mulher a colocar comprimidos na mão

Antibióticos e álcool: qual o risco desta combinação?

3 mins. leitura

Indíce
  1. 1. Porque evitar?
  2. 2. O que não deve misturar
  3. 3. O bom senso

Há muito que a ideia de não misturar antibióticos e álcool está enraizada na nossa sociedade. Mas será mesmo verdade que quem está a tomar antibióticos não pode beber?

Não há, à luz da ciência atual, uma resposta única para esta questão. Ou seja, para responder à pergunta, é preciso saber qual é o antibiótico, qual a infeção, qual o estado geral do doente e qual a quantidade de álcool que vai ingerir.

Ainda que seja melhor evitar misturar bebidas alcoólicas com antibióticos, beber com moderação, em princípio, não causará problemas. No entanto, alguns antibióticos têm efeitos secundários indesejáveis, como enjoos e tonturas, que podem ser agravados pelo consumo de álcool.


Porque se deve evitar o consumo de álcool com antibióticos?

O problema de misturar antibióticos e álcool não está relacionado com a anulação do efeito deste medicamento. O grande problema aqui é esta mistura potenciar os efeitos secundários ou reações adversas do antibiótico, bem como as consequências negativas que o consumo de álcool pode trazer ao sistema imunitário do doente.

É também importante salientar que o álcool é processado no fígado, tal como os antibióticos. Desta forma, o fígado vai estar sobrecarregado e isso vai dificultar a ação dos antibióticos, bem como aumentar a acumulação de substâncias tóxicas.

No fundo, ainda que não haja uma contraindicação científica propriamente dita, é uma questão de bom senso, visto que se encontra doente, deve manter-se afastado do álcool enquanto toma antibióticos.


garrafa de vinho, comprimidos e cigarros e homem a recusar copo de vinho

Quais os antibióticos que não deve misturar com álcool?

Embora alguns antibióticos possam permitir o consumo moderado de álcool, há outros em que a associação pode ser grave e deve ser mesmo evitada, nomeadamente:

  • Metronidazol;
  • Tinidazol;
  • Alguns antibióticos da classe das cefalosporinas.

A toma destes antibióticos misturada com álcool pode desencadear o chamado “efeito dissulfiram” - substância usada no tratamento do alcoolismo - cuja manifestação física para o doente é bastante desconfortável, como se estivesse à beira de um colapso e que poderá, se a pessoa insistir em beber álcool, levar ao coma ou à morte.

A mistura de bebidas alcoólicas com estes antibióticos pode causar estes efeitos secundários bastante indesejáveis:

  • Náuseas;
  • Dor de estômago;
  • Calores;
  • Batimento cardíaco rápido ou irregular;
  • Dor de cabeça;
  • Tonturas;
  • Sonolência.

mulher sentada à mesa com copo de vinho

Antibióticos e álcool: uma questão de bom senso

Ainda que a maioria dos antibióticos mais comuns, como a amoxicilina, azitromicina, ciprofloxacina, levofloxacina, penicilina, ceftriaxona e outros, não tenham uma contraindicação formal ao consumo moderado de álcool, isto não quer dizer que a sua associação seja totalmente segura.

Se o doente estiver com alguma infeção grave ou potencialmente grave, o consumo de álcool deve ser, naturalmente, evitado. Não interessa que não exista nenhuma interação direta com o antibiótico em uso. O cerne da questão não é o antibiótico, mas a doença em si e o estado do doente.


Dica extra: durante o tratamento com antibiótico, siga à risca as indicações do seu médico. Não falhe tomas e, mesmo que se sinta melhor, tome-o até ao fim!

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Informação Adicional
sobre Proteção de Dados

Mediante o seu consentimento, os seus dados pessoais serão recolhidos, processados e armazenados informaticamente pela MED&CR - Sistemas de Gestão de Cartões de Saúde Unipessoal Lda. ("Medicare"), com sede na Rua Rodrigues Sampaio n.º 103, 1050-196 Lisboa, número de telefone 219 441 113, e-mail info@medicare.pt , enquanto entidade responsável pelo tratamento dos dados pessoais, nos termos e para os efeitos identificados na lei aplicável, incluindo o Regulamento UE 2016/679 (Regulamento Geral de Proteção de Dados/RGPD) para as finalidades de envio de comunicações de marketing e envio de informação comercial e promocional relativa a produtos e serviços da Medicare.

A informação fornecida será tratada de forma confidencial e utilizada para os fins acima descritos.

A Medicare guardará, tratará e comunicará, quando aplicável, os seus dados de identificação e contacto enquanto não retirar o seu consentimento, de forma a poder apresentar-lhe as promoções, serviços e condições que possam ser mais vantajosas.

Os seus dados poderão ser tratados diretamente pela Medicare ou por entidades por si subcontratadas para o efeito (e sujeitas a obrigações de privacidade e confidencialidade próprias), podendo os dados ser comunicados a autoridades legais e regulatórias, nos termos previstos e determinados por lei. Estas entidades estarão sedeadas dentro do território da UE.

Poderá a qualquer momento retirar o seu consentimento enviando um email para politica.privacidade@medicare.pt, o que não invalida, no entanto, o tratamento efetuado até essa data com base no consentimento previamente dado. Poderá a qualquer momento, através do e-mail disponibilizado, exercer os seus direitos legais de acesso, retificação, portabilidade, limitação do tratamento, esquecimento.

Poderá também exercer o seu direito de reclamação à Comissão Nacional de Proteção de Dados, se considerar que os seus direitos não estão a ser cumpridos.

Para mais informação sobre os termos de tratamento de dados pela Medicare, sugerimos que consulte a Politica de Privacidade, disponível em www.medicare.pt/politica-de-privacidade.

1 presente à escolha

Oferta exclusiva Online

1 presente de boas-vindas à escolha

Aderir Online
Cartão Platinium Mais Vida
Quer aderir? Ligamos grátis! Esclareça as suas dúvidas com a nossa
equipa, sem compromisso.
Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Formulário enviado Obrigado pelo seu contacto. Será contactado em breve pela nossa equipa de especialistas.