mulher com a embalagem da pílula na mão

O que deve saber sobre a utilização da pílula

4 mins. leitura

Há mais de meio século que a pílula revolucionou a vida sexual dos casais, bem como a saúde íntima feminina. Desde que foi criado, este comprimido foi evoluindo e reunindo cada vez mais vantagens, além da prevenção de uma gravidez indesejada.

Entre os seus benefícios estão:

  • A regularização dos ciclos menstruais;
  • As hemorragias menos abundantes;
  • A melhoria da tensão pré-menstrual e da dismenorreia;
  • A redução do risco de Doença Inflamatória Pélvica (DIP), do cancro do ovário e do endométrio, dos quistos funcionais do ovário, da doença poliquística, da doença mamária benigna e da anemia.

Apesar das suas vantagens, devemos ter noção de que a pílula também tem efeitos secundários e contraindicações e que há alguns cuidados que deve ter na sua toma.

Além disso, importa evitar ao máximo esquecimentos na sua toma e nunca esquecer que este contracetivo não previne a transmissão das Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST), razão pela qual também deve ser usado preservativo durante as relações sexuais.


O que é a pílula e como é que ela atua?

A pílula é um método contracetivo oral e hormonal que evita em 99% as gravidezes indesejadas, desde que tomada de forma regular, sempre à mesma hora e após sete dias de toma consecutiva.

Para ter este efeito, a generalidade das pílulas possui hormonas sintéticas que simulam as hormonas produzidas pelos ovários. Deste modo, estas hormonas sintéticas inibem as ovulações, impedindo que a mulher tenha período fértil.

O anticoncepcional oral também modifica o muco cervical, com o objetivo de dificultar a penetração do espermatozóide.


Tipos de pílula

Existem diferentes tipos de pílulas, os quais se distinguem, essencialmente, pela sua dosagem e pelas hormonas que a compõem.

A opção por um tipo de pílula em detrimento de outro deve ter em conta uma recomendação médica, a qual deve ter por base aspetos como a história clínica e a faixa etária em que a mulher se insere.


Principais tipos de pílula e suas caraterísticas
Pílula monofásica Comprimidos com a mesma dosagem e compostos por estrogénios e progestagénios. Os comprimidos devem ser tomados, consecutivamente, durante 21 dias, seguidos de uma interrupção de 7 dias.
Pílula bifásica Comprimidos com duas dosagens distintas e compostos por estrogénios e progestagénios.
Pílula trifásica Comprimidos com três dosagens diferentes, que simulam o ciclo menstrual e que são compostos por estrogénios e progestagénios.
Pílula sem estrogénios Pílula indicada para mulheres que não podem tomar estrogénios, como é o caso das lactantes. Os comprimidos devem ser tomados de forma contínua, sem paragens.

mulher com a embalagem da pílula na mão

Efeitos secundários e contraindicações

A pílula, sobretudo nos primeiros meses de toma, pode ter alguns efeitos colaterais, tais como:

  • Náuseas;
  • Vómitos;
  • Alterações no peso;
  • Alterações na tensão arterial;
  • Alterações na sensibilidade mamária;
  • Alterações no fluxo menstrual;
  • Pequenas perdas de sangue.

Também há situações em que a pílula está contraindicada ou não é especialmente recomendada:

  • Gravidez;
  • Neoplasia hormono dependente;
  • Hemorragia genital anormal e não diagnosticada;
  • Tumor hepático;
  • Doença hepática crónica;
  • Icterícia colestática na gravidez;
  • Risco de AVC, doença arterial cerebral ou coronária;
  • Mulheres com mais de 35 anos e fumadoras;
  • Mulheres que sofram de varizes, diabetes mellitus, hipertensão ou hiperlipidémia, depressão, epilepsia e/ou cefaleia grave.

Cuidados a ter

Além de ter em atenção os efeitos secundários e as contraindicações associadas à pílula que falámos anteriormente, é importante ter outros cuidados com a toma destes comprimidos, nomeadamente em situações que podem pôr em causa a eficácia deste contracetivo.

Lembrando que cada pílula pode ter fórmula e dosagens distintas, deve ter-se em atenção a forma de uso de cada uma, principalmente em casos de esquecimentos.

É este o caso da toma de determinados medicamentos, mas também de condições como vomitar ou ter diarreia.

O que fazer no caso de vomitar, depois de tomar a pílula?

  • Se vomitar até quatro horas depois da toma da pílula, deve tomar outra pílula;
  • Se vomitar quatro ou mais horas depois da toma da pílula, a eficácia contracetiva está garantida, por isso, não deve voltar a tomar uma pílula nesse dia.
mulher com a embalagem da pílula na mão

O que fazer no caso de ter diarreia, depois de tomar a pílula?

Neste caso, apenas deve tornar a tomar a pílula respeitante a esse dia se:

  • A diarreia ocorrer quatro ou mais horas depois da altura da toma;
  • A diarreia for líquida;
  • Registar cinco ou mais episódios de diarreia num dia.

O que deve fazer se se esquecer de tomar a pílula?

As medidas a adotar no caso de se ter esquecido de tomar a pílula vão depender do atraso na toma e da altura do mês em que o esquecimento ocorreu.

Como deve proceder se o atraso na toma da pílula for inferior a 24 horas?
Tomar a pílula esquecida
Prosseguir com a toma normal das restantes pílulas, nos dias previstos.

Como deve proceder se se tiver esquecido de tomar duas ou mais pílulas?

Primeira semana (da 1ª à 7ª pílula)

  • Tomar as pílulas em atraso;
  • Fazer a contraceção de urgência/“pílula do dia seguinte” (caso tenha tido relações sexuais nos três dias anteriores);
  • Usar preservativo nas relações sexuais que tiver nos sete dias seguintes.

Segunda semana (da 8ª à 14ª pílula)

  • Continuar a toma da embalagem de pílulas;
  • Usar preservativo nas relações sexuais que tiver nos sete dias seguintes.

Terceira semana (da 15ª à 21ª pílula)

  • Acabar de tomar a embalagem de pílulas e iniciar uma nova sem parar;
  • Usar preservativo nas relações sexuais que tiver nos sete dias seguintes.

Nota: Em caso de dúvida, contacte um profissional de saúde ou ligue para a Sexualidade em Linha (800 222 003).

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
1 presente à escolha

Oferta exclusiva Online

1 presente de boas-vindas à escolha

Aderir Online
Cartão Platinium Mais Vida
Quer aderir? Ligamos grátis! Esclareça as suas dúvidas com a nossa
equipa, sem compromisso.
Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Formulário enviado Obrigado pelo seu contacto. Será contactado em breve pela nossa equipa de especialistas.