mulher com botija de água quente na barriga, sentada no sofá

Cólicas: o que são e como aliviar a dor

6 mins. leitura

As cólicas manifestam-se através de uma dor forte e intensa que pode afetar órgãos como o estômago, o intestino ou o útero. Existem vários tipos de cólicas, sendo as mais frequentes as cólicas do lactente, menstruais, renais e biliares. Cada uma requer abordagens distintas, de modo a terminar com este desconforto.


Cólicas do lactente

As cólicas do lactente constituem uma situação transitória e benigna, embora causem grande desconforto ao bebé e grande preocupação aos pais. Normalmente, estas cólicas surgem entre o primeiro e o quarto mês de vida do lactente.


bebe com colicas

Causas

Há algumas circunstâncias que podem propiciar o aparecimento destas cólicas, nomeadamente:

  • Deglutição excessiva de ar;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Mudanças na motilidade intestinal;
  • Desregulação da flora intestinal;
  • Imaturidade gastrointestinal;
  • Desregulação das vias neurossensoriais;
  • Ansiedade parental;
  • Alergia às proteínas do leite de vaca;
  • Tensão emocional.

Sintomas

Alguns dos sinais que podem evidenciar que o bebé sofre de cólicas são:

  • Choro frequente, prolongado e estridente;
  • Agitação;
  • Irritabilidade;
  • Dobrar as pernas sobre a barriga distendida;
  • Pele vermelha.

Tratamento

Apesar de se tratar de uma situação transitória, é possível ajudar a atenuar as cólicas do lactente, sendo que a forma de o fazer varia em função da causa subjacente às cólicas.

Em alguns casos, o pediatra pode prescrever a toma de probióticos ou de fórmulas hidrolisadas. Além disso, recomenda-se a realização de massagens no abdómen do bebé, respeitando sempre o sentido dos ponteiros do relógio.


mulher com cólicas menstruais

Cólicas menstruais

Existem dois tipos de dismenorreia ou de cólicas menstruais: a primária e a secundária.

  • A primária corresponde às cólicas que surgem após as primeiras menstruações.
  • Já a secundária, pode estar relacionada com certas doenças ginecológicas.

Causas

Na origem das cólicas menstruais, podem estar as contrações uterinas - no caso das cólicas se manifestarem depois da menstruação - ou, então, podem estar associadas a determinadas patologias, como é o caso de miomas ou endometriose, por exemplo.


Sintomas

O principal sintoma de cólica menstrual é a dor na zona do baixo ventre. Porém, este desconforto pode ainda ser acompanhado de outros sintomas como:

  • Náuseas e vómitos;
  • Diarreia;
  • Dor de cabeça;
  • Vertigens e desmaios.

Tratamento

Para aliviar o incómodo causado pelas cólicas menstruais, podem adotar-se algumas medidas como, por exemplo:

  • Fazer exercícios físicos aeróbicos, ou seja, caminhar ou nadar, por exemplo, para relaxamento do corpo;
  • Aplicar calor na zona afetada;
  • Consumir alimentos ricos em fibras;
  • Tomar analgésicos, prescritos por um médico.

Nota: Quando as cólicas estão associadas a uma doença ginecológica, o tratamento deve atuar na patologia que está na origem das cólicas.


mulher com botija de água quente na barriga, sentada no sofá

Cólicas renais

De uma forma muito simples, a cólica renal corresponde a uma dor provocada pela passagem de um cálculo renal pelos órgãos que compõem o aparelho urinário alto até ele ser expulso pelas vias urinárias.


Causas

Os cálculos renais resultam da cristalização e conglomeração de substâncias químicas presentes na urina, como é o caso do ácido úrico e do cálcio.

Quanto maior for a "pedra" existente no rim, maior será a obstrução causada por ela e a pressão e o estiramento dos tecidos e, consequentemente, maior será a dor que ela provocará.


Sintomas

Além da dor súbita e intensa na região inferior das costas, na cintura ou nas costelas, as cólicas renais podem fazer-se acompanhar por outros sintomas, tais como:

  • Desejo frequente de urinar;
  • Ardor, dor e/ou dificuldade em urinar;
  • Náuseas;
  • Vómitos;
  • Sangue com urina, turva e/ou com odor forte;
  • Dor nos genitais.

Tratamento

É de extrema importância que um médico urologista seja consultado a fim de ser identificada a causa da dor e consequentemente o tratamento mais adequado, pois algumas medicações, quando tomadas indevidamente ou sem prescrição médica prévia, podem agravar o quadro.

Perante um quadro de cólicas renais, importa inicialmente tentar controlar a dor, tomando:

  • Anti-inflamatórios;
  • Analgésicos;
  • Antiespasmódicos;
  • Antipasmótico (relaxantes do ureter).

Outras medicações também podem ser prescritas para uso após a crise, com o intuito de facilitar a eliminação do cálculo e prevenir a recorrência de crises.

Nota: Caso as cólicas não atenuem, é importante consultar um serviço de urgência, de modo a que a situação seja avaliada, a fim de se excluírem lesões de maior gravidade ou lesão renal aguda, podendo ou não equacionar-se alguma intervenção cirúrgica de urgência.


mulher com botija de água quente na barriga, sentada no sofá

Cólicas biliares

A litíase ou as cólicas biliares ocorrem quando existem cálculos na vesícula. Esta é uma complicação relativamente frequente, sendo uma das que mais afeta as vias biliares.


Causas

Na origem dos cálculos na vesícula, pode estar a cristalização de substâncias presentes na bílis como a bilirrubina e o colesterol, sobretudo se estas existirem na vesícula numa quantidade superior à normal.

Noutros casos, os cálculos na vesícula podem formar-se devido ao mau funcionamento da vesícula ou devido à existência de outras doenças ou patologias.

Além disso, existem fatores de risco a considerar, como, por exemplo:

  • Obesidade;
  • Alimentação rica em gorduras;
  • Sedentarismo;
  • Jejum prolongado;
  • Toma de hormonas e/ou contracetivos orais;
  • Idade avançada;
  • Género feminino;
  • História familiar;
  • Gestação;
  • Diabetes;
  • Anemia;
  • Cirrose.

Sintomas

O principal sintoma das cólicas biliares é uma dor na região do estômago ou sob as costelas, do lado direito, sendo que o desconforto pode irradiar para outras zonas do corpo.

Este incómodo pode, ainda, ser acompanhado por:

  • Enjoos;
  • Vómitos;
  • Suores;
  • Palidez.

Tratamento

No caso de haver sintomas e/ou complicações, o principal tratamento indicado para este problema é a cirurgia (colecistectomia) que visa a remoção definitiva da vesícula, através de um corte na parede abdominal ou via "laparoscópica".

Contudo a cirurgia também está indicada na ausência de sintomas, tomando em consideração alguns fatores: doentes diabéticos ou a tomar imunossupressores, alterações na vesícula (vesícula calcificada) ou quando os cálculos migram da vesícula, estando localizados nas vias biliares, por exemplo.

Aviso: O Blog Mais Saúde é um espaço meramente informativo. A Medicare recomenda sempre a consulta de um profissional de saúde para diagnóstico ou tratamento, não devendo nunca este Blog ser considerado substituto de diagnóstico médico. Encontre aqui profissionais de saúde perto de si.

Contribua com sugestões de melhoria através do nosso formulário online.

Este artigo foi útil?

Obrigado pelo seu feedback.

Partilhe este artigo:

Obrigado pela sua preferência.

Irá receber no seu email as melhores dicas de Saúde e Bem-estar.
Pode em qualquer momento alterar ou retirar o(s) consentimento(s) prestado(s).

Receba as melhores dicas
de Saúde e Bem-estar

Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.

Encontre o melhor
Prestador Medicare perto de si

Código Postal inválido

Pesquise entre os mais de 17 500 Prestadores
da Rede de Saúde Medicare.

Artigos relacionados:
Ver mais
1 presente à escolha

Oferta exclusiva Online

1 presente de boas-vindas à escolha

Aderir Online
Cartão Platinium Mais Vida
Quer aderir? Ligamos grátis! Esclareça as suas dúvidas com a nossa
equipa, sem compromisso.
Precisamos do seu consentimento para envio de mais informação.
Formulário enviado Obrigado pelo seu contacto. Será contactado em breve pela nossa equipa de especialistas.