mulher sentada a ter um episódio de pânico

O que deve saber sobre os ataques de pânico

3 mins. leitura

Indíce
  1. 1. O que são?
  2. 2. Quais os Sintomas?
  3. 3. Como prevenir?
  4. 4. Qual o tratamento?
  5. 5. Como ajudar?

Os ataques de pânico caraterizam-se por um sentimento súbito de terror extremo. São, normalmente, de curta duração, mas podem deixar qualquer um exausto. Além dos sintomas emocionais, estes episódios provocam sintomas físicos que, por vezes, são semelhantes a um ataque cardíaco.

Todos nós podemos passar por uma ou duas situações destas durante a nossa vida, principalmente em períodos de maior stress. No entanto, se estes ataques forem frequentes, deverá procurar ajuda especializada.

Estes ataques podem ser desencadeados por uma situação traumática específica ou ansiedade. São episódios com uma duração entre 5 a 20 minutos e é possível, com algumas dicas, lidar com os seus sintomas.

Aprender a controlar a respiração é uma boa opção para se acalmar e recuperar mais rapidamente do estado de pânico. Mas há outras possibilidades que estão ao seu alcance para se conseguir acalmar.


homem agarrado ao peito a ter um ataque de pânico

Ataques de pânico: o que são e quais os sintomas

Sensação de perigo iminente, medo de morrer, aumento dos batimentos cardíacos e respiração acelerada são alguns dos sintomas descritos por quem experiencia estes episódios de pânico.


O que são?

Os ataques de pânico são episódios súbitos de medo ou terror, desajustados à situação real, que podem surgir a qualquer momento e sem aviso. Embora assustadores e angustiantes, não são perigosos.

É normal passar por um ou dois episódios destes ao longo da vida. Mas se forem mais frequentes, causando alterações na rotina diária e que afetam a qualidade de vida, é necessário recorrer a um médico ou psicólogo para tratamento especializado.

Os ataques de pânico podem ocorrer no contexto de várias patologias médicas, como a Patologia Cardiovascular ou Respiratória, ou psiquiátricas, como o Stress pós-traumático, Perturbação do Humor ou Perturbações da Ansiedade.


Quais os sintomas?

Durante um ataque de pânico podem surgir vários sintomas físicos e mentais intensos. Reconhecer estes sintomas e saber do que se trata, pode ajudá-lo a lidar melhor com estes episódios. Na lista de principais sintomas incluem-se os seguintes:

  • Batimento cardíaco acelerado (palpitações);
  • Tonturas;
  • Sensação de desmaio;
  • Suor em excesso;
  • Náuseas;
  • Dor no peito;
  • Falta de ar;
  • Afrontamentos;
  • Arrepios;
  • Pernas ou braços trémulos;
  • Espasmos;
  • Boca seca;
  • Necessidade de usar a casa de banho;
  • Medo de morrer;
  • Agitação;
  • Pavor.

Ataques de pânico: prevenção e tratamento

As causas não estão bem definidas, no entanto, os especialistas acreditam que a genética, stress intenso, temperamento da pessoa e alteração no funcionamento de algumas zonas do cérebro podem ter influência.

Também são apontados alguns fatores de risco como morte ou doença grave de alguém querido, alterações importantes na vida, abuso físico ou sexual na infância ou episódios traumáticos.


doutor a ouvir paciente num consultório

Prevenção

Qualquer pessoa está sujeita a passar por uma situação destas perante um estímulo que considere ser uma ameaça. Assim sendo, não há forma de prevenir ou prever um ataque de pânico. Mas há comportamentos que pode adotar para evitar a escalada do ataque, nomeadamente:

  • Lembrar-se que o episódio é passageiro e que, embora angustiante, não o coloca em perigo de vida;
  • Respirar devagar enquanto conta até cinco;
  • Mastigar um rebuçado ou uma pastilha elástica;
  • Tocar em algo macio como uma manta ou animal de estimação;
  • Manter-se, se possível, no mesmo local até o ataque de pânico passar.

Tratamento

Se os ataques de pânico forem frequentes, é necessário recorrer a um tratamento que permita reduzir o número de ataques e que alivie os sintomas, principalmente quando a frequência dos ataques causa alterações de comportamento para evitar ataques futuros.

O tratamento pode passar pela psicoterapia – terapia de exposição ou terapia cognitivo-comportamental, por exemplo – ou prescrição de medicação como antidepressivos e/ou ansiolíticos. Também pode ser uma combinação destas duas formas de tratamento, se o médico especialista assim o considerar.x


mulher sentada agarrada a uma almofada em puro pânico

Conhece alguém que sofra com ataques de pânico? Saiba como pode ajudar

Pode ser assustador ver alguém de quem gostamos passar por um ataque de pânico. Pensar que não se justifica a reação que o outro estar a ter, não vai ajudar ninguém. E também não vale a pena pedir para se acalmar e ser racional.

Será mais útil se:

  • Ficar tranquilo e for compreensivo;
  • Encontrar um lugar calmo e ajudar a controlar a respiração;
  • Tentar dialogar sobre um tema de interesse comum;
  • Levantar os braços ou bater com os pés no chão, ou seja, incentivar o movimento físico.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
Informação Adicional
sobre Proteção de Dados

Mediante o seu consentimento, os seus dados pessoais serão recolhidos, processados e armazenados informaticamente pela MED&CR - Sistemas de Gestão de Cartões de Saúde Unipessoal Lda. ("Medicare"), com sede na Rua Rodrigues Sampaio n.º 103, 1050-196 Lisboa, número de telefone 219 441 113, e-mail info@medicare.pt , enquanto entidade responsável pelo tratamento dos dados pessoais, nos termos e para os efeitos identificados na lei aplicável, incluindo o Regulamento UE 2016/679 (Regulamento Geral de Proteção de Dados/RGPD) para as finalidades de envio de comunicações de marketing e envio de informação comercial e promocional relativa a produtos e serviços da Medicare.

A informação fornecida será tratada de forma confidencial e utilizada para os fins acima descritos.

A Medicare guardará, tratará e comunicará, quando aplicável, os seus dados de identificação e contacto enquanto não retirar o seu consentimento, de forma a poder apresentar-lhe as promoções, serviços e condições que possam ser mais vantajosas.

Os seus dados poderão ser tratados diretamente pela Medicare ou por entidades por si subcontratadas para o efeito (e sujeitas a obrigações de privacidade e confidencialidade próprias), podendo os dados ser comunicados a autoridades legais e regulatórias, nos termos previstos e determinados por lei. Estas entidades estarão sedeadas dentro do território da UE.

Poderá a qualquer momento retirar o seu consentimento enviando um email para politica.privacidade@medicare.pt, o que não invalida, no entanto, o tratamento efetuado até essa data com base no consentimento previamente dado. Poderá a qualquer momento, através do e-mail disponibilizado, exercer os seus direitos legais de acesso, retificação, portabilidade, limitação do tratamento, esquecimento.

Poderá também exercer o seu direito de reclamação à Comissão Nacional de Proteção de Dados, se considerar que os seus direitos não estão a ser cumpridos.

Para mais informação sobre os termos de tratamento de dados pela Medicare, sugerimos que consulte a Politica de Privacidade, disponível em www.medicare.pt/politica-de-privacidade.