mulher com olhos fechados e mão na cabeça

Quebra de tensão: cuidados a ter para amenizar este problema

4 mins. leitura

A tensão baixa, ou hipotensão arterial, é definida como toda a pressão baixa que causa algum tipo de sintoma (tal como tontura ou desmaio), o que geralmente acontece quando a tensão arterial é inferior a 90/60.

Na maioria dos adultos saudáveis, a tensão baixa não causa sintomas. Contudo, em casos em que a tensão arterial é muito baixa, a quantidade necessária de sangue a ser distribuída a todas as partes do corpo torna-se insuficiente e origina uma quebra de tensão.

A irrigação insuficiente de sangue faz com que as células não recebam oxigénio e nutrientes suficientes, ao mesmo tempo que os resíduos deixam de ser corretamente eliminados.

Precisamente por este motivo, se a pressão arterial for mesmo muito baixa pode originar um choque e colocar a vida em risco, pois a redução drástica do volume de sangue provoca danos nos órgãos.

A tensão arterial tem duas medidas:

  • Sistólica (máxima): que corresponde ao momento em que o coração contrai, enviando o sangue para todo o corpo;
  • Diastólica (mínima): que ocorre quando o coração relaxa para voltar a encher-se de sangue.

A quebra de tensão ocorre quando a tensão desce abaixo de 90 mmHg (sistólica) / 60 mmHg (diastólica).

Os valores da tensão arterial variam ao longo do dia, e mesmo num curto espaço de tempo, fruto de diversos fatores. Por exemplo, a posição do corpo, o ritmo respiratório, a alimentação, a toma de medicamentos ou o clima.

Habitualmente, a tensão é mais baixa à noite e aumenta consideravelmente ao acordar.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Hipertensão, uma pressão arterial normal situa-se entre 100/60 mmHg e 120/80 mmHg.


Compreender a quebra de tensão

Sintomas

Durante uma quebra de tensão, a pessoa pode sentir fraqueza, falta de ar, taquicardia ou, mesmo, desmaiar.

Pode, igualmente, ficar com as extremidades pálidas ou arroxeadas devido à redução da circulação sanguínea periférica.

Confira aqui os principais sintomas de que está a ter uma quebra de tensão:

  • Tonturas;
  • Desmaio;
  • Sensação de desequilíbrio;
  • Visão turva;
  • Palpitações;
  • Confusão mental;
  • Fadiga;
  • Dificuldade de concentração;
  • Pele fria e pálida;
  • Náuseas.
quebra de tensão

Causas

A quebra de tensão pode ter várias causas. As mais frequentes são as seguintes:

  • Desidratação;
  • Hemorragia (perdas de sangue);
  • Doença renal;
  • Arritmia;
  • Bradicardia (frequência cardíaca baixa);
  • Taquicardia (batimentos cardíacos muito rápidos);
  • Problemas nas válvulas cardíacas;
  • Ataque cardíaco;
  • Certos distúrbios endócrinos como a doença de Addison e distúrbios da tiróide;
  • Reações alérgicas;
  • Lesões na medula espinal;
  • Alguns medicamentos, nomeadamente diuréticos como a furosemida e hidroclorotiazida; betabloqueadores como o atenolol, propranolol e timolol, entre outros;
  • Toxinas produzidas por bactérias durante infeções bacterianas graves;
  • Fadiga;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Alimentação descuidada;
  • Temperaturas altas;
  • Gravidez.

Uma das causas mais comuns é, também, a mudança de posição de sentado ou deitado para a posição em pé, mais conhecida por hipotensão postural. Os sintomas são, no entanto, transitórios e duram apenas alguns segundos, até que a tensão arterial regressa a níveis normais.

Esta é uma situação muito frequente em idosos. Nalguns casos, pode ocorrer queda, desmaio ou, muito raramente, uma pequena convulsão. Isso acontece, habitualmente, após a prática de exercício físico, o consumo de álcool e/ou uma refeição pesada, ou em caso de desidratação.


Tratamento

Ao contrário da hipertensão (tensão alta), a hipotensão não tem tratamento farmacológico e, normalmente, é transitória.

Por norma, a intervenção visa tratar a causa associada à quebra de tensão e resume-se à hidratação administrada através da veia.

Para determinados sintomas pode ser recomendado o uso de meias de compressão elásticas que cubram a “barriga” da perna e a coxa, de forma a favorecer o regresso do sangue das pernas ao coração.

Caso a pessoa sofra episódios frequentes de quebra de tensão, é recomendável consultar um médico para que este possa investigar as causas do problema. O tratamento depende do tipo de hipotensão e dos sintomas associados.

Alguns cuidados que podem reduzir os episódios de quebra de tensão:

  • Levantar-se gradualmente;
  • Evitar estar longos períodos de tempo em pé;
  • Manter uma boa hidratação;
  • Comer frequentemente ao longo do dia, dando preferência a refeições pequenas e poucos hidratos de carbono.

Ingerir sal resolve as quebras de tensão?

O consumo de sal, nomeadamente, colocar umas pedrinhas de sal debaixo da língua, pode elevar, temporariamente, o nível da pressão arterial, mas esta não é a melhor forma de resolver a situação.

Para conseguir elevar a pressão, o corpo deve reter líquidos e isso não acontece imediatamente com a ingestão de sal. Por isso, a melhor forma de recuperar de uma quebra de tensão é ingerir líquidos, sobretudo água.

Se os sintomas forem muito fortes, é recomendável que a pessoa se deite e eleve as pernas acima da cabeça.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:
Ver mais