Mulher a assoar o nariz

Saiba os cuidados que deve ter para curar uma gripe

4 mins. leitura

Toda a gente, ao longo da vida, já teve um desconforto provocado por uma gripe. Trata-se de uma infeção causada por um dos vírus da gripe, que afeta sobretudo as vias respiratórias e ocorre com mais frequência nos meses de inverno.

A gripe comum é provocada pelo vírus influenza e é altamente contagiosa. Geralmente não é grave e desaparece ao fim de alguns dias.

Pode, no entanto, ser perigosa em grupos de risco como os idosos e doentes crónicos devido a eventuais complicações, designadamente a pneumonia.


Aprenda a lidar com a gripe

Transmissão e sintomas

O vírus da gripe é transmitido de uma pessoa infetada para outra, através de gotículas de saliva, expulsas sobretudo ao tossir e ao espirrar. Também pode acontecer por via do contacto direto com partes do corpo ou superfícies contaminadas, nomeadamente, através das mãos.

A partir do momento em que a pessoa é infetada, é habitual decorrerem dois dias até ao aparecimento dos sintomas. O período de incubação pode, no entanto, variar entre um a cinco dias.

Nos adultos e em crianças mais velhas os sintomas habituais são:

  • Febre alta (38º - 40º axilar);
  • Dores musculares e articulares;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de garganta;
  • Tosse seca;
  • Corrimento nasal e nariz entupido;
  • Sensação de mal-estar em todo o corpo;
  • Inflamação nos olhos.

Nos bebés, a gripe manifesta-se através de:

  • Febre;
  • Sonolência;
  • Náuseas;
  • Vómitos;
  • Diarreia;
  • Dificuldades respiratórias;
  • Otites.

A febre é, habitualmente, mais elevada nas crianças.

Guia Prático Doenças de Inverno - Medicare

Os sinais e sintomas principais tendem a desaparecer ao fim de alguns dias, mas a tosse e a sensação de fadiga podem prolongar-se durante uma a duas semanas.

De realçar, ainda, que a gripe é uma doença diferente da constipação, pois os vírus que as causam são diferentes.

Por outro lado, ao contrário da gripe, os sintomas da constipação limitam-se às vias respiratórias superiores (nariz entupido, espirros, olhos húmidos, irritação da garganta e dor de cabeça) e atenuam-se com repouso, ingestão de líquidos e não exposição ao frio e a ambientes com fumo, seja fumador ou não. A utilização de soro fisiológico ajuda a atenuar os sintomas de obstrução nasal.

Numa constipação, raramente, ocorre febre alta ou dores no corpo e os sintomas aparecem de forma gradual. Na gripe, o início é súbito.


Complicações e grupos de risco

A maioria dos sintomas da gripe melhora ao fim de alguns dias, embora alguns deles possam prolongar-se, ocasionalmente, durante semanas.

Existem casos, porém, em que a gripe pode dar origem a problemas de saúde graves. O mais comum é a pneumonia, que ocorre quando o vírus se dissemina dentro dos pulmões.

As pessoas com mais elevado risco de complicações e, eventualmente, morte, causada pela gripe são as seguintes:

  • Crianças com menos de dois anos de idade (risco muito elevado);
  • Crianças com menos de cinco anos (risco elevado);
  • Adultos com mais de 65 anos de idade;
  • Pessoas com doenças crónicas (sobretudo no coração, pulmões, rins, fígado ou imunodeprimidos);
  • Pessoas com diabetes mellitus;
  • Pessoas com obesidade extrema;
  • Mulheres que estejam no segundo ou no terceiro trimestre da gravidez ou também até duas semanas após o parto;

O que fazer?

Em caso de gripe, a prioridade deve ser o alívio dos sintomas e a redução do risco de contágio a outros indivíduos.

As pessoas com gripe devem adotar as seguintes medidas, para que possam melhorar a sua condição:

  • Ficar em casa em repouso;
  • Não se agasalhar demasiado;
  • Medir a temperatura ao longo do dia;
  • Se tiver febre, tomar paracetamol ou ibuprofeno;
  • Nunca dar ácido acetilsalicílico (aspirina) às crianças, pois pode ser muito perigoso.
  • No caso das crianças podem ser usados o paracetamol e o ibuprofeno;
  • Se estiver grávida ou a amamentar, não tomar medicamentos sem falar antes com o médico;
  • Utilizar soro fisiológico para ajudar a descongestionar o nariz;
  • Não tomar antibióticos sem indicação médica, pois são ineficazes nas infeções virais;
  • Beber muitos líquidos (água e sumos de fruta);
  • Se viver sozinho, especialmente se tiver limitações de mobilidade ou estiver doente, deve pedir a alguém que lhe telefone regularmente para saber como está.

Normalmente, a gripe cura espontaneamente, não sendo, por isso, necessário nada mais do que medidas para baixar a febre e aliviar os sintomas.

Contudo, quando se trata de doentes de risco é muito importante consultar o médico e seguir as suas indicações.


Cuidados a ter

Tratando-se de uma doença altamente contagiosa, a gripe impõe cuidados de forma a evitar a sua propagação.

Alguns conselhos:

  • Sempre que tossir ou espirrar, tape o nariz e a boca com um lenço de papel ou com o antebraço. Nunca com a mão;
  • Utilize os lenços de papel apenas uma vez;
  • Deite ao lixo os lenços de papel usados;
  • Lave e desinfete as mãos com frequência;
  • Se estiver com sintomas de gripe, guarde uma distância social quando falar com outras pessoas (no mínimo, um metro);
  • Fique em casa se sentir sintomas de gripe. Evite contagiar os seus colegas de trabalho;
  • Evite tocar no nariz, olhos e boca, especialmente se não tiver as mãos lavadas e desinfetadas;
  • Reforce a desinfeção das superfícies e objetos mais sujeitos ao contacto com as mãos, designadamente equipamentos, utensílios, bancadas de trabalho e manípulos de portas.

Prevenção

É difícil evitar a gripe, mas não impossível.

A forma mais comum de prevenção é a vacina anual, que permite diminuir o risco de infeção e de complicações decorrentes da gripe.

A vacinação contra a gripe é particularmente importante para as pessoas que pertencem aos grupos de risco, nomeadamente:

  • Idosos (65 anos ou mais);
  • Doentes crónicos;
  • Diabéticos em tratamento;
  • Grávidas;
  • Outras doenças que diminuam a resistência às infeções.

No entanto, a vacina da gripe deve ser evitada por pessoas com alergias graves ao ovo ou que tenham tido uma reação alérgica grave a uma dose anterior desta vacina.

A vacinação deve ser feita até ao final de cada ano. Pode, no entanto, ser tomada durante todo o outono e inverno, de acordo com a campanha nacional de vacinação.

Além da vacina, a prevenção passa, também, por evitar o contacto com pessoas infetadas e lavar/desinfetar as mãos com frequência.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.