duas mãos entrelaçadas

Cuidados paliativos: o que são e quando são necessários

3 mins. leitura

Indíce
  1. 1. O que são?
  2. 2. Necessidade
  3. 3. Quando recorrer?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) refere os cuidados paliativos como uma intervenção multidisciplinar que melhora a qualidade de vida dos doentes - em situação de doença que implica risco de vida - e também das suas famílias.

Estes cuidados são sempre prestados por uma equipa multidisciplinar e, ainda segundo a OMS, são "uma abordagem que melhora a qualidade de vida dos doentes e familiares [e ajuda] a enfrentar os problemas associados a doenças que ameaçam a vida, através da prevenção e alívio do sofrimento por meio de identificação precoce, avaliação e tratamento correto da dor e outros problemas, físicos, psicossociais e espirituais”.

Em Portugal, a Lei n.º 52/2012 reconhece o direito e regulamenta o acesso das pessoas aos cuidados paliativos. Também define a responsabilidade do Estado e a criação da Rede Nacional de Cuidados, sob a alçada do Ministério da Saúde.


mulher acamada de mão dada com cuidadora

O que são os cuidados paliativos?

Os cuidados paliativos são cuidados de saúde globais e integrados que visam a melhoria da qualidade de vida dos doentes, família e cuidadores. Eles atuam pela "prevenção e alívio do sofrimento, através da identificação precoce, diagnóstico e tratamento adequado da dor e de outros problemas, sejam estes físicos, psicológicos, sociais ou espirituais", refere a OMS.

Estes cuidados personalizados colocam o doente no centro da ação. O objetivo não é curar a doença, mas tratar da pessoa doente. Ajudando-a a viver a sua vida e a lidar com a doença, atuando ao nível da prevenção da dor e do sofrimento, bem como outras complicações que surgem devido a uma doença grave, prolongada, que também pode ser progressiva.

O eixo principal é a dignidade da pessoa doente através de um "planeamento antecipado de cuidados, pelo que não antecipam, nem prolongam o processo de morte", de acordo com o Serviço Nacional de Saúde.

Os familiares e cuidadores são envolvidos neste plano de cuidados, capacitando-os e preparando-os para o processo de luto. Sem esquecer o direito à autonomia e decisão do doente.


idosa acompanhada por enfermeira

Quando são necessários?

Ainda que associados a idosos e a pessoas com doenças terminais, os cuidados paliativos são necessários em várias patologias e em várias idades, incluindo crianças. Entre os vários motivos e destinatários para recorrer a este tipo de cuidados, a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos destaca:

  • Malformações congénitas ou outras situações que precisem de suporte de vida ou apoio de longa duração para as atividades da vida diárias;
  • Qualquer doença aguda, grave e ameaçadora da vida que possa ter cura, mas o seu tratamento implica uma fraca qualidade de vida;
  • Doença crónica progressiva, tal como a doença vascular periférica, cancro, insuficiência hepática ou renal, entre outras;
  • Doença ameaçadora da vida;
  • Lesões crónicas e limitativas;
  • Doença em fase muito grave ou terminal, sem possibilidade de recuperação ou estabilização.

Quando se deve recorrer aos cuidados paliativos?

Muitas vezes associados à morte e a cuidados nos últimos dias de vida, a verdade é que os cuidados paliativos devem iniciar-se com o início da doença. Isto porque os doentes - familiares e cuidadores também - vão beneficiar de uma melhor qualidade de vida ao longo do avanço da doença e os profissionais vão ter mais tempo para planear uma abordagem global do tratamento e controlo de dor e sofrimento, onde se incluem também os cuidados curativos.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Informação Adicional
sobre Proteção de Dados

Mediante o seu consentimento, os seus dados pessoais serão recolhidos, processados e armazenados informaticamente pela MED&CR - Sistemas de Gestão de Cartões de Saúde Unipessoal Lda. ("Medicare"), com sede na Rua Rodrigues Sampaio n.º 103, 1050-196 Lisboa, número de telefone 219 441 113, e-mail info@medicare.pt , enquanto entidade responsável pelo tratamento dos dados pessoais, nos termos e para os efeitos identificados na lei aplicável, incluindo o Regulamento UE 2016/679 (Regulamento Geral de Proteção de Dados/RGPD) para as finalidades de envio de comunicações de marketing e envio de informação comercial e promocional relativa a produtos e serviços da Medicare.

A informação fornecida será tratada de forma confidencial e utilizada para os fins acima descritos.

A Medicare guardará, tratará e comunicará, quando aplicável, os seus dados de identificação e contacto enquanto não retirar o seu consentimento, de forma a poder apresentar-lhe as promoções, serviços e condições que possam ser mais vantajosas.

Os seus dados poderão ser tratados diretamente pela Medicare ou por entidades por si subcontratadas para o efeito (e sujeitas a obrigações de privacidade e confidencialidade próprias), podendo os dados ser comunicados a autoridades legais e regulatórias, nos termos previstos e determinados por lei. Estas entidades estarão sedeadas dentro do território da UE.

Poderá a qualquer momento retirar o seu consentimento enviando um email para politica.privacidade@medicare.pt, o que não invalida, no entanto, o tratamento efetuado até essa data com base no consentimento previamente dado. Poderá a qualquer momento, através do e-mail disponibilizado, exercer os seus direitos legais de acesso, retificação, portabilidade, limitação do tratamento, esquecimento.

Poderá também exercer o seu direito de reclamação à Comissão Nacional de Proteção de Dados, se considerar que os seus direitos não estão a ser cumpridos.

Para mais informação sobre os termos de tratamento de dados pela Medicare, sugerimos que consulte a Politica de Privacidade, disponível em www.medicare.pt/politica-de-privacidade.