rapariga jovem a beber água ao ar livre

Os perigos da insolação e os cuidados a ter para evitar

3 mins. leitura

A insolação é uma situação de risco de vida provocada pela exposição prolongada ao sol intenso ou ao calor e em que o organismo deixa de conseguir arrefecer o corpo.

Se não for tratada, constitui uma emergência médica, pois pode ser mortal ou provocar sequelas irreversíveis.

A insolação pode ocorrer de forma bastante rápida quando uma pessoa faz exercício

físico sob calor extremo ou quando está num ambiente quente e fechado.

Um episódio destes pode causar danos, temporários ou permanentes, em órgãos vitais como o coração, pulmões, rins, fígado e cérebro.


Como atuar perante um caso de insolação

Fatores de risco

As crianças e os idosos estão entre os grupos mais vulneráveis a um episódio de insolação, pelo que devem ser alvo de cuidados acrescidos.

Além disso, existem outros fatores importantes de risco:

  • Passar muito tempo exposto ao sol sem protetor solar (na praia, piscina, etc.);
  • Praticar exercício físico sob calor intenso;
  • Usar excesso de roupas;
  • Desidratação;
  • Ter problemas de pele, ou tomar medicamentos, que diminuam a produção de suor (a sudação é um mecanismo de arrefecimento da temperatura do corpo);
  • Doenças coexistentes, designadamente obesidade, diabetes e doença pulmonar ou cardíaca.
  • Ingerir muito álcool ou cafeína.
  • Gastroenterite.
insolação

Sintomas

Numa situação de insolação, a temperatura do corpo fica extremamente elevada, podendo ultrapassar os níveis máximos do termómetro.

Há, no entanto, uma série de outros sintomas possíveis:

  • Dor de cabeça intensa;
  • A vítima sente-se muito quente, mas não transpira;
  • Pele muito seca e quente;
  • Temperatura corporal acima dos 40 graus;
  • Respiração rápida e frequência cardíaca elevada;
  • A vítima pode ficar confusa e perder rapidamente a consciência;
  • Tonturas;
  • Fraqueza;
  • Má coordenação motora;
  • Fadiga;
  • Visão turva;
  • Dores musculares;
  • Náuseas e vómitos;
  • A vítima está confusa e desorientada;
  • Convulsões;
  • Delírio;
  • Irritabilidade;
  • A vítima pode entrar em coma.

O que fazer

Se uma pessoa presenciar um caso de insolação, deve tomar as seguintes medidas:

  • Ligar imediatamente para o 112;
  • Levar a vítima para um local fresco;
  • Ajudar a vítima a sentar-se e remover-lhe o máximo de peças de roupa;
  • Refrescar a vítima, passando água à temperatura ambiente por todo o corpo (pode, por exemplo, utilizar uma toalha, o chuveiro ou uma esponja). Deve ser evitada a água fria, pois isso pode provocar calafrios que geram ainda mais calor;
  • Podem ser aplicadas compressas de água fresca na testa, pescoço, axilas e virilhas;
  • Verificar a temperatura da vítima, procurando que esta desça para os 37,5 graus;
  • Se a temperatura voltar a subir, repetir os procedimentos de arrefecimento;
  • Pode oferecer-se líquidos frios não alcoólicos para beber;
  • Monitorizar o estado da vítima até à chegada das equipas de emergência. Se a pessoa estiver consciente, deve ser mantida cuidadosamente em repouso e com a cabeça elevada.

Cuidados a ter

A insolação pode ser prevenida através da adoção de um conjunto de comportamentos, grande parte dos quais passam pelo bom senso de evitar a exposição prolongada ao sol ou ao calor elevado.

Eis algumas sugestões:

  • Evitar a exposição ao sol, sobretudo entre as 10h00 e as 16h00;
  • Usar roupas leves, claras;
  • Utilizar protetor solar com fator de proteção igual ou superior a 30. Renovar a aplicação de duas em duas horas;
  • Beber muitos líquidos, para evitar a desidratação;
  • Evitar as bebidas alcoólicas e com açúcar;
  • Evitar a cafeína;
  • Evitar a prática de exercício físico nas horas de maior calor;
  • Ao fazer exercício físico sob calor, beber muitos líquidos duas horas antes da atividade, durante e depois;
  • Evitar permanecer muito tempo dentro do carro em dias de muito sol;
  • Consumir alimentos leves, como frutas e verduras.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:
Ver mais