homem com mão no peito a tossir

Tuberculose: o que saber sobre esta doença contagiosa

4 mins. leitura, 2022

Indíce
  1. 1. Incidência
  2. 2. Sintomas
  3. 3. Diagnóstico
  4. 4. Tratamento
  5. 5. Prevenção

Existem três tipos de tuberculose, embora a mais comum seja a tuberculose pulmonar.

Na tuberculose extrapulmonar pode haver atingimento da pleura, meninges, gânglios linfáticos, pericárdio, ossos, rins, intestinos, fígado e da pele, entre outros órgãos, com exceção, exatamente, dos pulmões.

Já a tuberculose disseminada ou miliar acontece quando o bacilo de Kock atinge a circulação e todo o organismo pode ser afetado.

A bactéria Mycobacterium tuberculosis, ou Bacilo de Koch, é responsável por uma infeção que, apesar de ter tratamento, continua a ser um dos principais problemas de saúde pública.


Tuberculose: incidência e forma de contágio

A nível mundial, estima-se que surjam nove milhões de casos por ano, resultando em 1,5 a dois milhões de mortes.

Em Portugal, em 2018, registaram-se 16,6 casos de tuberculose por cada 100 mil habitantes.

A infeção transmite-se de pessoa para pessoa por via aérea, através de gotículas libertadas quando a pessoa infetada tosse, fala ou espirra.

Os bacilos inalados no ar vão instalar-se nos pulmões e, nessa altura, ou o sistema imunitário do organismo destrói os bacilos ou a infeção vai instalar-se.

Há situações em que o bacilo se mantém vivo no interior do organismo, mas fica inativo ou em estado latente, condição que pode durar anos ou mesmo a vida toda, nunca chegando a doença a manifestar-se.

médica a auscultar paciente mulher

Neste caso, os portadores do bacilo são saudáveis e não são contagiosos, mas há uma probabilidade maior de virem a contrair a doença, especialmente, nos dois anos após a infeção.

A possibilidade de infeção depende do sistema imunitário da pessoa, do número de gotículas que ficaram no ar e do tempo de exposição a estas.

As pessoas com baixa imunidade ou doenças autoimunes, como é o caso da SIDA (HIV), bem como outras populações mais vulneráveis, quer ao nível de saúde, quer em termos de condições higieno-sanitárias, têm maior propensão a desenvolver a doença.


Sintomas da tuberculose

Os primeiros sintomas da tuberculose são bastante discretos, levando a que a pessoa não se aperceba durante dias, semanas e até meses.

Febres baixas (até 37,5.ºC) que se manifestam ao final do dia, cansaço, falta de apetite, emagrecimento sem motivo aparente e suores noturnos são as queixas mais frequentes.

A tosse seca ou com expetoração (amarelada ou esverdeada e que pode conter sangue), é um dos sintomas que leva, muitas vezes, a suspeitar deste diagnóstico.

Nos doentes imunodeprimidos, os sintomas podem ser mais graves, mas também mais difíceis de diagnosticar, sendo, igualmente, mais difícil de tratar.

Perante o diagnóstico de tuberculose, a pessoa deve evitar o contacto com outras pessoas, sob pena de as contagiar. Em locais fechados e não ventilados, deve usar sempre máscara.

Cerca de duas semanas após o início da medicação, cujas tomas devem ser escrupulosamente cumpridas, o risco de contágio diminui.


radiografia do tórax

Diagnóstico

Havendo uma suspeita clínica de tuberculose pulmonar, é realizada uma radiografia ao tórax. Se a imagem for sugestiva de tuberculose pulmonar, é realizada análise das secreções obtidas através da tosse ou indução.

O teste cutâneo da tuberculina (prova de Mantoux) permite suportar o diagnóstico de tuberculose pulmonar, no entanto, não pode ser utilizado isoladamente para estabelecer o diagnóstico. Para o fazer, injeta-se na pele do antebraço uma pequena quantidade de tuberculina e, após três dias, a reação cutânea revela o resultado.

Se se verificar vermelhidão e uma pápula no local da injeção, o resultado é positivo, ou seja, considera-se que a pessoa teve contacto com o bacilo da tuberculose.

Depois, são feitas análises ao sangue para perceber se se trata de uma tuberculose latente ou se a doença está em curso.


Tratamento

O tratamento é feito com medicamentos administrados por via oral, pelo que, na grande maioria dos casos, é feito em regime de ambulatório, não obrigando a internamento.

A duração mínima do tratamento padrão é de seis meses, podendo ser superior a um ano em função dos órgãos atingidos, da gravidade da doença e da existência de outras comorbilidades. Num doente imunodeprimido, como é o caso dos portadores de VIH ou SIDA.

Sendo um tratamento longo, a grande dificuldade reside na adesão à terapêutica, sendo essencial que o esquema seja rigorosamente cumprido, para evitar o desenvolvimento de resistências à medicação.

O internamento pode ser necessário em caso de doença grave e da existência de outras complicações ou no caso de doentes sem condições socioeconómicas para cumprir o esquema terapêutico ou para tomar os cuidados necessários para evitar o contágio.


mulher no sofá a limpar o nariz

Prevenção

A vacina BCG é importante na prevenção das formas graves e disseminadas nas crianças, não evitando, no entanto, o contágio ou mesmo o desenvolvimento da doença.

Perante um caso confirmado de tuberculose, é imprescindível que se proceda ao rastreio dos contactos próximos dos doentes, nomeadamente, nos casos de tuberculose pulmonar ou das vias aéreas superiores.

Isto permite detetar e tratar novos casos e também diagnosticar outros que estejam em fase latente.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
Informação Adicional
sobre Proteção de Dados

Mediante o seu consentimento, os seus dados pessoais serão recolhidos, processados e armazenados informaticamente pela MED&CR - Sistemas de Gestão de Cartões de Saúde Unipessoal Lda. ("Medicare"), com sede na Rua Rodrigues Sampaio n.º 103, 1050-196 Lisboa, número de telefone 219 441 113, e-mail info@medicare.pt , enquanto entidade responsável pelo tratamento dos dados pessoais, nos termos e para os efeitos identificados na lei aplicável, incluindo o Regulamento UE 2016/679 (Regulamento Geral de Proteção de Dados/RGPD) para as finalidades de envio de comunicações de marketing e envio de informação comercial e promocional relativa a produtos e serviços da Medicare.

A informação fornecida será tratada de forma confidencial e utilizada para os fins acima descritos.

A Medicare guardará, tratará e comunicará, quando aplicável, os seus dados de identificação e contacto enquanto não retirar o seu consentimento, de forma a poder apresentar-lhe as promoções, serviços e condições que possam ser mais vantajosas.

Os seus dados poderão ser tratados diretamente pela Medicare ou por entidades por si subcontratadas para o efeito (e sujeitas a obrigações de privacidade e confidencialidade próprias), podendo os dados ser comunicados a autoridades legais e regulatórias, nos termos previstos e determinados por lei. Estas entidades estarão sedeadas dentro do território da UE.

Poderá a qualquer momento retirar o seu consentimento enviando um email para politica.privacidade@medicare.pt, o que não invalida, no entanto, o tratamento efetuado até essa data com base no consentimento previamente dado. Poderá a qualquer momento, através do e-mail disponibilizado, exercer os seus direitos legais de acesso, retificação, portabilidade, limitação do tratamento, esquecimento.

Poderá também exercer o seu direito de reclamação à Comissão Nacional de Proteção de Dados, se considerar que os seus direitos não estão a ser cumpridos.

Para mais informação sobre os termos de tratamento de dados pela Medicare, sugerimos que consulte a Politica de Privacidade, disponível em www.medicare.pt/politica-de-privacidade.