mulher a preparar-se para aquecer comida no microondas

Verdade ou mito: aquecer comida no microondas faz mal à saúde?

6 mins. leitura

Indíce
  1. 1. É seguro?
  2. 2. Mitos sobre Microondas
  3. 3. 4 cuidados a ter

Aquecer comida no microondas tem sido associado ao cancro e à infertilidade. Há também quem diga que os alimentos perdem nutrientes, quando aquecidos neste aparelho.

Entre tantas informações, por vezes contraditórias, o que é verdade e o que é mito?

Saiba que estudos científicos já foram feitos sobre este assunto e conheça os resultados obtidos.


O microondas é seguro?

Os microondas são aparelhos para uso doméstico. Por isso, foram submetidos a testes e procedimentos que garantem que podem ser utilizados de forma segura.

Num microondas doméstico, as microondas são produzidas por uma válvula elétrica (magnetrão), dispersas pelo interior do aparelho, refletidas pelas paredes laterais metálicas e absorvidas pelos alimentos. O prato giratório permite que os alimentos sejam aquecidos de maneira uniforme; as moléculas de água vibram quando absorvem energia de microondas e do atrito entre as moléculas resulta o aquecimento que cozinha os alimentos.

Ao contrário do que acontece com os fornos tradicionais, as microondas só são absorvidas pelos alimentos e não pelas laterais do aparelho. Contudo, essa radiação não altera a estrutura química ou molecular dos alimentos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), quando os microondas são usados conforme as instruções dos fabricantes, constituem uma forma segura e cómoda de aquecer e cozinhar diversos alimentos.

O nível de aquecimento depende da potência do aparelho, mas também da água contida nos alimentos, da sua densidade e da quantidade de comida aquecida.

A energia das microondas não penetra bem em pedaços de alimentos mais grossos e pode produzir uma cozedura irregular. Esta situação deve ser evitada, já que, em alguns alimentos, uma cozedura insuficiente impede a morte de microrganismos nocivos para a saúde. Assim, é importante assegurar que o calor é bem distribuído por todos os alimentos e, após a cozedura, deixar repousar alguns minutos antes de retirar o recipiente.

Aquecer a comida no microondas não a deixa radioativa, garante a Organização Mundial da Saúde. E, após desligado, a energia das microondas não fica nem nos alimentos, nem no aparelho.


mulher a definir modo de cozedura no microondas

Mitos sobre os microondas

Embora a invenção do microondas tenha décadas e este seja um eletrodoméstico amplamente utilizado em todo o mundo, existem várias teorias sobre os seus malefícios. Vamos abordar as mais comuns e explicar, com base em estudos científicos, porque não passam de mitos.


1. É inseguro estar perto do microondas

Não há nenhum inconveniente em estar perto do microondas enquanto cozinha ou aquece comida.

Para que o calor do aparelho causasse danos nos olhos ou noutras partes do corpo sensíveis à temperatura, seriam necessárias longas exposições e uma potência bastante mais elevada do que a existente nos microondas domésticos, explica a Organização Mundial da Saúde.

Além disso, as microondas estão circunscritas ao interior do aparelho e só são ativadas quando este é ligado e a porta está bem fechada.


2. O microondas provoca queimaduras

Não é o microondas que provoca queimaduras, mas sim os alimentos que dele são retirados.

Por isso, a OMS apresenta recomendações direcionadas para a prevenção das queimaduras causadas pelo manuseamento dos alimentos aquecidos no microondas.

Para evitar queimar-se, deve esperar um pouco antes de abrir a porta e não tocar nos alimentos aquecidos.

Há, ainda, que ter em conta que alguns alimentos têm uma resposta térmica específica quando são colocados no microondas, podendo "explodir". Acontece quando têm superfícies não porosas, como as salsichas, ou componentes que aquecem a diferentes velocidades, como a clara e a gema do ovo. Isto também pode acontecer quando cozinha castanhas com casca.


3. Aquecer a comida no microondas reduz os nutrientes

A comida aquecida no microondas tem o mesmo valor nutricional do que a que é cozinhada num fogão convencional, garante a Organização Mundial da Saúde. A principal diferença entre os dois métodos é que a energia das microondas penetra nos alimentos de forma mais rápida, reduzindo o tempo de cozedura.

O cientista norte-americano Xianli Wu realizou uma investigação para perceber de que forma os métodos de cozedura alteravam a retenção de flavonoides, compostos com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, que estão presentes em frutas e vegetais.

Segundo os resultados dessa pesquisa, a utilização do microondas parece ajudar à retenção dos flavonoides, pelo menos em alguns casos. "Ao considerar métodos de cozedura domésticos comummente usados, o microondas é o melhor método de cozinhar, pelo menos para muitos alimentos vegetais, mas provavelmente não para todos."

Espinafres, pimentos, brócolos e feijão-verde são alguns exemplos de alimentos que mantêm todo o seu valor nutricional e, em alguns casos, o desempenho do microondas até foi melhor do que o de outros modos de cozedura.

4. As radiações do microondas provocam cancro

A radiação do forno de microondas não causa cancro e também não há evidências conclusivas que liguem os dois.

As microondas são um tipo de radiação "eletromagnética" e são diferentes das ondas de rádio e dos raios-x. Os raios-x são radiações ionizantes, o que significa que podem alterar átomos e moléculas, bem como danificar células. Pelo contrário, a radiação não ionizante utilizada pelas microondas não é prejudicial. Segundo o Cancer Council, a única radiação não ionizante que causa cancro é a ultravioleta (UV), razão pela qual as pessoas são aconselhadas a protegerem-se da exposição solar.

Embora os microondas contenham radiação, esta permanece dentro destes dispositivos. Como tal, não há praticamente nenhuma probabilidade de desenvolver cancro ao usar um forno de microondas, se seguir as instruções do fabricante.

5. Cozinhar no microondas afeta a fertilidade

A fertilidade pode ser afetada pela ingestão de ftalatos, que resultam da decomposição, devido ao calor, de alguns tipos de plásticos.

Os ftalatos podem interferir com o sistema hormonal e causar alergias. Homens, mulheres grávidas e crianças são os grupos mais vulneráveis a estes produtos químicos. Na União Europeia, a utilização de ftalatos nos plásticos está regulamentada e alguns tipos foram mesmo classificados como tóxicos e prejudiciais para a fertilidade.

Embora os níveis de ftalatos que migram para os alimentos possam ser residuais e estar abaixo dos limites considerados tóxicos, não é aconselhável usar recipientes de plástico que não sejam adequados para o microondas.

Também não deve cobrir os alimentos com película aderente. Estudos citados pela Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE), relacionados com a utilização de embalagens de plástico no microondas, demonstraram que os plasticizantes têm o potencial de migrar para os alimentos e em maior quantidade para as gorduras. Por isso, esta entidade desaconselha o uso de filme plástico para cobrir ou envolver diretamente os alimentos que aquecer ou cozinhar no microondas.

A ASAE lembra, ainda, que as embalagens devem conter referências específicas para a utilização em microondas. Antes de usar, verifique se o recipiente tem o símbolo desse eletrodoméstico.

Caso pretenda evitar todos os plásticos, recorra a artigos de cerâmica adequados para aquecer ou cozinhar os alimentos.


mulher abre porta do microondas e olha para prato de comida aquecida

4 cuidados a ter ao utilizar o microondas

Apesar de os microondas constituírem uma forma segura e cómoda de aquecer e cozinhar diversos alimentos, há cuidados que não devem ser descurados, tais como:

  • Utilize apenas recipientes adequados para microondas: que não derretam, que não libertem substâncias nocivas e também que não aqueçam demasiado;
  • Não ligue o microondas quando estiver vazio: ao fazê-lo, a energia pode ser refletida no magnetrão (válvula que gera as ondas) e danificá-lo;
  • Não aqueça ou cozinhe alimentos embrulhados em papel alumínio;
  • Proceda à reparação ou limpeza, se a porta não fechar corretamente ou se os fechos estiverem sujos ou estragados. Assim, evita que sejam geradas microondas, se a porta não estiver bem fechada.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Política de Privacidade