mulher com desconforto causado por hemorroidas

Hemorroidas: quais as causas e como tratar?

2 mins. leitura

Indíce
  1. 1. O que são?
  2. 2. Tipos de hemorroidas
  3. 3. Quais as causas?
  4. 4. Qual o diagnóstico?
  5. 5. E nos casos mais severos?

Quando as hemorroidas inflamam, podemos ter um caso de doença hemorroidária. Perceba como detetar e tratar esta situação.

As hemorroidas são algo comum ao canal anal de todas as pessoas. Porém, quando dilatam e inflamam, podem causar desconforto e comichão, entre outros sintomas. Tal, pode acontecer devido a condições como obstipação, diarreia, tosse ou gravidez.

Este é um problema particularmente prevalente na idade adulta. Perceba quais as suas caraterísticas e como pode ser tratado.


O que são hemorroidas?

As hemorroidas são veias que todos temos e que participam, nomeadamente, no processo de contenção das fezes.

No entanto, quando são motivo de queixas, estamos perante doença hemorroidária. Na origem desta doença estão, geralmente, situações que favorecem o aumento da pressão intra-abdominal.

Os principais sintomas são:

  • hemorragia anal;
  • desconforto anal;
  • prurido (comichão);
  • inchaço;
  • dor;
  • saliência da hemorroida;
  • coágulo na hemorroida.

Estes sintomas são mais evidentes durante e após evacuar, sobretudo se forem fezes duras. Nestes casos, as hemorroidas externas podem acumular sangue e formar um coágulo.


Tipos de hemorroidas

As hemorroidas podem ser internas, externas e mistas. Quando estão no canal anal, sobre o ânus, chamam-se internas. Já quando estão sob a pele, ao redor do ânus e fora do canal, são hemorroidas externas. As mistas têm componentes de ambas.

As hemorroidas internas podem ser classificadas em diferentes graus, numa escala de um a quatro, tendo em conta a capacidade de reversão. As de grau quatro não são reversíveis sem cirurgia.


Causas

Não há um motivo preciso para o desenvolvimento da doença hemorroidária. No entanto, considera-se que na sua origem está uma pressão excessiva exercida sobre as veias do reto.

Esta pressão provoca a distensão e dilatação das veias do reto, tornando as paredes mais finas e, logo, mais suscetíveis de hemorragia. Se for continuada, pode causar a sua deslocação (prolapso) dos vasos.

Entre os fatores que podem favorecer esta situação estão a idade, a obstipação crónica, o esforço excessivo durante a evacuação, a gravidez, o mau funcionamento intestinal, as infeções anais e a hereditariedade. A diarreia ou a tosse também podem originar sintomas.


mulher a fazer banho de assento

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico de doença hemorroidária pode ser feito através da observação da região anal. Além disso, o médico pode recomendar a realização de uma colonoscopia e/ou sigmoidoscopia.

Para tratar este problema, bem como para prevenir a sua recorrência, aconselha-se uma alimentação equilibrada, rica em fibras e água e pobre em alimentos com alto teor de gordura e açúcar.

É recomendado, em paralelo, o recurso a pomadas e supositórios analgésicos com vitamina A, assim como a comprimidos venotrópicos. Estes contêm uma substância que melhora a circulação, contribuindo para fortalecer as veias e diminuir a inflamação.

Podem ainda fazer-se banhos de assento com água morna, para atenuar a dor e o desconforto.


médico a realizar procedimento para tratar hemorroidas

Casos mais severos

Nos quadros mais graves da doença, por exemplo, em que há trombose hemorroidária, procede-se à remoção do trombo, através de uma pequena incisão, sob anestesia local.

Em caso de sintomas persistentes, nomeadamente hemorragias, podem ser realizados procedimentos como a laqueação elástica, injeção de produtos esclerosantes, infravermelhos, crioterapia ou mesmo cirurgia.

A injeção consiste na introdução de uma substância que causa a fibrose dos tecidos e da sua irrigação, reduzindo o prolapso e a hemorragia. A laqueação elástica, por seu lado, passa pela colocação de um anel elástico na base da hemorroida, para criar uma espécie de úlcera que, ao cicatrizar, permitirá a fixação da mucosa.

Estes tratamentos são indolores, feitos em ambulatório, embora possam ser divididos em mais do que uma sessão. Porém, quando são insuficientes, deve ponderar-se uma cirurgia. Esta intervenção também é recomendada no caso de existirem lesões no ânus, hemorragia ou prolapso significativo, bem como tromboses de repetição.

Em suma, não se conforme com a doença hemorroidária, pois há muitas maneiras de tratar, aliviar o desconforto e recuperar o seu bem-estar.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Política de Privacidade