grávida com uma maçã na mãográvida com uma maçã na mão

Alimentação na gravidez: manter-se saudável e nutrida

5 mins. leitura

Uma mulher grávida precisa de mais nutrientes e mais energia. Este reforço nutricional e energético não significa, no entanto, comer muito mais. Depende sim da adoção de uma alimentação adequada. Ou seja, a qualidade sobrepõe-se à quantidade. Nada de comer por dois, portanto.

Comer adequadamente é, aliás, fundamental para a saúde e o bem-estar da mãe, assim como para o desenvolvimento e a vida futura do bebé.

Na verdade, o período de gestação é uma fase de tal forma importante que a saúde do filho é, em grande medida, programada durante a sua vida intrauterina. E o consumo de uma alimentação equilibrada e de acordo com as necessidades energéticas da futura mãe é um dos fatores a ter sempre em conta.

Alimentação na gravidez adequada

Necessidades da grávida e do bebé

A grávida tem necessidades acrescidas de energia e nutrientes. Este aumento depende também do trimestre em que se encontra.

Durante o primeiro trimestre o gasto de energia e o aumento de peso são ainda mínimos. O consumo de energia adicional é, por isso, recomendado apenas a partir do segundo trimestre da gravidez.

A partir dessa altura, começam a aumentar as seguintes necessidades:

  • Proteínas – devido à formação da placenta, crescimento dos tecidos uterinos e desenvolvimento/crescimento do bebé;
  • Hidratos de carbono – principal fonte de energia para a realização das funções do organismo;
  • Gordura de origem alimentar – fornecedora de energia, é necessária para o transporte de algumas vitaminas, proteção contra o frio, desenvolvimento do cérebro e visão;
  • Ácido fólico – fundamental para reduzir o risco de malformações do tubo neural do bebé;
  • Ferro – importante para o metabolismo energético e o desenvolvimento do sistema nervoso do feto;
  • Iodo – essencial para o desenvolvimento cognitivo do feto;
  • Cálcio e vitamina D – importante para os ossos e dentes da mãe e do bebé;
  • Zinco – crucial para vários processos biológicos do organismo;
  • Magnésio – contribui para diminuir o risco de pré-eclampsia, de nascimentos prematuros e do atraso no crescimento intrauterino;
  • Probióticos e prebióticos – importantes para a saúde do bebé e a recuperação do peso pós-parto da mãe.

Alimentos essenciais

A alimentação durante a gravidez deve ser diversificada e responder a estas necessidades. Convém, por isso, que a escolha dos alimentos obedeça sempre às recomendações do médico e/ou nutricionista que acompanham a mãe, pois a dieta deve ser definida de acordo com cada caso.

Diariamente devem ser ingeridas as seguintes fontes proteicas e de hidratos de carbono:

  • Laticínios (leite pasteurizado, queijo, iogurte)
  • Leguminosas com variedade (feijão, grão de bico, favas, ervilhas, lentilhas)
  • Cereais e seus derivados (arroz e massa, farinha, pão, flocos de cereais)
  • Tubérculos (batata, inhame, etc.)
  • Fruta

É recomendável a ingestão moderada de carne, peixe e ovos.

Relativamente à ingestão de gorduras para grávidas, são boas fontes alimentares o azeite e peixes gordos, como a sardinha, o salmão e a cavala. Podem também ser incluídos óleos, margarina, frutos frescos, frutos tropicais como pêra-abacate e coco, manteiga, natas, gema de ovo e carnes.

Quanto aos alimentos ricos em ácido fólico, a lista baseia-se no aumento do consumo de hortícolas de folhas verdes, leguminosas e cereais integrais.

Eis oito dos alimentos mais ricos em ácido fólico:

  • Flocos de trigo e arroz enriquecidos com vitaminas, cálcio e ferro
  • Cereais integrais suplementados
  • Flocos de trigo integral
  • Feijão-frade cozido
  • Espargos cozidos
  • Couve-de-bruxelas
  • Beterraba

O fornecimento de ferro é garantido através do aumento do consumo de alimentos de origem animal (carne e peixe), leguminosas (feijão e grão-de-bico) e hortícolas de folhas verde-escuro.

A lista de alimentos mais ricos em ferro inclui os seguintes, entre outros:

  • Fígado grelhado
  • Pão integral
  • Feijão manteiga cozido
  • Grão de soja cozido
  • Carapau grelhado
  • Perna de peru assada
  • Carne de vaca estufada
  • Chicharro grelhado

Para melhorar a absorção de ferro é recomendável a inclusão de uma fonte de vitamina C ao almoço e ao jantar (por exemplo, sumo de laranja), evitar a ingestão de chá ou café às refeições principais e misturar diferentes fontes de ferro.

No que toca ao iodo, as principais fontes alimentares são as seguintes:

  • Peixe
  • Crustáceos
  • Algas
  • Vegetais
  • Carne
  • Leite e seus derivados
  • Sal iodado

Oconsumo de cálcio é, por seu turno, otimizado pela ingestão de leite, queijo e iogurte magros.

A vitamina D é essencial para a fixação do cálcio e o equilíbrio entre os ossos e a formação do esqueleto e dentes do bebé. O peixe gordo (salmão, por exemplo) e os ovos são alimentos ricos em vitamina D, embora a melhor fonte seja, sem dúvida, a exposição ao sol. Claro está, sempre com os devidos cuidados, aplicando protetor solar e evitando o sol direto entre as 11h00 e as 16h00.

Os alimentos mais ricos em zinco são os seguintes:

  • Carne de vaca estufada (magra)
  • Queijo do tipo flamengo (30% de gordura)
  • Carne de vaca assada
  • Bife de vaca grelhado
  • Perna de peru assada
  • Miolo de amendoim, com pele
  • Miolo de amêndoa, com pele
  • Miolo de noz, com pele

O consumo de magnésio pode, por seu turno, ser assegurado pelo miolo de amêndoa (com pele), castanha de caju torrada e salgada, flocos de avelã e de aveia, pão de trigo integral com sementes de sésamo e tofu, entre outros.

Muita água e pouco sal

A mulher grávida acumula muita água durante a gestação, pelo que é fundamental que se mantenha devidamente hidratada.

Para tal deve beber muita água e, também, leite, sumos naturais e infusões. São ainda importantes os alimentos ricos em água, como sopas, saladas e frutas.

No total, é recomendável o consumo de três litros por dia. Isso inclui cerca de dois litros de água.

Simultaneamente, o consumo de sal deve ser reduzido durante a gravidez. Pouco sal para cozinhar e nenhum sal adicionado no prato é o ideal.

O sal pode ser substituído por ervas aromáticas (orégãos, salsa, coentros, cebolinho, tomilho, manjericão, etc.).

Para reduzir o consumo de sal, a grávida deve evitar também o consumo de:

  • Carnes e peixes salgados
  • Caldos industriais
  • Molhos e temperos prontos
  • Aperitivos salgados
  • Batatas fritas
  • Enlatados
  • Produtos de charcutaria e salsichas
  • Frutos gordos salgados

Alimentos a evitar

A forma como os alimentos são preparados tem influência direta na qualidade dos mesmos. Daí que devem ser evitados os fritos durante a gravidez.

Por outro lado, os cuidados com a higiene da alimentação são fundamentais. É, por isso, recomendável evitar os seguintes alimentos:

  • Laticínios não pasteurizados
  • Queijos mal curados
  • Queijo fresco e requeijão
  • Enchidos e fumados
  • Espadarte
  • Tamboril
  • Tintureira
  • Carne e peixe mal cozinhados
  • Legumes e frutas mal lavados
  • Patês de qualquer tipo

Éimportante lembrar que algumas bactérias e parasitas podem ser prejudiciais para o bebé, pelo que deve haver especial cuidado com alimentos contaminados.

Daí a necessidade de lavar bem as mãos antes e depois de manusear alimentos, depois de utilizar a casa de banho e após estar em contacto com animais.

Alguns conselhos:

  • Lavar bem legumes e frutos (mesmo descascados);
  • Separar alimentos crus dos alimentos prontos a consumir;
  • No frigorífico, conservar a carne e o peixe crus sempre bem embalados e na zona intermédia;
  • Ferver os alimentos reaquecidos (ou reaquecer a altas temperaturas);
  • Aquecer completamente as refeições prontas-a-comer e as sobras antes de servir;
  • Verificar sempre o prazo de validade na embalagem dos alimentos.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:

Pedido enviado Falaremos consigo
assim que possível

Quer aderir? Ligamos grátis
Precisamos do seu consentimento para o contactar.