem o que os outros dizem e não percebem o que leem.

Quem sofre de afasias não fluentes, tende a compreender melhor do que a falar ou escrever, mas tem um discurso lento, pouco articulado e produzido com grande esforço.

A afasia pode também afetar a capacidade de recordar e de dizer palavras e nomes.


ressonância magnética

Diagnóstico

O diagnóstico da afasia passa por uma avaliação médica, testes padronizados da função cerebral e por exames como a tomografia computorizada ou a ressonância magnética. Poderá ser necessária a realização de exames complementares, consoante o que se suspeita ter causado a doença.


Tratamento

O tratamento, normalmente, passa pelo recurso à terapia fonoaudiológica, ou terapia da fala, por forma a tornar a comunicação funcional. Quanto mais cedo se inicia a terapia, maiores são as possibilidades de sucesso.

Além da terapia, os amigos e família deverão ajudar a pessoa no seu processo de comunicação. Por exemplo, quando esta mostra dificuldade em expressar-se, deverá haver o cuidado de tentar ajudá-la a encontrar as palavras, seja apontando-lhe um objeto, fazendo desenhos, gestos ou escrevendo.

Quando a pessoa não recupera as noções básicas da linguagem, é possível fazê-lo por meio de um livro ou através de um telemóvel, por exemplo, ou ainda através de um caderno com imagens ou símbolos com as palavras mais utilizadas ou com a identificação das atividades diárias.


É possível prevenir a afasia?

Não há uma forma direta de prevenir a afasia, sendo importante prevenir as doenças que podem ter intervenção direta no seu aparecimento, como é o caso das doenças cerebrovasculares, nomeadamente o AVC.

A prevenção passa, neste caso, pela adoção de uma dieta equilibrada, a prática regular de exercício físico, evitar o tabaco bem como bebidas alcoólicas e ingerir pouco sal. Há que controlar o peso e a pressão arterial e prevenir, ou tratar, doenças como o colesterol e a diabetes, que são importantes fatores para o surgimento de acidentes vasculares cerebrais.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
Política de Privacidade