médico a avaliar o paracetamol

10 Contraindicações do Paracetamol

3 mins. leitura

Indíce
  1. 1. Insuficiência Hepática
  2. 2. Álcool
  3. 3. Gravidez e Amamentação
  4. 4. Exames
  5. 5. Bebés e Crianças

O Paracetamol é um medicamento amplamente utilizado para aliviar dores e reduzir a febre.

No entanto, como acontece com qualquer medicamento, existem situações em que o seu uso pode ser desaconselhado.

Neste artigo, exploraremos dez contraindicações importantes do Paracetamol. É crucial estar ciente destas contraindicações para garantir o uso seguro e eficaz deste medicamento.


1. Hipersensibilidade ao Paracetamol

Indivíduos que apresentaram reações alérgicas, como urticária, coceira ou inchaço, em resposta ao Paracetamol devem evitar o seu uso. A hipersensibilidade pode variar de leve a grave e, em casos graves, pode causar dificuldades respiratórias e choque anafilático.


2. Insuficiência Hepática

Pacientes com insuficiência hepática, ou seja, com insuficiência ao nível do fígado, devem evitar o Paracetamol.

O medicamento é metabolizado pelo fígado, e em casos de mau funcionamento o acúmulo de substâncias tóxicas pode ocorrer, causando danos graves.


3. Consumo Excessivo de Álcool

O uso simultâneo de Paracetamol e álcool é desaconselhado, uma vez que ambos são metabolizados no fígado.

O consumo excessivo de álcool pode sobrecarregar o fígado e aumentar o risco de danos hepáticos ao usar Paracetamol.


GRÁVIDA A TOMAR PARACETAMOL

4. Gravidez e Amamentação

Mulheres grávidas ou em período de amamentação devem ter cautela ao usar Paracetamol.

Embora seja considerado relativamente seguro em doses normais, é fundamental consultar um profissional de saúde antes de utilizar qualquer medicamento durante a gravidez ou amamentação.


5. Uso Prolongado

O uso prolongado e em doses elevadas de Paracetamol pode sobrecarregar o fígado e aumentar o risco de insuficiência hepática, que pode ser fatal.

É essencial respeitar as doses recomendadas e a duração do tratamento para evitar complicações.

No caso de dúvida consulte o seu médico.


6. Uso Simultâneo de Outros Medicamentos

O uso simultâneo de vários medicamentos pode aumentar o risco de interações indesejadas.

Também se deve ter cautela com a toma em simultâneo de alguns suplementos naturais à base de ervas, uma vez que podem aumentar o risco de lesão do fígado.

Pacientes em tratamento com outros medicamentos devem informar os seus médicos antes de usar Paracetamol, a fim de evitar interações que podem levar a danos irreversíveis.


7. Doenças Renais

Certas doenças renais devem usar o Paracetamol com cautela, uma vez que os produtos metabólicos do medicamento são eliminados principalmente pelos rins.

O uso indiscriminado pode afetar a função renal e aumentar o risco de complicações.

Verifique sempre com o seu médico caso tenha algum histórico de doenças hepáticas.


8. Síndrome de Gilbert

A Síndrome de Gilbert é uma condição genética que afeta o metabolismo da bilirrubina, substância produzida pelo fígado.

Pessoas com essa condição podem ser mais suscetíveis a reações adversas ao Paracetamol, como icterícia.


9. Interferência em Exames de Sangue

O Paracetamol pode afetar os resultados de exames de sangue que medem certos componentes hepáticos.

É importante informar o médico sobre o uso recente de Paracetamol antes de realizar exames de sangue.


Crianças a ser consultadas num médico

10. Uso em Crianças Menores de 12 Anos

O Paracetamol deve ser utilizado com cautela em crianças menores de 12 anos, uma vez que a dosagem e a forma farmacêutica podem variar com base na idade da criança.

Consulte sempre o pediatra para saber a dose e duração do tratamento.


Podemos tomar Paracetamol sempre que quisermos?

O Paracetamol é um medicamento amplamente utilizado para alívio de dores e febre.

No entanto, é fundamental estar ciente das contraindicações associadas.

Pacientes com histórico de alergias, insuficiência hepática, doenças renais ou outras condições específicas devem evitar ou usar somente Paracetamol sob orientação médica.

Consulte sempre um profissional de saúde antes de iniciar qualquer tratamento medicamentoso e siga as recomendações de forma a garantir o seu uso seguro e eficaz.

Revisão de Médica Convidada:

Dr.ª Sofia Bezerra

Bibliografia:

  • Oliveira, A. S., & Melo, S. R. (2010). Paracetamol: uma revisão. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, 46(3), 397-406.
  • Santos, E. M., & Souza, C. A. (2005). Uso racional do paracetamol. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, 26(2), 119-124.
  • Gomes, V. O., & Santos, A. F. (2008). Avaliação do consumo de paracetamol em adolescentes. Revista de Enfermagem UFPE Online, 2(2), 99-103.
  • Silva, M. L., & Pereira, S. P. (2003). Aspectos farmacológicos e clínicos do paracetamol. Acta Farmacêutica Bonaerense, 22(3), 313-316.
  • Ferreira, A. O., & Lima, A. C. (2007). Utilização e conhecimento sobre paracetamol em uma população universitária. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, 43(3), 391-397.
  • Carvalho, M. V., & Ramos, D. G. (2012). Paracetamol: revisão bibliográfica. Revista de Farmácia e Bioquímica da Universidade de São Paulo, 48(1), 19-25.

Tags:

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico.

Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
Política de Privacidade