mulher a colocar pó de talco na mão

O pó de talco causa cancro: verdade ou mito?

3 mins. leitura

Indíce
  1. 1. O que é?
  2. 2. É cancerígeno?
  3. 3. Cancro nos ovários
  4. 4. Cancro no colo do útero
  5. 5. Cancro da mama

Há muito utilizado para prevenir irritações e manter a pele seca, têm surgido dúvidas sobre se o pó de talco causa cancro.

Após a sua retirada do mercado por uma das principais empresas produtoras, voltaram a surgir dúvidas sobre se o pó de talco causa cancro ou não.

Este produto é muito usado para manter a pele seca e prevenir erupções cutâneas. Sobre o seu potencial cancerígeno não há, para já, um consenso.

Alguns estudos sugerem que o uso na região genital pode aumentar ligeiramente o risco de cancro do ovário, enquanto outros não encontraram uma associação clara.

Vamos, então, perceber que investigações científicas já foram realizadas sobre os riscos para a saúde da utilização do pó de talco.


O que é o talco?

O talco é um mineral composto por magnésio, silício e oxigénio. Pode também conter amianto, uma substância que, quando inalada, pode causar cancro.

Por isso, as questões relativamente ao talco concentram-se em duas áreas principais. A primeira é se os trabalhadores expostos às partículas deste mineral, como os mineiros, têm um risco aumentado de cancro do pulmão. A segunda é se o uso regular do pó de talco na área genital aumenta o risco de cancro do ovário.


O pó de talco causa cancro ou não?

Ainda que, nos últimos anos, algumas empresas tenham deixado de produzir produtos à base de talco, a ligação entre este e o cancro não é completamente clara. Os estudos não são conclusivos.

Contudo, há um risco de serem prejudiciais, no caso de o pó de talco conter amianto e de este não ter sido devidamente tratado. Isto prende-se com o facto desta substância potenciar o desenvolvimento de cancro nos pulmões.

A Agência Internacional de Pesquisa sobre o Cancro (IARC), um órgão da Organização Mundial de Saúde (OMS), classifica o pó de talco como potencialmente cancerígeno quando usado na região genital feminina. Esta classificação tem por base estudos que encontraram uma associação do cancro do ovário com a utilização desse produto.

Porém, as pesquisas abrangem já vários tipos de doenças oncológicas.


mulher a segurar laço verde claro

Cancro do ovário

Um crescente número de estudos, indicados na National Library of Medicine, sugerem que, quanto mais longo for o uso de pó de talco na área genital, maior é a probabilidade de uma mulher desenvolver cancro do ovário.

Contudo, os resultados são inconsistentes, tornando inadequado afirmar que existe uma associação clara entre esta patologia e a exposição ao talco.


Cancro do endométrio

De acordo com a plataforma Healthline, têm sido desenvolvidos diversos estudos, nos últimos anos, para avaliar a eventual associação entre o uso de pó de talco na zona perianal (à volta do ânus) e o cancro do endométrio, que atinge a parte superior do útero.

Um desses trabalhos apresentava a possibilidade de este tipo de cancro aumentar depois da menopausa.

No entanto, numa análise mais recente, não foi confirmado um aumento significativo do risco, mesmo com o uso a longo prazo.


Cancro do colo do útero

Num estudo de 2021, citado num artigo científico do jornal Nature, não foi identificada nenhuma relação causal entre o cancro do colo do útero e a utilização de pó de talco.

Durante esta investigação, uma das primeiras conhecidas sobre esta matéria, foram analisadas mais de 49 mil mulheres diagnosticadas com esta patologia.


mulher a tocar na mama direita

Cancro da mama

Também não há muita informação sobre a influência do pó de talco no surgimento do cancro da mama.

Um estudo, referido na National Library of Medicine, discutiu uma ligação potencial entre certos cosméticos, como hidratantes corporais com parabenos, e o cancro da mama.

Nesse trabalho, e em nenhum outro da literatura disponível, não há menção a qualquer relação entre a exposição ao pó de talco e o risco desta patologia.


Cancro do pulmão

Quanto ao cancro do pulmão, o American Cancer Society reporta-se a pesquisas que incidem, principalmente, na inalação de talco.

Segundo aquela organização, esses estudos foram complicados pelo facto de, na sua forma natural, o talco conter quantidades variáveis de amianto e outros minerais, ao contrário do talco purificado em produtos de consumo.

Por isso, os trabalhadores que extraem talco podem correr mais risco do que as outras pessoas. Contudo, há que ter igualmente em consideração que os mineiros estão expostos a outras substâncias nocivas.

Em nenhum desses estudos, foi relatado risco aumentado de cancro do pulmão com o uso de pó de talco cosmético.

Importa, por fim, mencionar que qualquer doença cancerígena está associada a vários fatores, como o histórico familiar, o estilo de vida, entre outros. No entanto, se usar pó de talco é uma preocupação para si, converse com o seu médico sobre outras opções de cuidados pessoais.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Política de Privacidade