Gordura visceral

Gordura visceral: saiba o que é e como manter-se saudável

4 mins. leitura

A gordura visceral (ou intra-abdominal) é um tipo de gordura que se encontra depositada na zona da barriga, mais concretamente ao redor de órgãos vitais situados atrás da parede abdominal, designadamente o fígado, pâncreas, estômago e intestinos. Pode, também, acumular-se nas artérias.

Quando em excesso, é o tipo de gordura mais perigoso. Pode provocar várias doenças e complicações sérias, como hipertensão, colesterol elevado e sendo responsável por aumentar o risco de enfarte ou acidente vascular cerebral.

Na maioria das pessoas, 90% da gordura corporal é subcutânea, ou seja, está localizada entre a pele e os músculos do abdómen e é, por isso, facilmente visível (e até palpável) em caso de excesso. Os restantes 10% correspondem a gordura visceral.

O facto de estar localizada a um nível profundo do nosso corpo faz com que, frequentemente, seja invisível. Ou seja, nem sempre é sentida nem vista. Ou seja, a presença de gordura visceral não é tão óbvia, uma vez que mesmo as pessoas que têm um peso adequado às suas caraterísticas, podem ter gordura visceral em excesso.

E o inverso também é verdade. Uma barriguinha mais proeminente pode ser o resultado da acumulação de gordura subcutânea e não de gordura visceral.

Perigos da gordura visceral

Riscos para a saúde

As células da gordura visceral são bastante ativas, produzindo hormonas e outras substâncias, como as citocinas, que podem desencadear processos inflamatórios favoráveis ao aparecimento de doenças cardíacas e outras condições crónicas.

Algumas das proteínas produzidas por este tipo de gordura provocam a contração dos vasos sanguíneos e o aumento da tensão arterial. Podem também potenciar a resistência à insulina, mesmo em quem nunca sofreu de diabetes ou pré-diabetes.

À medida que o volume de gordura visceral aumenta, cresce o risco de intolerância à glicose e de diabetes tipo 2.

Seguem-se algumas das principais doenças e complicações que podem ser provocadas pelo excesso de gordura visceral:

  • Doenças de coração
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC)
  • Doença de Alzheimer
  • Diabetes tipo 2
  • Colesterol elevado
  • Asma
  • Cancro da mama
  • Cancro colorretal
  • Aterosclerose
  • Dislipidemia (anomalia na quantidade ou qualidade dos lípidos – gorduras – no sangue)

Como medir a gordura visceral

A forma mais fiável de medir a gordura visceral é através da realização de um exame imagiológico (TAC ou ressonância magnética). Estes são, no entanto, métodos dispendiosos e mais morosos.

Habitualmente, o médico opta, por isso, pela avaliação do estilo de vida do paciente e pela medição da sua massa gorda, o que lhe permitirá depois calcular a percentagem de gordura visceral.

Também é possível ficar com uma ideia através da medição da circunferência abdominal. Isso faz-se colocando uma fita métrica à altura do umbigo, em posição de pé (não vale encolher a barriga!). É considerado excesso de gordura quando são registados os seguintes valores:

  • Mulheres: 88,9 centímetros ou mais
  • Homens: 101,6 centímetros ou mais

Se desconfia que a sua gordura visceral está acima do recomendado, deverá consultar o seu médico. Ele irá medir, também, a sua tensão arterial, frequência cardíaca e outros sinais vitais. Poderá, ainda, testar amostras do seu sangue e/ou urina para obter uma imagem mais completa da sua condição.


Prevenção

A forma como a gordura visceral se desenvolve ainda não é bem compreendida pelos cientistas. Existe, porém, um conjunto de fatores que, conjugados, parecem colher a unanimidade dos especialistas:

  • Predisposição genética;
  • Stress crónico;
  • Alimentação pouco saudável (alimentos industrializados, processados, ricos em açúcar e carbohidratos);
  • Sedentarismo;
  • Menopausa.

Apesar de ser difícil lutar contra a predisposição genética, é possível minimizar a acumulação de gordura visceral. Eis algumas sugestões que ajudarão certamente:


Exercício físico regular

Pratique, pelo menos, 30 minutos de atividade física (aeróbica) de intensidade moderada na maioria dos dias (exemplos: caminhada em passo rápido, bicicleta, elítica, remo, aulas aeróbicas);

Trabalhe, também, os seus músculos (exercícios com pesos e treinos de resistência muscular, como flexões e abdominais).


Alimentação saudável

Tenha cuidado com porções exageradas;

Prefira carbohidratos complexos (frutas, vegetais e grãos inteiros) e proteínas magras (carne de peru ou frango, peixe, ovos, feijão, laticínios magros);

Reduza a ingestão de carbohidratos simples (pão branco, massa de grãos refinados, bebidas açucaradas);

Prefira as gorduras polinsaturadas (óleos vegetais, frutos oleaginosos, cereais integrais, sementes, gordura de peixe, óleo de fígado de peixe, hortícolas de cor verde escura, etc);

Evite as gorduras saturadas (manteiga, queijos gordos, produtos de salsicharia e charcutaria, banha de porco, óleo de palma, óleo de coco, gordura de carne de vaca, etc.).


Não fume

O tabaco pode influenciar o padrão de distribuição de gordura corporal (os fumantes podem ter maior circunferência abdominal).


Durma bem

Dormir, habitualmente, menos de cinco horas ou mais de oito favorece a acumulação de gordura visceral.


Reduza o consumo de bebidas alcoólicas

O consumo excessivo de álcool causa aumento da gordura visceral.


Cuide do seu humor

Sintomas depressivos, stress e ansiedade fazem aumentar os níveis de cortisol (a “hormona do stress”), que favorece a acumulação de gordura visceral.


Seja paciente

Tratamentos rápidos como a lipoaspiração apenas removem a gordura subcutânea, pois não alcançam a gordura visceral.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados: