pessoa a sorrir abraçada a ela mesma

10 dicas cientificamente comprovadas para melhorar a autoestima e autoconfiança

4 mins. leitura

Indíce
  1. 1. Porque é importante cuidar de nós?
  2. 2. Celebrar conquistas
  3. 3. Cultivar relações saudáveis
  4. 4. Exercício físico
  5. 5. Não ter medo de pedir ajuda

A autoestima e autoconfiança são dois pilares importantes da saúde mental e do bem-estar emocional. Quando temos uma boa autoestima e autoconfiança, sentimo-nos mais capazes de enfrentar os desafios da vida, de tomar decisões importantes e de manter relacionamentos saudáveis e gratificantes.

Por outro lado, quando a nossa autoestima e autoconfiança estão baixas, podemos sentir-nos inseguros, ansiosos e até mesmo deprimidos.


Porque é importante ter uma boa autoestima e autoconfiança?

A autoestima e a autoconfiança são conceitos fundamentais para a saúde mental e emocional de um indivíduo. A autoestima refere-se à forma como uma pessoa se percebe a si mesma, o seu valor pessoal e a sua autoimagem. Já a autoconfiança está relacionada com a crença nas suas capacidades e habilidades, bem como na sua capacidade de lidar com situações desafiadoras.

Quando uma pessoa tem uma autoestima saudável e uma autoconfiança forte, isso pode ter efeitos positivos na sua vida, tais como: sentir-se mais segura e confortável em diversas situações sociais, lidar melhor com o stress e com os desafios do dia a dia, estabelecer relações mais satisfatórias e ter uma maior capacidade para tomar decisões importantes.

Em contrapartida, a falta de autoestima e autoconfiança pode levar a sentimentos de inferioridade, insegurança, ansiedade e depressão, bem como a dificuldades em estabelecer e manter relacionamentos saudáveis. Por isso, é essencial trabalhar estes conceitos para garantir a nossa felicidade e bem-estar emocional.

Descubra agora 10 dicas cientificamente comprovadas para melhorar a sua autoestima e autoconfiança.


Mulher feliz a sorrir

1. Identifique e atenue os pensamentos negativos

Um dos principais fatores que afetam a autoestima e autoconfiança são os pensamentos negativos que temos sobre nós mesmos. Muitas vezes, esses pensamentos são automáticos e nem sequer os questionamos. Por exemplo, podemos pensar que somos incapazes de fazer algo bem, que não somos inteligentes o suficiente ou que não merecemos o amor e a felicidade. É importante identificar esses pensamentos e corrigi-los. Pergunte a si mesmo se eles são realmente verdadeiros e procure indícios para apoiá-los ou refutá-los.


2. Pratique a autocompaixão

A autocompaixão é uma forma de cuidar de si mesmo como faria com um amigo próximo que estivesse a passar por um momento difícil. Trata-se de ser gentil, compreensivo e tolerante consigo mesmo, em vez de criticar-se ou julgar-se severamente. A autocompaixão ajuda a desenvolver a autoestima e a autoconfiança, permitindo que perdoe-se e aceite-se tal como é.


3. Celebre as suas conquistas

É fácil focar-se no que não se fez bem ou no que não se tem. Porém, para melhorar a autoestima e autoconfiança, é importante reconhecer e celebrar as suas conquistas, por mais pequenas que sejam. Faça uma lista de todas as coisas que já alcançou na vida e que o fazem sentir-se orgulhoso de si mesmo.


4. Cuide da sua aparência

A forma como nos apresentamos ao mundo pode ter um impacto significativo na forma como nos sentimos sobre nós mesmos. Cuidar da aparência pode ajudar a aumentar a autoestima e autoconfiança. Vista-se com roupas que o valorizem e façam sentir-se bem, cuide da higiene pessoal e faça exercício físico regularmente.


5. Aprenda algo novo

Aprender algo novo pode ajudar a desenvolver a autoestima e autoconfiança. Ao aprender uma nova habilidade ou atividade, pode-se experimentar um sentimento de realização e de se tornar mais competente e confiante.


Grupo de pessoas a sorrir felizes

6. Cultive relações saudáveis

As relações interpessoais são um fator importante para a autoestima e autoconfiança. Cultive relações saudáveis com amigos e familiares, pois estes podem fornecer um apoio emocional e uma perspetiva positiva sobre si mesmo.


7. Seja assertivo

Ser assertivo é a habilidade de expressar os seus sentimentos, necessidades e opiniões de uma forma direta e clara, sem ser agressivo ou passivo. Ser assertivo ajuda a desenvolver a autoconfiança, pois permite que se defenda os seus direitos e que sejam expressos os seus pensamentos e sentimentos de uma forma respeitosa e segura.


8. Exercite-se regularmente

O exercício físico é um excelente meio para melhorar a autoestima e autoconfiança. O exercício aumenta a produção de endorfinas, as hormonas do bem-estar, o que pode ajudar a melhorar o humor e a autoimagem. Além disso, o exercício também pode ajudar a melhorar a aparência física, o que pode contribuir para aumentar a autoestima.


Pessoa a dar a mão a outra ajudando-a

9. Peça ajuda quando necessário

Por fim, se estiver a ter dificuldades em melhorar a autoestima e autoconfiança, procure ajuda. A terapia pode ser uma ferramenta valiosa para ajudar a lidar com questões emocionais e a desenvolver a autoestima e autoconfiança. Não há nada de errado em pedir ajuda, e pode ser uma etapa importante no caminho para o bem-estar emocional.


10. Desenvolva o autoconhecimento

Conhecer-se a si mesmo é uma parte importante do desenvolvimento da autoestima e autoconfiança. Faça uma reflexão sobre os seus valores, crenças e objetivos de vida e como eles podem influenciar a forma como se vê e como age. Quanto mais consciente estiver das suas motivações e dos seus objetivos, mais fácil será desenvolver a autoestima e autoconfiança.

Revisão de Médica Convidada:

Dr.ª Sofia Bezerra

Fontes:

  • Branden, N. (1994). As seis práticas da autoestima. Círculo do Livro.
  • Câmara, S. G., Ferreira, M. L., & Mendes, I. A. (2019). Fatores relacionados à autoestima em estudantes universitários. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 15(2), 69-77.
  • Coelho, S. C., & Paiva, M. S. (2019). Autoestima e Envelhecimento: Uma Revisão Integrativa. Revista Kairós Gerontologia, 22(1), 25-36.
  • Ferreira, M. A., Carvalho, L. F., & Valdivia, C. M. (2019). Autoestima e empatia em estudantes universitários: uma análise de correlação. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 20(1), 27-39.
  • Lins, S. L. B., & Sousa, V. L. S. (2019). Autoestima e relações familiares: uma revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva, 24(6), 2331-2341.

Tags:

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
Política de Privacidade