menino com gripe deitado na cama

Tipos de gripe: afinal quantos existem?

3 mins. leitura

Indíce
  1. 1. Tipos de gripe
  2. 2. Sintomas
  3. 3. Cuidados
  4. 4. Prevenção

Afinal, quantos tipos de gripe existem? Embora os sintomas possam ser semelhantes, os vírus causadores da gripe são três (A, B e C).

Os tipos A e B são os responsáveis pelas epidemias da doença, ou gripe sazonal, enquanto que o tipo C provoca infeções ligeiras.

Existe ainda um quarto tipo, o vírus do tipo D, que afeta essencialmente o gado, não sendo conhecidas infeções em humanos.


Tipos de gripe e o que os distingue

A gripe é uma infeção vírica causada pelo vírus Influenza, que se divide em três tipos: A, B e C. O tipo C é menos frequente e responsável por infeções muito ligeiras, pelo que iremos dedicar a nossa atenção aos tipos A e B, causadores da gripe sazonal.


Vírus da gripe tipo A

Gripe A é o nome da doença provocada pelo vírus Influenza A. De todos os vírus da gripe, este é o mais comum, sendo responsável por mais de 70% dos casos de gripe numa época típica.

Os vírus do tipo A dividem-se em vários subtipos consoante as combinações das duas proteínas presentes na superfície do vírus, as proteínas H (hemaglutinina) e N (neuraminidase). Atualmente estão ativos e em circulação os subtipos H1N1, H1N2 e H3N2.

O Influenza A possui uma elevada capacidade de transmissão pessoa a pessoa. É também o único responsável por causar pandemias, como aconteceu com a chamada "gripe suína", provocada pelo subtipo H1N1.

Por ser um vírus em constante mutação, é mais difícil de controlar, nomeadamente através da vacinação.

Embora seja mais comum entre os humanos, a gripe A afeta também os animais, como porcos, cães, cavalos e até baleias. As aves selvagens são, geralmente, os hospedeiros deste vírus.


Vírus da gripe tipo B

Provocada pelo vírus Influenza B, a gripe do tipo B afeta apenas seres humanos.
Ao contrário dos vírus Influenza A, estes sofrem menos alterações, o que diminui consideravelmente a sua capacidade de produzirem novas variantes ou estirpes diferentes. Como tal, o seu potencial epidémico é inferior.


rapariga ao telefone e com um termómetro na mão

Sintomas

Apesar de os três tipos de vírus da gripe apresentarem diferenças entre si, os sintomas são muito semelhantes. A distinção entre gripe A ou gripe B, apenas é possível com recurso a exames laboratoriais.

Inicialmente, os sintomas podem ser ligeiros e incluir irritação e inflamação na garganta, tosse seca, corrimento nasal e sensação de ardor no peito. A tosse poderá intensificar-se e tornar-se produtiva (com expetoração).

Estes sintomas surgem, normalmente, acompanhados de febre, podendo ainda ocorrer enjoos e vómitos, bem como perda de olfato.

Normalmente, os sintomas melhoram ao fim de dois a três dias, mas, por vezes, a febre pode manter-se até cinco dias. A sensação de fraqueza, a tosse, o cansaço e os suores podem prolongar-se durante vários dias, ou até semanas, e a irritação das vias aéreas pode perdurar por seis a oito semanas.


rapaz a assoar-se com um lenço de papel

Cuidados

Numa pessoa saudável, a gripe é curada apenas com descanso e com o tratamento dos sintomas. No entanto, em pessoas idosas ou em crianças menores de dois anos, bem como em doentes crónicos, a gripe acarreta um risco mais elevado, podendo deixar sequelas ou levar à morte.

Por esta razão, a vacina da gripe é aconselhada a idosos e a doentes crónicos, nomeadamente diabéticos, pessoas com doenças cardiovasculares, renais ou que afetem o fígado ou o sistema imunitário.

Uma das complicações mais comuns da gripe é a pneumonia, que, inicialmente, é vírica. Depois, pode evoluir para uma pneumonia bacteriana, agravando o estado geral do doente.


Prevenção

A melhor forma de prevenir a gripe é através da toma anual da vacina, sobretudo no caso de doentes crónicos e pessoas idosas.

As outras medidas de prevenção passam por evitar o contacto com pessoas infetadas, proteger-se do frio e adotar a chamada etiqueta respiratória, isto é, ao espirrar ou tossir, deve tapar-se a cara com um lenço ou com o antebraço.

Também é fundamental lavar frequentemente as mãos com água e sabão, ou, caso não seja possível, usar uma solução desinfetante e lenços de papel de utilização única, que deverá deitar no lixo comum, após cada utilização.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
Política de Privacidade