mulher jovem encolhida no sofá com cólicas

Microbiota intestinal: o que é e qual a sua função

4 mins. leitura

O que é a microbiota intestinal

A microbiota intestinal, mais vulgarmente conhecida como flora intestinal, é composta por mais de mil milhões de micro-organismos, como bactérias, parasitas, fungos e vírus não patogénicos, que habitam e se desenvolvem no nosso aparelho digestivo.

Estes micro-organismos, em número superior ao das células humanas, asseguram não só o funcionamento regular do intestino, intervindo também na digestão, como previnem infeções, desenvolvimento de tumores responsáveis por alguns tipos de cancro e ajudam ainda na prevenção e desenvolvimento de doenças que afetam o cérebro.

Estudos recentes demonstraram, inclusivamente, que uma flora intestinal equilibrada contribui para evitar e tratar problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão.

De resto, o intestino, considerado já o nosso “segundo cérebro”, depende em larga escala, da ação da microbiota para uma eficaz conexão cérebro-intestino.

Cada pessoa tem uma flora intestinal única, como uma impressão digital, que começa a formar-se no momento do nascimento, sendo diferente, também, consoante o tipo de parto.

No caso de se tratar de um parto vaginal, são os micro-organismos fecais e vaginais transmitidos pela mãe que prevalecem na flora intestinal do bebé; tratando-se de um parto por cesariana, são os micro-organismos ambientais que se destacam, marcando aqui a diferença na constituição da microbiota intestinal. Geralmente, as bactérias adquiridas durante o parto vaginal são mais benéficas para o organismo, e o aleitamento materno também tem um papel fulcral para moldar a flora intestinal nos primeiros meses de vida.

Depois, só por volta dos três anos de idade é que a microbiota intestinal está totalmente formada e estabilizada, mantendo-se sem grandes alterações até à velhice, altura em que irá ficar mais empobrecida.

microbia

Outras funções da microbiota intestinal

Além de controlar a proliferação de bactérias patogénicas presentes no trato intestinal, a microbiota intestinal estimula o sistema imunológico, ajudando na prevenção de várias doenças.

A flora intestinal é ainda responsável pela regulação da absorção de nutrientes pelo organismo, participando também na produção de vitaminas e enzimas, como a vitamina K e a biotina, além de produzir componentes necessários à renovação das células.


Quando a microbiota intestinal está desequilibrada

Quando há um desequilíbrio na flora intestinal, nomeadamente com a alteração da sua composição, em número ou em género, dá-se a disbiose, que pode afetar a saúde do seu hospedeiro.

A diarreia associada a antibióticos, a cólica infantil, a gastroenterite ou a síndrome do cólon irritável são algumas das doenças associadas à disbiose intestinal, bem como a obesidade, a doença de Crohn ou o cancro do estômago.

O uso recorrente de laxantes pode levar à eliminação de bactérias benéficas para o organismo. Quanto à alimentação, a ingestão de alimentos industrializados e com pouca fibra também levam ao desequilíbrio da microbiota.


Como ter uma microbiota intestinal saudável

Ter uma dieta equilibrada é um dos fatores mais importantes para a manutenção de uma flora intestinal equilibrada. Isto implica moderação no consumo de alimentos industrializados, como hidratos de carbono refinados, açúcar ou gorduras saturadas.

A alimentação é, inclusivamente, mais importante para a formação da microbiota, do que os fatores genéticos.

Assim, a alimentação deve ser diversificada e incluir vegetais, legumes e frutas, além de alimentos fermentados, como os iogurtes, por exemplo, e outros alimentos probióticos, como kefir ou chucrute.

Deverá, igualmente, aumentar a ingestão de alimentos prebióticos (fibras e hidratos de carbono complexos) e alimentos ricos em polifenóis, como as uvas, os brócolos, chá verde e amêndoas.

Deve ainda reduzir a ingestão de adoçantes artificiais e usar mais grãos integrais, como a aveia, o arroz integral, a cevada ou o centeio.

Nas crianças, o aleitamento materno até aos seis meses desempenha um papel importante na formação de uma microbiota intestinal saudável.

Além da alimentação, também o exercício físico e ter um sono descansado e regular são fundamentais, sendo de evitar, sempre que possível, a toma de antibióticos.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Artigos relacionados:
Ver mais