médica a analisar exame aos pulmões

Cancro do pulmão: tudo o que deve saber

4 mins. leitura

O cancro do pulmão é o cancro mais frequente em todo o mundo e a principal causa de morte devido a doença cancerígena.

Embora o tabaco seja o principal fator de risco, há outros que podem contribuir para o seu aparecimento, nomeadamente, uma predisposição genética do indivíduo e exposição a carcinógenos.

A tosse persistente, no caso de pessoas com tosse crónica, ou uma alteração nas suas caraterísticas pode ser um sintoma comum.

Como qualquer cancro, o desenvolvimento de cancro do pulmão deve-se à multiplicação celular anormal e desregulada. A acumulação dessas células desordenadas dá origem a tumores malignos.

Desta forma, acabam por fixar-se noutras partes do corpo, onde novos tumores se desenvolvem (metástases).

No caso do cancro do pulmão, ele localiza-se na traqueia (órgão tubular da garganta por onde entra o ar), nos brônquios (vias respiratórias) ou nas bolsas de ar dos pulmões (alvéolos).

Quando se desenvolvem, aumentando de tamanho, as células desreguladas que originam o tumor associado ao cancro do pulmão acabam por invadir outras zonas do tórax ou passam para o sangue e atingem órgãos como o fígado, os ossos e o cérebro.


Compreender o cancro do pulmão

Fatores de risco

O principal fator de risco para o cancro do pulmão é, sem dúvida, o tabaco. Esta conclusão baseia-se no facto de que 85 a 90% dos casos surge em fumadores. Além disso, o fumo do tabaco possui cerca de cinco mil substâncias, das quais pelo menos 50 são capazes de provocar cancro.

Existe, porém, um conjunto de outros fatores externos que pode estar na origem do cancro do pulmão:

  • Fumar tabaco;
  • Tabagismo passivo;
  • Poluição atmosférica;
  • Radiação (mineiros em minas de urânio);
  • Exposição ao amianto;
  • Uso exclusivo de fogueiras para cozinhar ou aquecimento.

O risco de cancro do pulmão diminui nas pessoas que deixam de fumar, embora continuem sujeitas a um maior risco do que aquelas que nunca foram fumadoras.

Alguns estudos apontam, também, para determinadas doenças respiratórias que podem aumentar o risco de cancro do pulmão, designadamente as seguintes:

  • Tuberculose;
  • Silicose;
  • Fibrose pulmonar;
  • Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC);
  • Cancro da cabeça, pescoço ou esófago;
  • Linfoma ou cancro da mama (tratado com radioterapia torácica);
  • Todas as doenças que condicionem processos cicatrizantes.

Uma percentagem considerável das pessoas que desenvolve cancro do pulmão nunca fumou, ou fumou muito pouco, ou não teve qualquer doença de risco. Nesses casos, admite-se que as causas possam estar relacionadas com determinadas mutações genéticas.

Os genes podem, aliás, desempenhar um papel importante em alguns cancros do pulmão. Se houver história da doença na família, a probabilidade de desenvolvimento deste cancro é mais elevada, embora isso não seja igual para todas as pessoas.


Tipos de cancro do pulmão

Existem dois tipos principais de cancro do pulmão, relacionados com as características das células envolvidas e com consequências distintas na gravidade da doença: o cancro do pulmão de células não pequenas e o cancro do pulmão de células pequenas.

O cancro do pulmão de células não pequenas é o mais frequente e desenvolve-se mais lentamente.

O cancro do pulmão de células pequenas é, por seu turno, muito agressivo e propaga-se rapidamente. Por esse motivo, quando a maioria dos indivíduos é diagnosticada, a doença já se espalhou para outras partes do corpo.

Há ainda outros tipos de cancro mais raros, nomeadamente, os linfomas (que atingem o sistema sanguíneo), o mesotelioma (que se deve à exposição ao amianto), os carcinomas brônquios glandulares e os tumores carcinoides brônquicos (que podem também ser não cancerígenos).


Sintomas

Os sintomas mais frequentes de cancro do pulmão são os seguintes:

  • Tosse crónica (que dura mais de três semanas);
  • Tossir sangue, ou com vestígios de sangue na expetoração;
  • Perder peso sem motivo;
  • Ficar sem fôlego sem motivo;
  • Falta de apetite;
  • Fadiga;
  • Dor no tórax;
  • Dor nos ossos;
  • Dor no ombro;
  • Inchaço no pescoço;
  • Fraqueza muscular;
  • Rouquidão (voz fraca, áspera ou cansada);
  • Estridor (ruído tipo assobio devido ao bloqueio das vias respiratórias).
  • Dedos das mãos e dos pés com formato quadrado (inchados)

Frequentemente, os sintomas iniciais não são detetados, pois estão associados a outras doenças comuns. Há, também, pessoas que não apresentam quaisquer sintomas.

O cancro do pulmão é muito grave e o prognóstico depende bastante do momento em que a doença é diagnosticada e do subtipo de cancro. Quando suficientemente cedo, o prognóstico melhora de forma considerável e o risco de complicações diminui.


Tratamento

Uma vez que existem vários tipos de cancro do pulmão, os tratamentos podem também variar.

O plano de tratamento depende do tipo de cancro, do estado de saúde em geral da pessoa e das preferências individuais.

Os tratamentos podem ter, também, diferentes objetivos, quer concentrando-se na cura do cancro do pulmão (tratamentos curativos), quer focando-se em ajudar a pessoa a viver mais tempo e com maior qualidade de vida (tratamentos paliativos).

Além disso, habitualmente, envolvem equipas clínicas multidisciplinares, designadamente, pneumologistas, cirurgiões, oncologistas, patologistas, radiologistas, psicólogos, enfermeiros e médicos especializados em cuidados paliativos.

Dependendo de cada caso, o tratamento pode passar por diferentes intervenções:

  • Cirurgia (para extração do tumor)
  • Quimioterapia (abranda o desenvolvimento do cancro)
  • Radioterapia (destrói as células cancerosas)
  • Medicamentos destinados a bloquear o crescimento das células cancerosas

Os doentes com cancro do pulmão podem, ainda, beneficiar muito do acompanhamento psicológico, que ajuda não só na adesão ao tratamento, como também a lidar com as consequências emocionais e físicas da doença.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:
Ver mais

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.
 
Condições
da campanha

Campanha Medicare

Silver Familiar


Se aceitar esta oferta, está a aderir ao Plano de Saúde Medicare Silver Familiar.
Termos e condições da campanha:


Acesso a Rede Médica Medicare (1)

Consultas, exames e/ou tratamentos médicos com descontos dos prestadores.
Consulte www.medicare.pt para mais informações sobre as condições.


Acesso a Rede de Medicina Dentária Medicare (1)

Consultas e tratamentos dentários com descontos dos prestadores.
Consulte www.medicare.pt para mais informações sobre as condições.


3 (três) atos dentários grátis (2):

Os seus dados pessoais são recolhidos e tratados no estrito cumprimento da legislação aplicável, sendo armazenados em bases de dados, próprias para o efeito e conservados durante o período de tempo necessário para assegurar a gestão adequada das obrigações, direitos e interesses associados à respetiva recolha. Nessa medida:

  • Check up dentário;
  • Limpeza dentária (destartarização);
  • Extração de dentes (3)

(1) A Medicare não é uma entidade prestadora de serviços de saúde.
(2) Estes atos/tratamentos gratuitos podem estar incluídos em planos de tratamentos dentários. Sujeito a confirmação junto do prestador de cuidados de saúde. Aconselha-se a realização de uma consulta de diagnóstico.
(3) Exodontia de dente decíduo, monorradicular ou multirradicular e supranumerário.


Oferta das mensalidades

Oferta das mensalidades referentes ao Plano de Saúde Medicare Silver Familiar pelo período de 6 (seis) meses a contar da data de subscrição, findos os quais, os benefícios associados, caducam automaticamente.


Custo dos serviços

Os serviços médicos prestados pelos Prestadores têm custo para o Cliente e/ou Beneficiário(s), com exceção dos atos médicos gratuitos ou sem custo associado, podendo os descontos e reduções ascender até 30% sobre o preço de tabela de cada Prestador. A percentagem de desconto acima referida é meramente indicativa não constituindo uma obrigação para todos os Prestadores da Rede Medicare, nem para a Medicare.


Beneficiários

Cada plano pode ter até 6 (seis) beneficiários, desde que subscritos na data de adesão à oferta. Só serão admitidos titulares do plano que nunca tenham aceite uma oferta Medicare.


O Plano Silver Familiar tem um custo de:

Campanha Medicare Silver Familiar
1 OU 2 BENEFICIÁRIOS S/ CUSTOS
3 OU 4 BENEFICIÁRIOS
5 OU 6 BENEFICIÁRIOS

Na consulta:

Deverá fazer-se acompanhar da respetiva credencial. Após a consulta, deverá efetuar o pagamento dos atos de que beneficiou de acordo com a tabela de preços acordada com a Medicare. A responsabilidade por todos os serviços acima descritos é dos Prestadores, não prestando a Medicare qualquer serviço de saúde.


Limite da campanha:

Esta campanha tem o limite de 300 ofertas por dia por cada distrito de Portugal.


Término da campanha:

Dada a situação atual da pandemia de COVID-19, a Medicare prolongou a campanha Medicare Silver Familiar. A campanha termina em 30 de Abril de 2021, e as ofertas podem ser utilizadas até à data de validade do plano subscrito pelo titular.

Para mais informações sobre as condições de adesão aos Planos Medicare, por favor consulte as Condições Gerais de Adesão ao Serviço Medicare.