mulher com baba no braço

Urticária: causas, sintomas e cuidados a ter

2 Dezembro, 2021 • 4 mins. leitura

A urticária trata-se de uma patologia dermatológica algo comum que se carateriza por lesões edematosas na epiderme e na derme superficial (muitas vezes conhecidas por “babas”) e que são eritematosas e muito pruriginosas.

Em determinados casos, pode haver angioedema, isto é, um edema, mas mais doloroso, e que afeta a camada mais profunda da pele (derme) e a hipoderme (tecido subcutâneo), podendo durar até 72 horas.

Este edema costuma ser assimétrico, pouco ou não pruriginoso, atingindo sobretudo zonas como as pálpebras, os lábios, a língua, a face, garganta e a extremidade dos membros e os genitais externos.

As demais lesões da urticária podem manifestar-se de minutos a 24 horas, desaparecendo sem deixar marcas.


O que é a urticária?

De um modo geral, a urticária carateriza-se pela existência de pápulas eritematosas, cujo tamanho pode variar, mas que causam sempre prurido intenso ou sensação de queimadura ou de picada.

Estas pápulas podem ser coalescentes, ter centro claro e bordos anelares, que desaparecem se pressionados com os dedos. A urticária pode ser subdividida em vários tipos.

Tipos de urticária
Agudo
Crónico, se os sintomas durarem mais de seis semanas
Espontâneo
Indutível, provocada por fatores desencadeantes, como calor, fricção, frio, calor, pressão, exercício, forças vibratórias, luz solar...

Urticária aguda espontânea

Este é o tipo de urticária mais comum, não durando mais de seis semanas. Na maior parte das vezes é idiopática ou infeciosa.

Fatores desencadeantes
Infeções (respiratórias, gastro -intestinais ou urinárias)
Reações de hipersensibilidade a medicamentos, como antibióticos ou anti-inflamatórios não esteroides
Espontâneo
Contato direto, ingestão de determinado alimento (causa pouco frequente) ou picadas de insetos.

Urticária crónica espontânea

A urticária crónica espontânea dura mais de seis semanas.

Fatores desencadeantes
Infeções
Auto-reatividade
Problemas na tiróide
Doenças autoimunes, como vasculites e lúpus
Stress

Urticária física

A manifestação física da urticária pode também variar de caso para caso, no que respeita às suas manifestações.

Manifestações de urticária física
Dermografismo sintomático As lesões apenas surgem na sequência de “coçar” ou “esfregar” a pele
Urticária de pressão As lesões são causadas pela pressão exercida por algo sobre a pele e são mais comuns em zonas do corpo como os ombros ou a cintura
Urticária ao frio Lesões provocadas pelo frio
Urticária ao calor Lesões provocadas pelo calor

médica mostra exame ao cérebro ao paciente

Diagnóstico

A urticária é diagnosticada após a avaliação, por um dermatologista ou alergologista, da história clínica e do exame físico do paciente. Em algumas situações, podem ser realizados testes cutâneos e exames ao sangue.

Contudo, é importante excluir patologias que apresentem lesões urticariformes com caraterísticas atípicas, como é o caso da urticária vasculite. Neste caso, a avaliação e acompanhamento por um dermatologista ou alergologista torna-se imprescindível, uma vez que a abordagem e tratamento são diferentes.

Para efeitos terapêuticos, importa conseguir determinar os fatores desencadeantes ou agravantes deste problema, de modo a que eles possam ser evitados. Além disso, é importante a erradicação de agentes infeciosos e o tratamento de processos inflamatórios.


Tratamento

O tratamento da urticária é sempre sintomático, ou seja, tem como finalidade atenuar os sintomas associados à doença, não havendo terapias curativas. É imperativo conhecer e identificar os fatores desencadeantes, a fim de adotar uma conduta preventiva.

Neste sentido, costumam ser prescritos anti-histamínicos anti-H1 não sedativos de segunda geração, podendo em alguns casos ser necessário recorrer a outros medicamentos, como a corticoterapia sistémica de curta duração.

Quando a urticária se revela crónica ou frequente ou apresenta angioedema, é importante voltar a consultar um especialista.

Em casos em que a garganta e a via aérea inchem e haja dificuldade em respirar e/ou em engolir, importa ir de imediato até a um serviço de urgência.

É importante ressaltar que a auto -medicação feita pelo paciente, sem orientação médica, é contra-indicada .


Prevenção

Em caso de urticária provocada por alergia a determinada substância, a prevenção desta doença pode ser conseguida através da evicção desse fator desencadeante da crise, assim como através da toma de vacinas para as alergias, as quais também ajudam a reduzir o risco de surtos de urticária.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.